quinta-feira, 2 de março de 2017

Último terço da época 2016/17: O que podemos esperar

Neste fim-semana começam os jogos do último terço do campeonato 2016/17, já só faltam disputar 11 jogos do campeonato para que seja atribuido o titulo de campeão.

E este campeonato tudo indica será discutido a dois, entre Benfica e F. C. Porto, já que o Sporting está com 9 ou mais pontos de atraso sobre os 2 principais candidatos ao titulo neste momento. Vamos então analisar comparativamente o desempenho desses 2 clubes mais detalhadamente:
  • O Benfica venceu 30 dos 40 jogos que realizou esta temporada, ou seja em média vence 3 em cada 4 jogos. O F. C. Porto venceu 22 dos 37 jogos realizados esta temporada. O Benfica aparentemente tem maior capacidade para vencer os seus adversários, sendo que o F. C .Porto tem maior capacidade para se defender de modo a não ser vencido pelos seus adversários.
  • O F. C. Porto perdeu por apenas 4 vezes esta temporada, já o Benfica perdeu por 5 vezes e empatou também por 5 vezes, enquanto o F. C. Porto já empatou 11 jogos. O Benfica tem neste momento 92 golos marcados e 30 sofridos, enquanto que o F. C. Porto tem neste momento 63 golos marcados e 19 sofridos, sendo que 15 dos golos marcados pelo F. C. Porto foram marcados já com o adversário em inferioridade numérica, ou seja nas condiçoes regulamentares de 11 jogadores contra 11 jogadores apenas marcou 48 golos nos 37 jogos. 
  • Em todas as competições, o F. C. Porto já beneficou de 10 penaltis favoráveis (6 no campeonato e 4 na Liga dos Campeões (2 contra a Roma, 1 Leicester e 1 Club Brugge) e o Benfica também já beneficiou de 10 penaltis favoráveis (5 no campeonato e 2 na Liga dos Campeões ambos contra Dinamo Kiev, 2 na Taça de Portugal contra o Marítimo e Leixões, 1 na Taça da Liga contra o Guimarães). Atendendo que em todas as competições as 2 equipas usufruiram dos mesmos 10 penaltis favoráveis e que contrariamente ao Benfica que não usufruiu de minutos em superioridade numérica, o F. C. Porto marcou 15 golos em superioridade numérica, podemos constatar que sem o efeito das decisões arbitrais, ou seja nas condições regulamentares de 11 contra 11 e sem penaltis, o Benfica só por si mesmo assim consegueria marcar 82 golos (92-10) e o F. C. Porto só por si consegueria marcar 38 golos (48-10) nas  condições regulamentares de 11 contra 11 e sem nenhum penalti assinalado. É uma diferença entre as duas equipas de 44 golos marcados, que as expulsões conseguiram diminuir para uma diferença de apenas 29 golos marcados.   
  • Existe uma grande diferença na capacidade atacante das 2 equipas. Salta a vista que, o Benfica só não marcou golos num único jogo dos 40 que disputou, enquanto que o F. C. Porto não marcou golos em 10 dos 37 jogos realizados, isto mesmo tendo usufruido de superioridade numérica em 12 dos 37 jogos (5 dessas expulsões ocorreram ainda na 1ª parte!).
  • O F. C. Porto não sofreu golos em 21 jogos e o máximo de golos sofridos numa partida foram 2 golos (contra o Sporting e contra a Juventus). O Benfica não sofreu golos em 22 jogos e o máximo de golos sofridos num só jogo foram 4, contra o Napoles.
  • O Benfica sofreu 30 golos e já foi penalizado com 6 penaltis desfavoráveis, 1 no campeonato, 3 na Liga dos Campeões (Napoles, Besiktas e Dortmund) e 2 na taça de Portugal (1º Dezembro, Estoril), enquanto que, o F. C. Porto sofreu 19 golos e apenas foi penalizado com 1 penalti desfavorável (no campeonato nacional). 


Pelo desempenho das equipas e os pontos já arrecadados independentemente das condições arbitrais que usufruiram até ao momento, quer o Benfica, quer o F. C. Porto mantém intactas as aspirações de ser campeão e tambem de passar aos 1/4 de final da Liga dos Campeões, muito embora este objectivo europeu esteja um pouco mais dificíl para o F. C. Porto, que tem de marcar mais de 2 golos para eliminar a Juventus.

Para obter os resultados referidos em cima, de acordo com o site ZEROZERO, o plantel as ordens do Rui Vitória teve a seguinte utilização (os jogadores estão ordenados pelo total minutos de utilização).






Resumindo:
O Benfica nesta temporada até ao momento já disputou 40 jogos, tendo 30 vitórias, 5 empates e sofreu 5 derrotas (92 golos marcados e 30 sofridos).  Em todas as competicões, o Benfica esta temporada já usufruiu de 10 grandes penalidades assinaladas a seu favor e ainda não usufruiu de minutos em superioridade numérica em tempo útil de jogo. Os 3 melhores marcadores da equipa são o Mitroglou (24 golos), o Pizzi (11 golos) e o Jonas (9 golos).

O F. C. Porto nesta temporada já disputou 37 jogos, tendo 22 vitórias, 11 empates e sofreu 4 derrotas (63 golos marcados e 19 sofridos). Em todas as competicões, o F. C. Porto esta temporada já usufruiu de 10 grandes penalidades assinaladas a seu favor. Nas condições regulamentares de 11 contra 11 jogadores, o F. C. Porto marcou 48 golos e sofreu 18 golos e nos 484 minutos em que o adversário esteve em inferioridade númerica, o F. C. Porto marcou 15 golos e sofreu apenas 1 golo. O ataque da equipa é realmente muito mais forte em superioridade númerica. Os 3 melhores marcadores da equipa são o André Silva (18 golos), o Diogo Jota (7 golos) e o Soares (5 golos). O Soares além destes 5 golos, marcou mais 7 golos pelo Guimarães na 1ª metade da época. 

Para obter os resultados referidos em cima,  de acordo com o site ZEROZERO,o plantel as ordens do Nuno Espirito Santo teve a seguinte utilização (os jogadores estão ordenados pelo total minutos de utilização).

Constata-se que: 
  • O Benfica tem 2 jogadores que já acumulam mais de 3.000 minutos de útilização (Nelson Semedo e o Pizzi) e o F. C. Porto tem 3 jogadores que já acumulam mais de 3.000 minutos de útilização (Marcano, Filipe e Alex Telles). Estes são os 5 jogadores que podem vir a acusar mais o desgaste fisico no último terço deste campeonato. 
  • Ambas as equipas tem um nucleo base de 8 jogadores com mais de 2.000 minutos nas pernas neste momento. Ou seja, além dos 5 elementos referidos em cima, os restantes jogadores que apresentam maior ritmo competitivo nesta altura para poderem vir a ser importantes trunfos para o último terço do campeonato são o Lindelof, Ederson, Fejsa, Mitroglou, Luisão e Sálvio no Benfica e o Casillas, Danilo Pereira, André Silva, Maxi Pereira e Oliver Torres no F. C. Porto. Estes são os jogadores que os treinadores confiaram mais de 2.000 minutos de utilização até ao momento. O reforço de inverno Tiquinho Soares também já leva neste momento 2.379 minutos de utilização nesta temporada, 424 desses minutos já na equipa do F. C. Porto. O Filipe Augusto, reforço de inverno do Benfica leva 780 minutos de utilização, 124 deles já com os novos colegas no Benfica.
  • Em princípio, para que o treinador possa retirar dos atletas um bom rendimento médio na temporada, o ideal é que esses jogadores terminem a época entre os 2.500 e 4.000 minutos de utilização. Estes são os jogadores de confiança do treinador, são os que terminarão a epoca entre os 18 mais utilizados da equipa. Em finais de Fevereiro, estes jogadores de confiança do treinador já deviam ter mais de 1.000 minutos de utilização, mas por vezes por causa de lesões tal não se verifica. Mas se realmente o treinador conta com eles para a altura decisiva do campeonato, por questões de ritmo de jogo devem ter obrigatoriamente mais de 720 minutos, ou seja mais de 8 jogos oficiais completos nas pernas, para poderem render fisicamente nestes 3 meses que faltam. Assim, podemos ver que com mais de 720 minutos de útilização, no Benfica com a saida o Gonçalo Guedes, dos que começarm a temporada mantém-se no seu plantel 22 jogadores com tempo de jogo suficiente para poderem ainda ser mais-valias no que falta disputar desta temporada e o F. C. Porto tem neste momento 16 jogadores verdadeiramente bem preparados e com níveis de utilização bons para poderem ser elementos com que o treinador conta para atacar este último terço do campeonato, ou seja com mais de 720 minutos de utilização na equipa. Dos jogadores com mais de 720 minutos e menos de 2.000 minutos de utilização até ao momento, podemos ver que nomes como o Franco Cervi, André Almeida, Grimaldo, Samaris, Carrillo, Rafa Silva, Zivcovic, Jonas, Raúl Jimenez e Jardel devem ser os mais úteis ao Rui Vitória no Benfica e o Corona, Herrera, Diogo Jota, Otávio, André André, Layún, Brahimi e Ruben Neves devem ser os mais úteis ao Nuno Espirito Santo no F. C. Porto. Em princípio, acabam aqui os jogadores com que o Rui Vitória e o Nuno Espirito Santo contam para o último terço do campeonato.
  • Já quanto aos restantes atletas que tem ainda uma utilização inferior a 720 minutos, mesmo que seja simplesmente por questões de ritmo competitivo, muito dificilmente conseguiram apanhar o comboio a tempo de ainda serem verdadeiramente úteis as suas equipas dentro do campo nesta temporada, estamos a falar de Paulo Lopes, Marcelo Hermes, Paulo Pereira, Jovic e Zé Gomes no Benfica e de Depoitre, José Sá, Boly, João Carlos Teixeira e Rui Pedro no F. C. Porto. 
Prognóstico sobre os 18 que serão mais vezes convocados pelo Rui Vitória para as 11 jornadas do campeonato que faltam é o seguinte:
                                                               Ederson, 
                              Nelson Semedo, Luisão, Lindelof, Grimaldo, 
                                                        Ljubomir Fejsa, 
                                         Eduardo Sálvio, Pizzi, Rafa Silva, 
                                                       Jonas e Mitroglou 
(No banco: Julio César, André Almeida, Jardel, Samaris, Carrillo, Zivkovic e Raúl Jimenez)
Entra nos 18, Franco Cervi se algum deles estiver lesionado.



Prognóstico sobre os 18 que serão mais vezes convocados pelo Nuno Espirito Santo para as 11 jornadas do campeonato que faltam é o seguinte:
                                                                 Casillas,
                                 Maxi Pereira, Filipe, Marcano, Alex Telles,
                                                            Danilo Pereira,
                                          André André, Oliver Torres, Otávio,
                                                      André Silva e Soares
(No banco: José Sá, Layún, Boly, Herrera, Brahimi, Corona e Diogo Jota)
Entra nos 18, Ruben Neves se algum deles estiver lesionado.

Sem comentários: