quinta-feira, 9 de março de 2017

Contas do 1º Semestre da temporada 2016/17

Já foram publicadas as contas dos 3 grandes referentes ao 1º semestre da temporada 2016/17, vamos aqui falar um pouco sobre elas.

Eis então, a Demonstração de Resultados do Benfica, entre Julho/2016 e Dezembro/2016.



Eis então, a Demonstração de Resultados do F. C. Porto, entre Julho/2016 e Dezembro/2016.


Eis então, a Demonstração de Resultados do Sporting, entre Julho/2016 e Dezembro/2016.

Principais notas:
  • Tal como tem acontecido nas últimas épocas, também neste 1º sementre da actual época 2016/17, o Benfica (69,4 milhões €) é o clube com os maiores Proveitos Operacionais sem vendas de passes de jogadores, seguido do F. C. Porto com 58,8 milhões € e do Sporting com 49,1 milhões €. Na actual temporada as 3 equipas disputaram a fase de grupos da LC, logo não se pode dizer que qualquer das equipas ainda pudesse ter usufruido de melhores condições para obter muito melhores proveitos operacionais.
  • Além dos proveitos operacionais acima referidos outra rubrica de proveitos muito importante para os clubes portugueses é a do Rendimento com transações com jogadores. O Sporting com 73,8 milhões €, foi o clube com maiores Rendimentos com Transações de Passes de Jogadores, seguido do Benfica com 18,9 milhões € e por fim, o F. C. Porto com somente 1,1 milhões €. Atenção que, o orçamento do F. C. Porto para a época 2016/17 prevê 115,8 milhões € de Rendimentos Com Transações Com Jogadores, ou seja, até 30/06/2017 o clube projeta alienar passes de jogadores no valor de 114,7 milhões para cumprir com o Resultado Liquido do exercício positivo de 2,7 milhões € que tinha previsto para esta época!
  • O F. C. Porto entre 01/07/2016 e 31/12/2016 teve custos com o pessoal no valor de 38,9 Milhões €, ou seja, os Custos Com Pessoal consumiram 66% dos Proveitos Operacionais do clube e atenção que historicamente costuma ser pior no 2º semestre, pois normalmente os clubes portugueses apenas aspiram obter resultados positivos na Champions durante o 1º semestre. Mantendo-se o mesmo nível de custos no 2º semestre, então terminaria a época com 77,8 milhões €, isto sem contar com possíveis prémios resultantes de conquistas (o clube ainda pode vencer a Liga Portuguesa e a Champions). O número médio de trabalhadores que representam o F. C. Porto neste semestre, inclui 73 atletas.
  • O Sporting entre 01/07/2016 e 31/12/2016 teve Custos Com o Pessoal no valor de 31,6 Milhões €, ou seja os Custos Com Pessoal consumiram 64% dos Proveitos Operacionais do clube e atenção que historicamente costuma ser pior no 2º semestre, pois normalmente os clubes portugueses apenas aspiram a obter resultados positivos na Champions durante o 1º semestre. O número médio de trabalhadores que representam o Sporting, inclui 44 atletas.
  • O Benfica entre 01/07/2016 e 31/12/2016 teve Custos Com o Pessoal no valor de 30,4 Milhões €, (consumiram 44% dos Proveitos Operacionais do clube), sendo que deste valor total dos Custos Com Pessoal 2,4 Milhões de € foram remunerações variáveis (prémios desempenho desportivo). O número médio de trabalhadores que representam o clube foram 403 trabalhadores, este número inclui 116 atletas, 16 tecnicos, 2 adminstradores e ainda outros 269 colaboradores (69 dos quais da BTV). O Benfica mesmo sendo de longe o clube que tem mais atletas sob contrato nos quadros, ainda é o que menos custos com o pessoal incorre.
  • Com os dados conhecidos até ao momento, sabe-se que no final da época quer o Sporting, quer o Benfica garantidamente atingirão um Resultado Liquido Positivo na época 2016/17, enquanto que o F. C. Porto corre sérios riscos de ser sancionado por incumprimento do Fair-Play Financeiro da UEFA.  O Fair-Play Financeiro da UEFA define o limite máximo de 30 milhões € de prejuizo acumulado em 3 épocas. E o F. C. Porto já esta a ser monitorizado pela UEFA em função dos resultados apresentados no Relatório e Contas de 2015/16, documento em que o clube referia que «Tendo em consideração os resultados obtidos nos exercícios económicos 2013/14, 2014/15 e 2015/2016 aqui apresentados, o resultado agregado do break even, no período de monitorização 2013/14 a 2015/2016 da FC PORTO, SAD, será deficitário e acima do desvio aceitável». No mais recente relatório e Contas do 1º Semestre 2016/17, como se pode ver na pag.74, os auditores E&Y emitiram opinião com a seguinte Ênfase: "Neste contexto, chamamos a atenção para o facto do passivo corrente em 31 de dezembro de 2016 ser muito superior ao ativo corrente e para o facto da Entidade se encontrar em incumprimento com os requisitos do “break-even”, tal como definido pelo Regulamento de Licenciamento de Clubes para as Competições da UEFA (mantendo-se a situação divulgada na Nota 3.4 das Notas às demonstrações financeiras consolidadas do ano findo em 30 de junho de 2016)."
  • Realce para os resultados financeiros negativos de 5,1 M€ (Sporting), também negativos de 7,2 M€ (F.C. Porto) e  também negativos de 8,9 M€ (Benfica), ou seja as diferenças entre as equipas candidatas ao titulo em termos de encargos financeiros suportados nesses 6 meses no máximo foi de 3,8 M€, quando na época 2015/16 o Benfica tinha tido um Resultado Financeiro pior que o do Sporting em -11,7 M€ (-17,5 M€ para o Benfica e -5,8 M€ para o Sporting). O F. C. Porto teve um Resultado Financeiro negativo de -15,8 M€ na época 2015/16. No Balanco, o Benfica apresenta um total de 297,8 M€ de Emprestimos Obtidos (151,1 M€ passivo bancário corrente e 146,4 M€ passivo bancário não corrente), o F. C. Porto apresenta um total de 165,9 M€ de Emprestimos Obtidos (88,0 M€ passivo bancário corrente e 77,9 M€ passivo bancário não corrente) e o Sporting além dos 127,9 M€ de VMOC, apresenta um total de 126,2 M€ de Emprestimos Obtidos (55,3 M€ passivo bancário corrente e 70,9 M€ passivo bancário não corrente).
  • Realce também para os 63,9 M€ na rúbrica, Outros Passivos Não Correntes que aparecem no Balanço do F. C. Porto em 31/12/2016, sendo que essencialmente se referem a 38,5 M€ de adiantamentos de receitas de direitos de transmissão televisiva e 17,7 M€ de adiantamentos de Receitas de publicidade. Em Outros Passivos Correntes aparecem 54,6 M€ no Balanço do F. C. Porto em 31/12/2016, desse montante chama a atenção os 15,4 M€ de encargos com transações de passes de atletas ainda não vencidos, 12 M€ de prémios de objectivos em competições pendentes de processamento, os 1,8 M€ de remunerações/rescisões por liquidar e os 6,8 M€ de adiantamento de receitas de direitos de transmissão televisiva/publicidade/patrocínio. O Benfica apresenta no Balanço diferimentos de Outros Passivos Correntes de 15,8 M€ (sendo que 1,5 M€ são direitos dos atletas por liquidar,  5,1 M€ são patrocínios já recebidos cujo rendimento será reconhecido nos próximos 12 meses e apenas 0,3 M€ é de receitas de televisão já adiantadas) e também 1,1 M€ em diferimentos de Outros Passivos Não Correntes. O Sporting apresenta no Balanço, 46,5 M€ em Outros Passivos Não Correntes (13,8 M€ são de adiantamentos de recebimentos de patrocínios/publicidade) e 17,3 M€ em Outros passivos Correntes (sendo que 3,5 M€ são de adiantamentos de recebimentos de patrocínios/publicidade e 4,5 de remunerações/prémios/rescisões por liquidar). 
O Bruno de Carvalho foi eleito presidente do Sporting C. P. em 24/03/2013 e a realidade competitiva na nossa Liga era muito diferente do que é hoje, disso não restam dúvidas.
Os Custos Com o Pessoal do campeão nessa época 2012/13, foi de 54,1 Milhões € (F. C. Porto, ou seja 54,1 milhões € de Custos Com Pessoal já incluindo os prémios variáveis pela conquista do campeonato), os do Benfica foram de 50,4 Milhões € e os do Sporting foram de 41,7 milhões €.


Após um período inicial em que Bruno de Carvalho apostou na contenção dos custos com pessoal, registando 25,0 milhões € na época 2013/14 e 25,1 milhões € na época 2014/15), nos últimos tempos o Sporting enveredou pelo aumento exponencial dos Custos Com Pessoal, com 48.7 milhões € na época 2015/16 e aagora mantendo-se o ritmo actual desta época, no final do exercício os Custos Com Pessoal do Sporting serão superiores a 63 milhões €. É um aumento assustador dos Custos Com o Pessoal e ainda por cima sem nenhum retorno desportivo. Pois, na actual temporada seguramente o Sporting vai suportar mais do dobro dos Custos Com Pessoal que suportou na época de 2013/14 em que foi 2º classificado ou da época de 2014/15 em que foi 3º classificado!

A realidade competiva em Portugal alterou muito desde 30/06/2013 até ao momento actual (o último relatório pulbicado inclui dados até a data de 31/12/2016). O Resultado liquido acumulado destas 3 equipas desde 01/07/2013 até 31/12/2016 é o seguinte e por esta ordem de grandeza:

  1. Benfica, com um Resultado Liquido positivo acumulado neste período de 3 épocas e meia de 44,2 milhões €, ou seja o clube gerou lucro de 44,2=+14,1+7,1+20,4+2,6 referentes as épocas 2013/14, 2014/15, 2015/16 e 1º semestre época 2016/17.  De realçar que este resultado não inclui ainda as alienações dos direitos dos atletas Gonçalo Guedes e Hélder Costa que ocorreram já em Janeiro de 2017, que ascenderam a um montante global de 45 milhões de euros e que irão representar um impacto positivo próximo dos 38,9 milhões de euros no resultado do próximo semestre.
  2. Sporting, com um Resultado Liquido positivo acumulado neste período de 3 épocas e meia de 34,3 milhões €, ou seja o clube gerou lucro de 34,3=+0,4+19,3-31,9+46,5 referentes as épocas 2013/14, 2014/15, 2015/16 e 1º semestre época 2016/17.   
  3. F. C. Porto com um Resultado Liquido negativo acumulado neste período de 3 épocas e meia de -109,2 milhões €, ou seja o clube gerou um prejuizo de -109,2=-40,7+19,4-58,3-29,6 referentes as épocas 2013/14, 2014/15, 2015/16 e 1º semestre época 2016/17.   

Como se vê, os números do F. C. Porto são realmente muito negativos, urge uma mudança radical na politica que tem vindo a ser seguida pela Administração portista nos últimos anos, sob pena de hipotecar os próximos exercícios económicos e desportivos por arrasto também.

Economicamente como terminará esta época e em que condições as equipas competirão na época 2017/18? E desportivamente, alguma previsão de como terminará a época?
Sabemos que não podem ser os 3 clubes campeões esta época 2016/17, só pode ser 1! Logo hoje, o que se pergunta é qual será o clube que mesmo não atribuindo prémios de desempenho (por não ter sido campeão 2016/17), conseguirá não exceder os 60 milhões € de Custos Com Pessoal, isto sabendo que o F. C. Porto, o Sporting e o Benfica gastaram 38,9 M€, 31,6 M€ e 30,4 M€ no 1º semestre?

Sem comentários: