sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

NUNO ALMEIDA (ARBITRAGEM)

NUNO ALMEIDA - DADOS ESTATISTÍCOS DOS ÚLTIMOS 9 CAMPEONATOS
Arbitro A.F. Algarve, foi o arbitro 3º classificado da época 2015/16.

Última atualização dos dados deste arbitro já inclui o Benfica 3 - Chaves 1, da 23ª jornada da época 2016/17. Aos 6 minutos Nuno Almeida deixou passar esta entrada assassina sem o respectivo cartão, depois não admira que o Benfica tenha recorrentemente jogadores lesionados.


QUERES CONHECER SE O TEU CLUBE TEM UMA % DE APROVEITAMENTO MELHOR OU PIOR COM O ARBITRO NOMEADO PARA ESTA JORNADA DO QUE O RENDIMENTO MÉDIO DO CLUBE COM TODOS OS RESTANTES ARBITROS? Neste blog terás essas respostas, com a indicação de todos os penaltis e expulsões assinalados.

PONTO ESSENCIAL: O ARBITRO NUNCA DEVERIA SER UM ELEMENTO DETERMINANTE NO PROCESSO DE REPARTIÇAO DOS PONTOS EM DISPUTA NUMA PARTIDA DE FUTEBOL.  Comparando a % pontos conquistados com um determinado arbitro com a % média do clube com todos os restantes árbitros, conheceremos o posicionamento do arbitro perante esse clube. Diferenças superiores a 20% ou inferiores em 20% em relação ao rendimento médio do clube indiciam que o arbitro beneficia(+) ou prejudica(-) o rendimento da equipa, ou seja, este arbitro interfere tendencialmente no rendimento médio do clube e por isso não deve ser nomeado para arbitrar jogos desse clube.
Nos links que se seguem estão todos os jogos dos 4 grandes clubes com cada um dos seguintes árbitros nos últimos 9 campeonatos.                       
                                                                 Link com os dados do Pedro Proença
                                                                 Link com os dados do Jorge Sousa
                                                                 Link com os dados do Artur Soares Dias
                                                                 Link com os dados do Duarte Gomes
                                                                 Link com os dados do João Capela
                                                                 Link com os dados do Paulo Batista
                                                                 Link com os dados do Hugo Miguel
                                                                 Link com os dados do Olegário Benquerença
                                                                 Link com os dados do Rui Costa
                                                                 Link com os dados do Bruno Esteves
                                                                 Link com os dados do Carlos Xistra
                                                                 Link com os dados do Cosme Machado
                                                                 Link com os dados do Marco Ferreira
                                                                 Link com os dados do Vasco Santos

Analisando as % de aproveitamento dos clubes nos jogos arbitrados pelo Nuno Almeida conclui-se que com a arbitragem deste arbitro a classificação destes últimos 9 anos seria:
1º Benfica (conquista 89% dos pontos disputados com este arbitro) 
2º F.C. Porto (conquista 88% dos pontos disputados com este arbitro) 
3º Sporting (conquista 83% dos pontos disputados com este arbitro) 
4º Braga (conquista 63% dos pontos disputados com este arbitro)
                                                                                               Resultado de imagem para liga nos





Os dados discriminados dos 4 clubes são os seguintes:









Este arbitro revela condições de imparcialidade para apitar os 4 clubes analisados? Qual ou quais são os clubes em que os números revelam uma tendência?
Agradecemos o teu comentário/análise aos números estatísticos desde arbitro nos jogos em que dirigiu o teu clube, ou algum dos 3 rivais.


Estas são as estatísticas dos jogos arbitrados pelo Nuno Almeida nesta temporada 2016/17 no GoalPoint.
Na 23ª jornada

Na 19ª jornada

Na 17ª jornada

Na 16ª jornada

Na 13ª jornada

Na 6ª jornada

Na 4ª jornada

Na 3ª jornada

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

As expulsões! E as dificuldades de competir em inferioridade numérica

As dificuldades do F. C. Porto em inferioridade numérica!
E as dificuldades do Tondela em inferioridade numérica! Do Moreirense, Feirense e do Braga em inferioridade numérica também desde a 1ª parte! E também do Rio Ave, Nacional, Chaves e Estoril!


Hoje, os jogadores do F. C. Porto sentiram as mesmas dificuldades sentidas pelo Tondela no fim-de-semana passado. Se enquanto foi disputado 11 contra 11, o jogo não estava fácil para as 2 equipas, tal como não estava fácil o jogo anterior antes da intervenção no jogo do arbitro Luis Ferreira, após a expulsão o jogo passou a ser de sentido único. Eu ia jurar que já tinha visto recentemente um jogo assim!

Neste jogo contra a Juventus, mesmo jogando em casa com um forte apoio vindo das bancadas, ao F. C. Porto não foi possível discutir a vitória, acabou não fazendo nenhum remate enquadrado com a baliza defendida pelo Bufon. O F. C. Porto fez 3 remates para fora e criou 1 oportunidade, teve 74,6% de eficacia nos 228 passes efectuados, enquanto a Juventus teve 91,8% de eficacia nos 730 passes efectuados. Neste jogo o F. C. Porto acabou tendo apenas 24% de posse de bola, apesar de nunca ter estado em vantagem no marcador, mesmo assim NES nunca arriscou jogar para tentar marcar golos.

Alex Telles foi expulso por acumulação de amarelos e foram lances em que o maior responsável foi o próprio jogador. Um jogador com amarelo não pode ter aquela entrada, 2 minutos após o 1º amarelo.

O Alex Telles foi expulso na 1ª parte tal como o Osório, o Geraldes, o Artur Jorge e o Ícaro também já tinham sido expulsos durante a 1ª parte, em jogos para o campeonato nacional disputados pelo F. C. Porto. Nesse imenso tempo em superioridade no campeonato, o F. C. Porto conseguiu marcar 11 golos e apenas sofreu 1 golo, enquanto que nos minutos que disputou com onze contra onze, o clube fez 34 golos e sofreu 10 golos, ou seja, em média sofreu 1 golo por cada 3,4 que fez. Logo fica evidente que é uma grande vantagem, competir em superioridade numérica.

Existe uma grande diferença entre jogar em inferioridade numérica ou em superioridade numérica.
Neste jogo mais uma vez ficou isso provado. O F. C. Porto já tinha tido a experiência de ver o adversário jogar em inferioridade numérica e desta vez foi o contrário, a fava saiu a equipa não ao adversário. O F. C. Porto tem um histórico muito favorável quanto as decisões arbitriais, mas como todos sabemos o da Juventus consegue ainda ser superior a esse nesse aspecto particular do jogo.

No jogo anterior do F. C. Porto, foi o Tondela a equipa que ficou em inferioridade numérica e isso também acabou por ficar bem vincado nos dados estatísticos finais desse jogo, como se pode ver na imagem seguinte.
Comparando os 2 quadros desta publicação fica bem evidente as diferenças no comportamento dos jogadores do F. C. Porto, em jogos que as 2 equipas em confronto não estão em igualdade numérica.
Contra o Tondela, o F. C. Porto conseguiu não 24% mas sim 68% de posse de bola. E o Tondela apenas conseguiu 32% de posse de bola, 3 remates enquadrados com a baliza nos 5 remates efectuados, foram apenas 2 oportunidades de golo. O Tondela teve apenas 65,2% de eficacia nos 276 passes efectuados. Nas condicões em que Luis Ferreira os obrigou a disputar a partida seria difícil obter melhores dados estatísticos.
Como se vê as equipas que jogam em inferioridade numérica desde a 1ª parte normalmente tem grandes dificuldades nesse jogo. Só em termos comparativos, mesmo num jogo em que o Benfica estava a ser muito superior ao seu adversário, ao sofrer uma expulsão desfavorável aos 41 minutos quando já estava a vencer por 2 bolas de diferença (inferioridade numérica por expulsão do Ederson), esse facto acabou por se refletir no números finais desse Benfica 3 - Arouca 0, uma vez que ao intervalo, o Benfica tinha 25 entradas na área do Arouca, 89% de eficacia de passe e 75% de posse de bola e acabou a partida com o total de apenas 31 entradas na área do Arouca, 82,1% de eficacia em 474 passes e 56,3% de posse de bola. Foi uma grande quebra na 2ª parte!

Jogar em inferioridade numérica é muito diferente de jogar em superioridade numérica, que não restem duvidas! O clube que joga sistematicamente em superioridade númerica está a competir em condições muito mais vantajosa que que qualquer clube que não usufrua de expulsões favoráveis.


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Penaltis - Porto, Benfica, Braga e Sporting (Comparação estatística)

Atualização dos dados após a 22ª Jornada desta época 2016/17.  
Nestas últimas 9 temporadas, o F. C. Porto beneficiou de 80 penaltis favoráveis em 270 jogos. 
Será que até ao final desta temporada 2016/17 no agregado de 9 épocas, mais alguma outra equipa atingirá os 80 penaltis favoráveis que o F. C. Porto já usufruiu até este momento? 
Os mais próximos são o Benfica que tem neste momento 67 (logo faltam-lhe 13 para atingir os números do F. C. Porto) e o Sporting que tem 61 penaltis favoráveis assinalados (logo faltam-lhe 19 para atingir os números do F. C. Porto). 

O ataque do F. C. Porto tem nesse período 586 golos marcados (ou seja, beneficiou de 1 penalti favorável por cada 7,3 golos que conseguiu marcar), o Benfica tem 616 golos marcados (ou seja em média precisa de marcar 9,1 golos para poder beneficiar de 1 penalti favorável) e o Sporting tem 451 golos marcados (ou seja, beneficiou de 1 penalti favorável por cada 7,4 golos marcados)

Nas últimas 9 épocas (270 jogos), o F. C. Porto teve a sorte de ter usufruido de mais 13 penaltis favoráveis assinalados que o Benfica, mesmo tendo um ataque que marcou menos 30 golos que o Benfica! O Benfica conseguiu conquistar 645 pontos, ou seja mais 1 ponto que o F. C. Porto que conquistou 644 pontos! Benfica foi o único clube que conseguiu conquistar mais pontos que outro clube que beneficiou de mais penaltis favoráveis que ele, pois o Sporting obteve mais penaltis e fez mais pontos que o Braga, o Benfica obteve mais penaltis e fez mais pontos que o Sporting, só o F. C. Porto obteve mais penaltis e mesmo assim não foi capaz de conquistar mais pontos que o Benfica.
O Benfica conquistou mais 109 pontos que o Sporting (645-536 pontos) e marcou mais 165 golos que o Sporting (tendo beneficiado de apenas mais 6 penaltis favoráveis que o Sporting nas últimas 9 épocas)! Ou seja, se o Benfica tivesse jogado nas mesmas condições que o Sporting, nos primeiros 451 golos marcados em que beneficiaria em média de 1 penalti por cada 7,4 golos marcados, quereria dizer que nos restantes 165 golos que marcou beneficiando de 6 penaltis, em média só depois de marcar mais de 27 golos beneficiaria de 1 penalti favorável nesses 165 golos que marcou a mais que o Sporting. 


  Queres saber quantos penaltis o teu clube já beneficiou nos últimos 9 anos (270 Jogos)?
                   E sabes quantos pontos conquistou diretamente com esses penaltis?

        Queres saber quantos penaltis o teu clube já sofreu nos últimos 9 anos?
                   E sabes quantos pontos perdeu diretamente com esses penaltis sofridos?
Estás no sítio certo para ficares a conhecer as condições arbitrais com as quais os clubes competiram em Portugal nos últimos 9 campeonatos.


Algumas Curiosidades no acumulado de penaltis destes últimos 9 campeonatos:

  • Nestas últimas 9 épocas, o F.C. Porto teve a sorte de ser o clube que competiu com as melhores condições arbitrais na nossa liga, beneficiando de um saldo favorável de 60 penaltis a mais do que aqueles que sofreu, tendo aproveitado tal facto para nos 270 jogos oficiais conquistar 644 pontos, podemos concluir que beneficiou de um penalti por cada 11 pontos que conquistou nas últimas 9 épocas, enquanto que o Benfica no mesmo nº de jogos beneficiou de um saldo favorável de 42 penaltis a mais do que aqueles que sofreu, conquistando 645 pontos, ou seja, em média beneficiou de um penalti por cada 15 pontos que conquistou na liga. Em média os 4 candidatos usufruiram de competir com 1 penalti favorável por cada 16 pontos conquistados na Liga Nós. O Sporting nestas últimas 9 épocas competiu beneficiando de um saldo favorável de 29 penaltis e conquistou 536 pontos, ou seja beneficiou de um penalti a favor por cada 18 pontos conquistados.
  • Nestas últimas 9 épocas, o F.C. Porto é a equipa que beneficiou de mais penaltis, 80 no total, o segundo clube foi o Benfica, que beneficiou de  67 penaltis favoráveis. Podemos verificar que em média cada um dos 4 candidatos ao título beneficiou de 64 penaltis.
  • Quanto aos penaltis desfavoráveis sofridos, o Braga (-34) e o Sporting (-32) foram as equipas que mais penaltis desfavoráveis sofreram, segue-se o Benfica que sofreu (-25) penaltis e por fim o F.C. Porto que sofreu apenas (-20) penaltis desfavoráveis, sendo pois, a única equipa que claramente sofreu menos penaltis desfavoáveis do que a média dos 4 candidatos, que é de 28 penaltis desfavoráveis sofridas.
  • Nos últimos 9 campeonatos, a equipa que conquistou mais pontos nos jogos em que não beneficiou de penaltis favoráveis, foi o Benfica que conquistou 498 pontos em 211 jogos (79% dos pontos), enquanto o F.C. Porto conquistou 447 pontos nos 195 jogos em que não beneficiou de um penalti a favor (76% dos pontos). Assim,  nas últimas 9 épocas, se somente consideramos os jogos em que estas equipas não beneficiaram de penaltis favoráveis, o Benfica foi capaz de conquistar mais 51 pontos que o F.C. Porto! O F.C. Porto teve a sorte de beneficiar de penaltis favoráveis nos últimos 9 campeonatos em mais 15 jogos que o Benfica e no total dos 75 jogos que beneficiou de penaltis arrecadou 200 pontos, ou seja mais 50 pontos do que o Benfica arrecadou nos 59 jogos em que este beneficiou de penaltis favoráveis.
  • Nas condições arbitrais em que a competição decorreu nestes últimos 9 anos, somente com os penaltis a favor,  o F.C. Porto teve oportunidade de acrescentar mais 31 pontos que o Benfica diretamente com um penalti favorável. O F.C. PORTO NESTAS 9 ÉPOCAS TEVE HIPOTESE DE ACRESCENTAR MAIS 88 PONTOS (39*2pontos+10*1ponto) DIRETAMENTE COM ESSES PENALTIS A FAVOR, SE TODOS OS PENALTIS QUE BENEFICIOU SE TRANSFORMASSEM NO SEU ÚLTIMO GOLO NA PARTIDA enquanto que O BENFICA TEVE HIPÓTESE DE ACRESCENTAR MAIS 57 PONTOS(24*2pontos+9*1ponto) DIRETAMENTE COM ESSES PENALTIS A FAVOR, SE TODOS ESSES PENALTIS  SE TRANSFORMASSEM NO SEU ÚLTIMO GOLO DA PARTIDA.
  • Se considerarmos somente os jogos em que os clubes candidatos ao titulo não sofreram um penalti contra, constatamos que o rendimento médio do Benfica nesses jogos corresponde em média a 82% dos pontos disputados arrecadados quando não sofre um penalti desfavorável e nas mesmas condições o F.C. Porto conquista 80% dos pontos disputados em média nas últimas 9 épocas, nos jogos em que não sofreu um penalti desfavorável. A diferença é que o F.C. Porto nas últimas 9 épocas disputou apenas 20 jogos em que foi penalizado com penaltis desfavoráveis e o Benfica disputou 24 jogos em que sofreu penaltis desfavoráveis. O Benfica em 6 desses jogos em que sofreu penaltis também beneficiou de um penalti favorável, enquanto que o F.C. Porto, em 7 desses jogos também beneficiou de 1 penalti a favor, ou seja, nestas últimas 9 épocas, o F.C. Porto apenas por 13 jogos foi obrigado a disputar a partida com mais penaltis desfavoráveis que favoráveis e o Benfica em 18 jogos. Parece incrível mas é a realidade, em 270 jogos das últimas 9 épocas, apenas por 13 vezes, o F. C. Porto disputou jogos em que teve desvantagem nos penaltis assinaldados!
  • Dos 25 penaltis desfavoráveis assinalados ao Benfica, 18 deles se transformaram no último golo sofrido na partida pelo Benfica e coincidentemente, representaram 16 pontos perdidos diretamente com o efeito desse golo de penalti. Dos 20 penaltis contra o F.C. Porto, 12 deles se transformaram no último golo sofrido no jogo pelo F.C. Porto, resultando do efeito direto disso, apenas 3 pontos perdidos diretamente em consequência de um último golo sofrido de penalti nas últimas 9 épocas.
  • Nos confrontos directos entre os 4 candidatos ao titulo nas últimas 9 épocas, o F.C. Porto beneficiou de 12 penaltis a favor e sofreu 4 desfavoráveis, o Benfica beneficiou de 9 penaltis favoráveis e sofreu 9 penaltis contra, o Braga beneficiou de 5 e sofreu 7 contra e o Sporting beneficiou de 3 penaltis favoráveis e sofreu 9 penaltis desfavoráveis. 

Como se pode ver no quadro seguinte, todas as equipas têm um rendimento médio geral e melhoram o seu desempenho quando se analisa separadamente o seu desempenho apenas nos jogos em que beneficiaram de penaltis favoráveis e pioram o seu desempenho médio quando consideramos somente os jogos em que sofrem grandes penalidades desfavoráveis. Por exemplo, sendo o rendimento médio geral do Benfica nos 270 jogos destas últimas 9 épocas de 79% dos pontos conquistados,  nos 59 jogos que beneficiou de um penalti a favor o Benfica conquistou 83% dos pontos e em todos os 24 jogos que sofreu um penalti contra conquistou em média apenas 51% dos pontos em disputa nesses jogos. Este é o efeito estatístico médio de usufruir ou sofrer 1 penalti no rendimento de uma equipa como o Benfica.





 Curiosidades 
ANALISE DE PENALTIS ASSINALADOS COM PONTOS DIRETAMENTE EM DISPUTA
Somente quando a equipa está empatado ou a perder por um golo de diferença é que o penalti a favor poderá se transformar numa decisão arbitral com influência direta na repartição dos pontos.
                                                   
** Concentrando a nossa atenção especialmente nos penaltis que potencialmente podem alterar diretamente a repartição dos pontos, verificamos que, o F. C. Porto na competição tem um saldo favorável de 35 penaltis com os quais diretamente pode melhorar o seu desempenho pontual na partida enquanto que o Benfica obteve um saldo favorável de apenas 16 penaltis que potencialmente podem influenciar diretamente o seu desempenho pontual e o Sporting obteve um saldo favorável de apenas 12 desses penaltis que valem pontos. O F.C. Porto na competicão pelos títulos benefeciou de mais do dobro de penaltis que o Benfica ou Sporting (daqueles penaltis que diretamente podem alterar os pontos conquistados)!

Analisando principalmente as decisões arbitrais desfavoráveis com potencial para alterar diretamente a distribuição dos pontos em disputa, que foram os 11 PENALTIS  DESFAVORÁVEIS AO F.C. PORTO, SE TODOS SE TRANSFORMASSEM NO SEU ÚLTIMO GOLO SOFRIDO NESSAS PARTIDAS SEM QUE CONSEGUISSE MARCAR MAIS  NENHUM, POTENCIALMENTE ESSAS DECISÕES ARBITRAIS LHE  PROVOCARIAM DIRETAMENTE A PERDA DE  15 PONTOS (5*2pontos+6*1ponto), de notar que apenas por 4 ocasiões correu o risco de não pontuar diretamente por ter sofrido um penalti, uma vez que os outros 2 foram desperdiçados. QUANTO AO BENFICA SE TODOS ESSES 15 PENALTIS DESFAVORÁVEIS SE TRANSFORMASSEM NO SEU ÚLTIMO GOLO SOFRIDO NA PARTIDA SEM QUE MARCASSE MAIS NEHUM, POTENCIALMENTE ESSAS DECISÕES ARBITRAIS LHE PROVOCARIAM DIRETAMENTE A PERDA DE  17 PONTOS(2*2pontos+13*1ponto). 

Imagine hipoteticamente que todos os pontos acrescentados com o último golo de penalti não seria contabilizados por serem PONTOS COM INFLUENCIA ARBITRAL DIRETA.
Efetivamente, o F.C. Porto nestas 9 épocas acabou acumulando mais 18 PONTOS COM INFLUENCIA ARBITRAL DIRETA que o Benfica (diretamente com um último golo de penalti). Ou seja, é indiscutível que o F.C. Porto obteve melhor aproveitamento direto das decisões arbitrais (penaltis assinalados) do que o Benfica. Assim, fica provado que com equidistância nas decisões arbitrais relevantes (penaltis), no acumulado dos 270 jogos, o F. C. Porto não teria apenas menos 1 pontos conquistados comparativamente ao Benfica como reflete o somatório oficial (645-644 pontos).





BENFICA - Total de 67 Penaltis a favor nas últimas 9 épocas, discriminados no quadro que se segue:








BENFICA - Total de 25 Penaltis Contra nas últimas 9 épocas,  discriminados no quadro que se segue:










fontes: Liga Portuguesa de Futebol Profissional     e       Football-Lineups
http://www.ligaportugal.pt/              

Curiosidades:
Dos 175 pontos possíveis nos 59 jogos a equipa conquistou 147 pontos, logo nas partidas em que beneficia de um penalti a favor, o Benfica teve um aproveitamento de 83% dos pontos em disputa.

Nos últimos 9 campeonatos o Benfica beneficiou de 67 penaltis, em 59 jogos, sendo que em 6 deles também sofreu um penalti contra e noutro sofreu mesmo 2 penaltis contra, ou seja podemos considerar que disputou 60 desses jogos com uma arbitragem favorável no que toca a penaltis, dos quais apenas não conseguiu vencer 7 partidas.
As decisões arbitrais sem grande importância são os 34 penaltis a favor que aconteceram quando a equipa já estava a vencer e um que aconteceu quando já perdia por 2 golos de diferença, assim nos jogos analisados das últimas 9 épocas, existem 34 partidas com decisões arbitrais que objetivamente poderiam permitir melhorar o desempenho desportivo do Benfica.

Nestes últimos 9 campeonatos, o Benfica tendo sido penalizado com 25 penaltis contra, em 10 desses jogos o clube acabou por perder mais 16 dos pontos, diretamente com esse último golo sofrido de penalti nesses jogos.

Dos 72 pontos em disputa nesses 24 jogos em que sofreu 1 penalti contra, conquistou 37 pontos, ou seja, apenas teve 51% de aproveitamento dos pontos em disputa nos jogos em que sofreu um penalti, sendo que a percentagem de aproveitamento dos pontos em disputa nos restantes 246 jogos em que não sofreu um penalti desfavorável, foi de 82%.

Foram 24 os jogos em que ocorreram penaltis desfavoráveis ao Benfica, sendo que em 6 deles, o saldo de penaltis  é nulo, pois também beneficiou de penaltis a favor nesses jogos, ou seja disputou efetivamente 18 partidas influenciadas negativamente por decisões arbitrais desfavoráveis (penalti contra).
Quase metade dos penaltis sofridos pelo Benfica nos últimos 9 anos foram assinalados pelos árbitros Pedro Proença, Jorge Sousa e Artur Soares Dias, cada um destes árbitros assinalou 3 penaltis contra o Benfica.

Agregando os 270 jogos, o Benfica acabou por conseguir acrescentar 10 pontos através de um último golo de penalti a favor e também perder 16 pontos em consequência direta de um último golo sofrido de penalti, ou seja, por haver decisões arbitrais com influência direta no desempenho das equipas, o Benfica tem um saldo de (4) pontos perdidos com influência arbitral direta, ao contrário do que seria expectável acontecer com um candidato ao titulo num acumulado de tantos jogos (9 campeonatos). Este saldo contrasta com os 17 pontos positivos acrescentados pelo F. C. Porto no mesmo período em consequência direta de um último golo de penalti, sendo que apenas perdeu 3 pontos diretamente com um último golo sofrido de penalti, ou seja tem um saldo de 14 pontos acrescentados diretamente com os últimos golos de penalti.  
Somente diretamente com os últimos golos de penaltis, as decisões arbitrais criaram uma diferença de 18 pontos entre F. C. Porto e Benfica nos últimos 9 campeonatos.
                                                                                           


F.C. Porto - Total de 80 Penaltis a favor nas últimas 9 épocas, discriminados no quadro que se segue:











F.C. Porto - Total de 20 Penaltis Contra nas últimas 9 épocas,  discriminados no quadro que se segue:






Nas partidas em que ocorre um penalti a favor, em 225 pontos possíveis nos 75 jogos a equipa conquistou 194 pontos, ou seja, o F. C. Porto teve um aproveitamento de 87% dos pontos em disputa nos jogos em que beneficia de um penalti favorável.

Nos últimos 9 campeonatos o F. C. Porto beneficiou de 80 penaltis, em 75 jogos, sendo que em 7 deles também sofreu um penalti contra, ou seja podemos considerar que teve uma arbitragem favorável em 73 desses jogos, dos quais somente em 10 não conseguiu vencer.
As decisões arbitrais sem grande importância foram os 29 penaltis a favor que aconteceram quando a equipa já estava a vencer e 2 situação em que já estava a perder por mais de 1 golo de diferença. 

Nestes últimos 9 campeonatos, o F. C. Porto tendo sido penalizado com 20 penaltis contra, em 7 desses jogos beneficiou também de um penalti a favor, ou seja teve de facto 13 jogos com decisões arbitrais desfavoráveis. Apenas perdeu 3 pontos diretamente com um último golo sofrido de penalti nesses jogos. Em 6 desses jogos estava a vencer por mais de 1 golo e noutro já estava a perder por 1, jogo que acabou por não vencer. Nos 13 jogos com desvantagem no nº de penaltis assinalados nos últimos 9 campeonatos, somente em 8 desses penaltis contra, essa decisão desfavorável poderia ter influência no marcador ao ponto de alterar diretamente a pontuação final do F.C. Porto nesses jogos.
 Dos 60 pontos em disputa nesses 20 jogos em que teve um penalti contra, acumulou 42 pontos, ou seja, teve 75% de aproveitamento dos pontos em disputa nos jogos em que sofreu um penalti. Baixa apenas ligeiramente o seu rendimento médio nesses jogos, uma vez que quase não sofreu penaltis potencialmente prejudiciais ao seu desempenho pontual, ou seja com pontos em disputa diretamente.
No acumulado dos 270 jogos o F. C. Porto acabou acrescentando diretamente 17 pontos por influência de penaltis favoráveis e apenas perdeu 3 pontos por consequência direta de um penaltis contra, ou seja beneficiou de um saldo favorável de 14 pontos por haver decisões arbitrais (penaltis) com influencia direta no desempenho das equipas.

Segue o discriminativo de todos os penaltis a favor do Braga nas últimas 9 épocas e a % de aproveitamento dos pontos em disputa nos jogos em que beneficiou de 1 penalti:





Segue o discriminativo de todos os penaltis contra do Braga nas últimas 9 épocas e a % de aproveitamento dos pontos em disputa nos jogos em que sofreu 1 penalti:








Segue o discriminativo de todos os penaltis a favor do Sporting nas últimas 9 épocas e a % de aproveitamento dos pontos em disputa nos jogos em que beneficiou de 1 penalti:








Segue o discriminativo de todos os penaltis contra o Sporting nas últimas 9 épocas e a % de aproveitamento dos pontos em disputa nos jogos em que sofreu 1 penalti:




Até este momento nas últimas 9 épocas, comparando o saldo final de penaltis, o Benfica competiu beneficiando de menos 18 penaltis do que o F.C. Porto beneficiou e mesmo assim, acabou conquistando mais 1 ponto que o F.C. Porto (645 contra 644 pontos), nesses 270 jogos disputados. Atenção que no máximo, com 17 penaltis podem ser acrescentados mais 36 pontos, se todos esses penaltis forem assinalados com o jogo empatado. 

Caro leitor, acredita que as decisões arbitrais fazem diferença no rendimento desportivo, ou não?
Mantendo-se as capacidades competitivas que as 2 equipas tem apresentado, se o Benfica tivesse benficiado de mais 36 penaltis favoráveis e assim tivesse competido com uma vantagem de 18 penaltis sobre o F.C. Porto, então nesse caso qual das 2 teria conquistado mais pontos nas últimas 9 épocas e equipa teria obtido a maioria dos 9 títulos de campeão? Se sabe a resposta é porque sabe que as decisões arbitrais tem influência no rendimento desportivo dos clubes.
Os desempenhos médios do Benfica superiores ao do F. C. Porto nos jogos sem penaltis assinalados, demonstram claramente que assim aconteceria no total de todos os jogos se não tem existido uma grande diferença no nº de penaltis entre as 2 equipas. A grande diferença no número de penaltis entre o F. C. Porto e o Benfica é que permitiu que as duas equipas tenham neste momento praticamente o mesmo rendimento pontual nestas últimas 9 épocas, com o Benfica a conquistar 645 pontos e o Porto a conquistar 644 pontos.


Depois de conhecer os números agregados das últimas 9 épocas alguém acredita que o F.C. Porto, com menos 36 penaltis favoráveis teria sido capaz de conquistar 4 dos 8 últimos campeonatos já atribuidos, restando ao Benfica os outros 4?




Será que a Liga Portuguesa decorre num Fotografia ?

Agradecemos comentários com as questões mais pertinentes que estes números oficiais evidenciam.