domingo, 28 de maio de 2017

Fina ironia ou o ridículo de despedir treinadores campeões


Bastante eufórico pela comemoração dos 30 anos da conquista do 1º trofeu europeu do clube, Pinto da Costa esqueceu as recentes tristezas e lá lançou uma boca a ríval, coisa que já não fazia a muito.

Aparentemente Pinto da Costa ainda acredita que voltará aos tempos em que entretinha os seus apanagiados com bocas dirigidas ao Benfica.
Era o tempo da fina ironia! Só que alguém lhe deve avisar que a fina ironia só resulta para quem consegue vitórias dentro do campo.

É que nos tempos actuais que o seu clube vive, é ridículo essa postura. Os portistas seguramente não estão com disposição para esse tipo de brincadeiras, todos sabem que desde que despediu Vitor Pereira em , o clube não venceu mais nenhum campeonato nacional ou prova europeia, nenhuma Taça de Portugal, nem sequer uma Taça da Liga para amostra para garantir que Pinto da Costa tinha razão ao ter prescindido dos serviços do Vitor Pereira.

Pinto da Costa não despediu o Bella Gutman, mas pelos vistos também está a ser vitima das palavras do último treinador campeão pelo F. C. Porto, o Vitor Pereira que ressabiado por não lhe terem valorizado o trabalho desenvolvido nas 2 épocas em que foi bi-campeão com apenas 1 derrota nesses 60 jogos disputados para o campeonato. Vitor Pereira lançou a maldição que o F. C. Porto não consegueria voltar a vencer tão cedo depois da sua saída.


O pior para o Pinto da Costa é que o Vitor Pereira não limitou a maldição para os próximos 50 anos como o Bella Gutman. Por isso, seria de todo avisado, não fazer piadas com as maldições que os últimos treinadores campeões deixam aos clubes, quando se consideram injustamente despedidos.

Provavelmente é esse despedimento do Vitor Pereira, claramente injustificado a luz dos resultados desportivos alcançados e dos subsuquentes despedimentos do Paulo Fonseca, do Lopetegui, do José Peseiro e agora o do Nuno Espírito Santo que fez com que as primeiras escolhas do clube (Marco Silva e Sergio Conceição) para atacar a temporada 2017/18 estejam neste momento, todos a declinar os convites do F. C. Porto. Pinto da Costa diz que felizmente não tratou mal o Bella Gutman mas omite que infelizmente o F. C. Porto tratou mal o Vitor Pereira e provavelmente ainda algum dia vão ter que o voltar a convidar novamente para dirigir a equipa, reconhecendo o erro cometido.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

VIDEO-ÁRBITRO NA FINAL DA TAÇA DE PORTUGAL

Disse Rui Vitória - «Final da Taça não seria o momento adequado para introduzir o video-árbitro» 

Rui Vitória considera o jogo de uma final da Taça de Portugal muito importante para ser utilizado como um momento experimental antes do uso generalizado no campeonato da próxima época.

Rui Vitória já tem no currículo uma Taça de Portugal, conquistada ao serviço do Vitória de Guimarães, numa partida em que o Guimarães marcou o 1-1 que deu início a reviravolta no marcador, na sequência de um fora-de-jogo (o Jorge Sousa seria obrigado a invalidar este golo, se nessa altura o Video-árbitro já estivesse em vigor, pois o fora-de-jogo é evidente e esse erro arbitral do Jorge Sousa bem visível a olho nu não passaria sem a devida correcção pelo Video-árbitro). 


Por isso, Rui Vitória, não há que temer o uso de auxílio tecnológico ao trabalho do arbitro neste decisiva final, mesmo sendo ainda numa fase embrionária da sua utilização, o simples facto de existir a posibilidade de ajuda atráves um video-arbitro, em princípio será benéfico para a definição do justo vencedor de um troféu importante como a Taça de Portugal, respeitando escrupulosamente as leis do jogo. 

O F. C. Porto na sua publicação Dragões Diário interpretou as palavras acima do Rui Vitória como sendo, de técnico que não quer que os erros arbitrais sejam corrigidos pelos Videos-árbitros, quando o foco do Rui Vitória, seria mais de que numa final se deve utilizar ferramentas já bastante experimentadas, pois qualquer erro arbitral com influência no resultado que ocorra numa final é algo que perdurará na memória dos adeptos, logo o processo de decisão arbitral com a ajuda do Video-árbitro, a ser utilizado numa importante partida como uma final em que está em jogo uma Taça, nunca seria aconselhável o uso de alguma tecnologia ainda em fase experimental.

Eis, aqui o que foi publicado pelo Dragões Diário sobre a declaração do Rui Vitória:
Veremos o que dirá o Rui Vitória ou o Pedro Martins no final desta partida. Que vença o melhor.

No Domingo já veremos como foi a actuação do arbitro Hujo Miguel e qual foi o contributo da cooperação dos Video-árbitros Artur Soares Dias e Jorge Sousa para que esta partida tenha uma arbitragem o mais isento de erros arbitrais relevantes possíveis. Ou será que vamos ter algum golo irregular como na última final da Taça de Portugal entre o Benfica e o Guimarães.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Se o Samaris soubesse apertar pescoços ou dar coteveladas na nuca, estava safo.

Agora, como não aprendeu como se faz nem uma coisa nem outra, leva o castigo mais pesado da época.

Samaris foi punido com 4 jogos de castigo, pelo escaramuça com o Diogo Ivo na 28ª jornada!


Pode ver a publicação do castigo acima referido no sitio da Liga Portuguesa de Futebol Profissional.
Na mesma 28ª jornada, aconteceu uma situação semelhante envolvendo o Edson Farias, cujo castigo pela aplicação do mesmo nº1 do Artº19 e nº1 do Artº151 também saiu hoje. A única diferença é que neste caso foram aplicados 3 jogos de castigo e não os 4 que foram aplicados ao Samaris.
Podemos dizer que felizmente para o Edson, o Feirense joga de azul e não de vermelho! É isso! Aparentemente o vermelho fere mais a vista, pelo menos dos membros do Conselho de Disciplina.

Coitado do Samaris, que antes deste incidente, vinha cumprindo sempre os 90 minutos desde a 23ª jornada até a 27ª jornada! Após esse lance ocorrido 28ª jornada, foi castigado internamente pelo Benfica não tendo sido utilizado nas 3 jornadas seguintes (29ª, 30ª e 31ª jornada). Sim, castigo interno, pois o Rui Vitória nesses 3 jogos utilizou quer o Fejsa, quer o Filipe Augusto e ninguém acredita que precisando o treinador de utilizar 2 elementos do plantel com caracteristicas semelhantes ao do Samaris, o próprio Samaris não fosse um dos escolhidos, se o critério fosse somente uma consequência do rendimento desportivo anterior. Na pratica, Samaris cumprirá 7 jogos de castigo! Não sabemos qual é o prémio de jogo por cada vitória que os jogadores do Benfica participam, mas parece-me que o Samaris em 7 jogos vai ter um prejuízo maior de que um ano inteiro de prémios que o Diogo Ivo usufruirá nesta sua temporada de muito sucesso. Provavelmente esta é a época em que receberá mais prémios de jogo na sua carreira. Que ao Diogo Ivo, nunca aconteça nenhum caso semelhante em que um adversário que não sentiu nenhum soco no momento o acuse mais tarde de o ter agredido, de modo a não ser tão penalizado financeiramente e de modo a que possa estar sempre disponível para disfrutar do que mais gosta de fazer (jogar futebol), tal como o Samaris também gostaria de poder disfrutar. Ao Samaris já lhe chega a concorrência interna que tem de enfrentar para poder ter oportunidade de jogar, não necessita desta perseguição que lhe foi movida, quando a poucos meses o seu agressor (Slimani) apenas cumpriu um jogo de castigo, por uma cotevelada na nuca!

Ninguém compreende o que pensam os elementos do Conselho de Disciplina, sobre a forma como deve ser aplicada a Disciplina, se é para ser aplicada independentemente do clube onde joga o prevaricador, se deve haver jurisprudência ou não.
O Jardel aqui apanhou 2 jogos e o agredido José Soares foi suspenso por 3 jogos. 

Há 11 meses, em 02/06/2016, saiu a deliberação do castigo de 1 jogo de suspensão ao Slimani por ter  agredido barbaramente, o Samaris com uma cotevela na nuca (movimento muito perigoso e que nem nos desportos de combate é permitido, uma vez que põe em risco a vida do adversário).  Mantendo a jurisprudência do caso Slimani julgado a 11 meses pelo Conselho de Disciplina, o Samaris teria de dar quatro coteveladas iguais a esta do Slimani para ter de cumprir uma suspensão de 4 jogos de castigo!


O que é que aconteceria ao Samaris, se tem descarregado a sua fúria, no pescoço do Diogo Ivo?
Samaris hoje, deve estar bem arrependido ..., ou será só de não ter apertado o pescoço ao Diogo Ivo?
É que se tem apertado o pescoço do adversário, aparentemente não teria sido acusado pelo Sporting.

Nesta altura, o Samaris já deve ter recebido diversos conselhos de como se deve comportar, para não voltar a ficar suspenso por 4 jogos. Ele que ponha olhos na atitude competitiva do Super Slimani lhe aconselharão os sportimguistas ou ele que ponha os olhos no Corona ou no Maxi, aconselharão os ferrenhos portistas, para aprender como deve reagir da próxima vez que se chatear com o adversário.

Pelos vistos aos olhos dos elementos do Conselho de Arbitragem, em discusão com o adversário somente é tolerável apertar o pescoço. Só é de esperar, que no futuro quando alguém se chateiar com eles, que não tenha a reacção pífia do Samaris mas sim que os aperte o pescoço ao estilo do Corona ou do Maxi, pois pelos vistos para eles, são muito mais fáceis de tolerar sem a devida penalização.
Ou é de mim, ou quando for no pescoço deles, ai vão logo demonstrar alguma sensibilidade ao caso.
Se estás chateado com o adversário, então podes apertar-lhe o pescoço sem castigo. - Que mensagem!
Somente assim será possível a um atheta profissional demonstrar a sua fúria com o adversário, sem que tal seja merecedora de sanção aos olhos dos elementos do Conselho de Disciplina.

PS: Se vestes de vermelho e não as riscas, já sabes que não podes apertar o pescoço sem penalização, não sabes Samaris?