sábado, 23 de junho de 2018

Aquecem os motores para o arranque da nova época

Ainda estamos em pleno defeso, mas já são evidentes os sinais de como os tradicionais candidatos ao título nacional, estão a trabalhar para dotar as suas equipas com os melhores jogadores possíveis para o orçamento que tem disponível para esta temporada. No futebol normalmente quanto maior é o investimento que é feito no plantel da equipa maiores são as probabilidades de sucesso desportivo.


  • F. C. Porto

O F. C. Porto foi a equipa com o maior orçamento para o futebol na época 2017/18, consequentemente conseguiu conquistar o título de campeão nacional. Durante a temporada suportou custos com o pessoal de aproximadamente 80 milhões € (nas contas publicadas no final do 1º semestre já tinha consumido mais de 38 milhões € e no 2º semestre além dos prémios atribuídos pelo título conquistado, aumentou o Custo do Pessoal com a contratação do Osório, Paulinho, Waris e Gonçalo Paciência sendo que apenas saiu o Layun). Uma vez que, estes recorrentes custos excessivos anuais levam a resultados económicos cada vez mais deficitários a cada ano que passa, finalmente para a próxima época (2018/19) a SAD portista prepara uma redução dos custos com o seu plantel, atráves das saídas do elenco do Ricardo Pereira, Diogo Dalot, Marcano, Reyes, Maxi Pereira, sendo que ainda só entraram os jovens laterais direitos João Pedro e Saidy Janko.
Principais espectativas para ver qual destes 2 laterais direito vai assumir a titularidade nesta época e quem será o central titular a contratar.


  • BENFICA

O Benfica que foi o 2º classificado da época 2017/18, nas contas publicadas do 1º Semestre suportou 35 milhões € com o Pessoal (no 2º semestre já não contou com o Julio Cesar, Lisandro Lopez, Filipe Augusto e Gabriel Barbosa), deverá ter terminado a temporada com Custos com Pessoal no valor total de aproximadamente de 70 milhões de €. Qualquer candidato ao título que gaste menos 10 milhões € que o adversário no seu plantel muito dificilmente/excecionalmente conseguirá terminar essa época como o campeão nacional. Esta temporada mais uma vez, ficou provado que no futebol é o dinheiro que permite construir equipas de sucesso. A direção do Benfica no atual defeso, ao contrário do anteior ainda não vendeu nenhum dos titulares da equipa e tem-se revelado bem ativo no mercado, tendo conseguido contratar o Facundo Ferreyra, Nicolás Castillo, Cristián Lema, Germán Conti, Tyronne Ebuehi, Alfa Semedo, Chiquinho, João Amaral e Odysseas Vlachodimos. Neste defeso terminaram contrato com o Benfica, o Paulo Lopes, o Eliseu e o Douglas, sendo que o Luisão ainda poderá renovar por mais uma época ou assimir novas funções no clube e do elenco que terminou a temporada apenas o Raúl Jimenez já foi transacionado.
Principais espectativas para ver o rendimento do Facundo Ferreyra, Nicolás Castillo, Cristián Lema, Germán Conti, Tyronne Ebuehi e Odysseas Vlachodimos.












  • Sporting

No Sporting pediram a rescisão com justa causa 9 jogadores (Rui Patrício, William Carvalho, Battaglia, Bruno Fernandes, Gelson Fernandes, Bruno Ribeiro, Podence, Rafael Leão e Bas Dost) e terminou o empréstimo do Fábio Coentrão. Houve também a troca no comando técnico, com a saida do Jorge Jesus e a entrada do Mihailjovic. Como se vê a próxima época será uma equipa praticamente toda nova no Sporting, para já foram contratados o Guarda-Redes Emiliano Viviano e os jogadores de campo, Bruno Gaspar, Marcelo e Raphinha.
Principais espectativas para ver o rendimento do Emiliano Viviano, Bruno Gaspar e o Raphinha.





terça-feira, 12 de junho de 2018

Os árbitros despromovidos no final da época 2017/18

Não se conhecem as razões deste secretismo mas este ano não foi publicado a classificação final dos árbitros, apenas saiu a informação sobre os 3 árbitros despromovidos e a indicação de que o Artur Soares Dias foi o 1º classificado.

Pode consultar aqui a classificação da época anterior (2016/17). 

Como é normal, depois de finalizada a época, faz-se uma avaliação do desempenho durante a época de cada um dos árbitros, dando origem a classificação final dos árbitros. Com base nessa classificação final, identifica-se os 3 piores classificados, aqueles que vão ser despromovidos. Aparentemente ainda estão pendentes os recursos apresentados por estes árbitros a esta despromoção, em virtude do Vasco Santos (Porto) ter inicialmente apresentado atestado médico e depois apitado a 2ª parte do Estoril-F. C. Porto sem que tenha sido averiguado sobre a validade do atestado médico apresentado. Este ano os árbitros despromovidos foram o Gonçalo Martins (Vila Real), Bruno Esteves (Setúbal) e o Luís Ferreira (Braga).


  • Gonçalo Martins, jovem arbitro de 33 anos, que se estreou na 1ª Liga nesta época 2017/18, tendo realizado apenas 8 jogos na Liga Nós. O único jogo envolvendo os grandes que dirigiu foi o Benfica-Portimonense, uma vez que, não foi nomeado para nenhum jogo do F. C. Porto ou Sporting durante todo o campeonato 2017/18! Terá sido prejudicado na classificação por não ter jogos com elevado grau de dificuldade apitados?
  • Bruno Esteves, que tinha sido o 13º classificado em 2016/17, nesta última época apitou 14 jogos da 1ª Liga, sendo que 1 desses jogos envolvia o Sporting e outro o Benfica e não foi nomeado para nenhum jogo do F. C. Porto nesta época 2017/18! Terá sido prejudicado na classificação por não ter sido nomeado para muitos jogos envolvendo os candidatos ao título. Terá sido prejudicado na classificação por não ter sido nomeado para muitos jogos com elevado grau de dificuldade ou dirigiu em 2017/18 mais jogos importantes do que a sua classificação da época anterior aconselhava?
  • Luís Ferreira, que tinha sido o 19º classificado em 2016/17 (o último classificado dos que não desceram), época em que teve péssimos desempenhos no F. C. Porto-Tondela e no Benfica-Boavista, acabou finalmente por ser despromovido nesta última temporada em que apitou 15 jogos da 1ª Liga, sendo que 2 deles envolvia o F. C. Porto, 1 o Sporting e não foi nomeado para nenhum jogo do Benfica nesta época 2017/18! Terá sido prejudicado na classificação por não ter sido nomeado para muitos jogos com elevado grau de dificuldade ou dirigiu em 2017/18 mais jogos importantes do que a sua classificação da época anterior aconselhava?



quinta-feira, 24 de maio de 2018

GRANDES PENALIDADES FAVORÁVEIS ASSINALADAS NAS ÚLTIMAS 10 ÉPOCAS (BENFICA-F. C. PORTO-SPORTING)

Terminada a temporada, podemos agora comparar os números totais de grandes penalidades favoráveis ao 3 grandes que foram assinaladas em Portugal nas últimas 10 épocas.

Algumas curiosidades estatísticas, das últimas 10 épocas:

  • O F. C. Porto foi a equipa que usufruiu de mais penaltis favoráveis (88 no total), seguem-se o Benfica com 81 penaltis favoráveis e o Sporting com 78 penaltis favoráveis. Quando analisamos a evolução no tempo vemos que nos primeiros 5 anos a vantagem do F. C. Porto (com 48 penaltis favoráveis) foi por demais evidente, pois os rivais nesse período só tiveram 41 e 29 penaltis favoráveis, enquanto que nos últimos 5 anos, a vantagem do Sporting (com 49 penaltis favoráveis) é por demais evidente, pois os rivais no mesmo período só tiveram 40 penaltis favoráveis cada. Exponencial evolução do Sporting que passou de 29 para 49 penaltis favoráveis na ERA Bruno de Carvalho. Terá essa evolução, alguma coisa a ver com o que está a ser investigado na operação CASHBALL.
  • Se é expetável encontrarmos uma correlação positiva entre o total de penaltis favoráveis e o total de golos marcados, na realidade constatamos que a equipa que marcou mais golos nestas últimas 10 épocas foi o Benfica (720 golos marcados), não acabou sendo a equipa que usufruiu de mais penaltis favoráveis efetivamente assinalados. Até pode ter sido a equipa que mais atacou aquela que mais penaltis sofreu como é expetável, mas não foi aquela que usufruiu de mais penaltis assinalados pelos árbitros! Porque será que o melhor ataque não é também a equipa que mais penaltis favoráveis usufrui?
  • Em média, só foi assinalado 1 penalti favorável ao Benfica por cada 8,9 golos marcados, melhor sorte tem o F. C. Porto que, em média usufrui de 1 penalti favorável por cada 7,9 golos marcados, ainda com mais sorte arbitral que os 2 clubes atrás referidos, temos o Sporting que usufrui de 1 penalti favorável por cada 6,9 golos que marcou nas últimas 10 épocas. 
  • O F. C. Porto que tinha marcado 343 golos em 150 jogos dos primeiros 5 anos, nos últimos 5 anos que contemplam 166 jogos marcou apenas 351 golos, já o Benfica que nos primeiros 5 anos tinha marcado 336 golos, agora nos últimos 5 anos marcou 384 golos. Apesar de nas últimas 10 temporadas termos assistido a uma divisão igualitária de campeonatos ganhos pelo Benfica e pelo F. C. Porto, os números demonstram que a competitividade do F. C. Porto tem vindo a decair durante a última década enquanto a do Benfica e a do Sporting tem vindo a aumentar, se bem que a do Sporting ainda não lhe permitiu atingir o topo da classificação final em nenhuma das últimas épocas. 


Este é o quadro resumo dos pontos, golos, penaltis favoráveis consoante o momento em que são assinalados das últimas 10 épocas, divididos em 2 blocos de 5 anos para melhor vermos a evolução dos dados estatísticos.


Vemos que houve alterações ao longo do tempo, uma vez que nos primeiros 5 anos do período de 10 anos em análise, a equipa que mais beneficiou de grandes penalidades favoráveis foi o F. C. Porto com 48 no total desses 5 anos, ou seja usufruiu mesmo de mais 19 penaltis favoráveis que o Sporting que nessa altura era o clube grande que menos penaltis favoráveis usufruia, pois só tinha usufruido de 29 penaltis favoráveis e o Benfica tinha usufruido de 41 penaltis favoráveis nesse período. Já nos últimos 5 anos, o Sporting passou a ser a equipa portuguesa que mais penaltis favoráveis usufrui, no total usufruiu de 49 penaltis favoráveis, enquanto o F. C. Porto e o Benfica apenas usufruiram de 40 penaltis favoráveis cada. Mesmo considerando apenas os penaltis assinaladas que podem diretamente alterar os pontos conquistados (penaltis assinalados com o jogo empatado ou com a equipa a perder por 1 golo de diferença), vemos que com 27 penaltis desses (19 assinalados ainda com o jogo empatado mais os 8 que possibilitam anular uma desvantagem), o Sporting foi a equipa com mais sorte teve com as decisões arbitrais de assinalar penaltis, pois o F. C. Porto teve 25 desses penaltis (19 assinalados ainda com o jogo empatado mais os 6 que possibilitam anular uma desvantagem) e o Benfica teve 20 desses penaltis (14 assinalados ainda com o jogo empatado mais os 6 que possibilitam anular uma desvantagem). O Benfica nestas últimas 5 épocas lutou por um histórico penta que acabou por não atingir, mas como se vê pelos dados estatísticos era muito improvável conseguir ter esse tal sucesso hegemónico de vencer 5 anos seguidos, quando nesse período teve que competir com dois adversários que usufruiram de melhores condições arbitrais (mais penaltis favoráveis), pois quer o F. C. Porto, quer o Sporting usufruiram nesse periodo de mais 5 penaltis assinalados ainda com o jogo empatado do que os 14 que Benfica usufruiu, além de que tendo o Benfica e o F. C. Porto usufruído dos mesmos 6 penaltis favoráveis assinalados quando estavam a perder por 1 golo de diferença, o Sporting acabou usufruindo de mais 2 desses penaltis que permitem anular desvantagens no marcador, pois nas últimas 5 épocas, o Sporting usufruiu no total de 8 penaltis favoráveis assinalados quando estava a perder por 1 golo de desvantagem. Comparando estes últimos 5 anos com os primeiros 5 anos, vemos que o Benfica nos primeiros 5 anos até tinha usufruido de 18 penaltis favoráveis assinalados ainda com o jogo empatado, logo seria de todo improvável obter um penta num período de 5 anos em que só usufruiu de 14 penaltis favoráveis assinalados ainda com o jogo empatado, quando os seus 2 rivais usufruiram em conjunto de 38 penaltis favoráveis assinalados com o jogo empatado (19 o F. C. Porto e 19 o Sporting). Os grandes clubes tendem a aproveitar as vantagens no marcador, todos sabemos que o golo mais difícil de marcar pelos candidatos ao título são aqueles que permitem desbloquear/ganhar vantagem no marcador.