domingo, 13 de janeiro de 2019

Vieira e a decisão importante que tem de tomar urgentemente: Escolher o treinador

Não assumir uma escolha não é tomar uma decisão! Adiar indefinidamente a contratação do melhor treinador possível, não é digno de alguém a quem os sócios incumbiram da responsabilidade de tomar as decisões em defesa dos interesses do Benfica! Há que tomar uma opção! Com os óptimos resultados económicos que o clube tem acumulado nas últimas épocas, ninguèm acredita que o melhor treinador a que o Benfica pode aspirar a ter neste momento é o seu tecnico da equipa B!

Será que Luís Filipe Vieira vai manter Bruno Lage porque teve uma mais uma Luz na última noite, ou essa decisão é para provar que acreditava genuinamente que os adeptos do Benfica ainda iriam sentir saudades do treinador da equipa A que despediram e tudo está a fazer para castigar esses Benfiquistas. Será que ele já sabia que não iria contratar nenhum outro novo técnico, logo o quadro técnico do Benfica iria mesmo ficar mais pobre após a saída do Rui Vitória conforme previu (o clube sempre poupa mais um pouco, apresentando um lucro ligeiramente maior no final da época, mesmo que sacrifique a parte desportiva, pensará o presidente). Será que o Luís Filipe Viera defende que o clube se aguentará vencedor com os recursos técnicos que já possui nos seus quadros? Acreditará ele que nos quadros técnicos, o Benfica já tem pessoal suficientemente qualificados para as ambições desportivas do clube nas suas diversas equipas/escalões ou simplesmente decidiu que os adeptos devem diminuir as suas ambições. 

O Benfica ao passar o treinador da equipa B para a equipa A, se este for realmente um mestre da tática a quem só faltava a oportunidade, então, o mais provável é que a equipa B baixe de rendimento a partir desse momento e mesmo que seja só pela falta de conhecimento empiríco deste jovem treinador das competições em que se vê agora envolvido na equipa A, não é certo que o rendimento desportivo da equipa A melhore, o mais expectável é que também acabe por piorar. Até agora, na equipa A, com um jogo em casa e outro fora contra um adversário reduzido a 10 jogadores desde a primeira parte, ainda não se refletiu nos resultados nenhuma quebra no rendimento, mas na equipa B, já é por demais evidente a quebra do rendimento médio desa equipa, que acabou averbando 2 derrotas nestas 2 últimas jornadas sem o seu treinador Bruno Lage, que tinha conseguido 8 vitórias em 14 jogos (conquistou em média 57,1% de vitórias). A amostra é pequena, mas este é o rendimento médio do treinador Bruno Lage na 2ª Liga, em princípio num campeonato de nível superior, Bruno Lage não garantirá um rendimento médio muito superior e o Benfica precisa de um treinador que possa garantir pelo menos 15 vitórias nestas 17 jornadas que faltam para poder aspirar a ser campeão. È que o F. C. Porto fez 43 pontos na primeira volta e o Benfica neste momento já sabe que não conseguirá ser campeão se não conseguir 83 ou mais pontos (38+15*3+2*0). Poucos treinadores conseguem garantir 15 vitorias em 17 jogos, mas ainda existem alguns que podem aspirar a conseguir isso e é um desses que Luis Filipe Vieira tem de contratar urgentemente. A situação de crise técnica no Benfica não se resolverá se nada se fizer, não se resolverá se a direcção continuar sem tomar uma decisão. É preciso coragem para assumir um técnico em que realmente se acredita!

Ninguém hoje, como ninguém no início da temporada conseguia afirmar que qualquer plantel da Liga Portuguesa teria melhores probalidades de obter uma melhor classificação tendo, o Bruno Lage como treinador principal, do que contratando, o Rui Vitória, por isso Bruno Lage não é racionalmente a melhor escolha possível para o comando técnico de um Benfica em busca de conquistar títulos nesta época. Qualquer que seja o nome escolhido, aos adeptos do Benfica só resta apoiar o treinador que está ao comando da equipa, mas os dirigentes do Benfica têm a obrigação de escolher racionalmente o melhor técnico disponível no mercado, de modo a potenciar as hipoteses de sucesso desportivo. Não podem ter medo de assumir uma decisão que somente a eles cabe tomar. Para a comunicação social este empurar do problema com a barriga para a frente é bastante vantajoso, pois tal vai impulsionar o manancial de notícias durante semanas/meses, minando internamente o balneário do Benfica até finalmente se chegue ao dia em que se encontre uma solução definitiva consistente na liderança técnica do Benfica. Uma ausência de reforço técnico será mais uma péssima decisão do Luís Filipe Vieira, tal como foi na época passada a recusa de contratar reforços de inverno, ele acabará por pagar por isso nas próximas decisões eleitorais, mas será sempre o Benfica quem perdeu, não Luís Filipe Vieira. O clube ter recursos económicos e não os utilizar para melhorar a equipa por medo do presidente em assumir uma decisão que lhe compete é inaceitável, é imperdoável!
Será que o Luís Filipe Vieira está ciente que em caso de insucesso no final desta época, ninguém o perdoará por não ter sido capaz de contratar hoje o melhor tecnico possível, não ter feito tudo, não ter lutado com todas as suas forças para que o Benfica possa ser condignamente representado em campo.

O escolhido não devia ser apenas um treinador de transição até ao final da época (que é o caso de manter o Bruno Lage como tecnico principal de uma equipa com as exigências de ser candidato ao título, estamos a falar do treinador mais barato de toda a 1ª Liga Portuguesa ou no extremo oposto recorrer a um demasiado dispendioso para a realidade portuguesa, José Mourinho durante 6 meses até que ele possa iniciar um novo projeto num dos 10 clubes Europeus mais ricos na próxima época. E só nessa altura, verdadeiramente delinear um novo projeto de direcção tecnica que possa levar a contratação de um treinador capaz de garantir resultados satisfatórios no presente/futuro mais próximo). Na minha opinião, José Mourinho não tem neste momento sequer motivação para trabalhar em Portugal, além de que as suas equipas reconhecidamente não proporcionam grandes espectáculos de futebol, por isso dificilmente conseguiria criar uma onda vermelha que empolgasse adeptos e equipa a melhorar substancialmente o seu rendimento desportivo. Apesar de reconhecer que Bruno Lage é um técnico que tem feito um muito bom trabalho na equipa B, convenhámos que aos olhos de todos os adeptos de futebol, neste momento da sua ainda curta carreira, será sempre visto como uma técnico de recurso para um clube candidato ao título. É um jovem que ainda necessita de andar as apalpadelas a experimentar se os seus métodos resultam num contexto da Liga principal Portuguesa. Sendo ele o eleito da estrutura de futebol do Benfica, seria na pratica o assumir por parte de Luis Filipe Vieira que, não pretende utilizar todos os recursos disponíveis para aumentar as probalidades de sucesso desportivo da equipa no que resta desta temporada. O treinador a ser o eleito, além de boas competências na operacionalização tática de uma forma de jogar própria de uma equipa grande/vencedora e de ter autoridade natural de um lider, tem de ser um técnico muito conhecedor das caracteristicas/especificidades do campeonato nacional e já ter acumulado alguma experiência nas competições europeias. Assim sendo, nada mudar nunca deveria ser uma opção quando todos são unanimes que é obrigatório mudar a liderança técnica, que só um grande técnico pode fazer ressurgir o grande Benfica, o lote de possíveis escolhas deveria recair de entre uma destas 3 opções:

  • Jorge Jesus se a opção recair numa raposa velha muito experiente/conhecedor do campeonato português, que seja capaz de assumir toda a responsabilidade pelo sucesso/insucesso futebolistico do Benfica durante os anos que estiver no comando da equipa: Com a sua grande nível de exigência, forte liderança no balneário, este é neste momento o técnico que mais rapidamente poderá fazer com que os atuais jogadores do plantel benfiquista, adquiram a atitude/qualidade competitiva necessária para poderem conquistar o máximo de troféus em disputa no que resta desta temporada. Além de que é um técnico que pela idade avançada que já leva, em caso de sucesso esta época mais facilmente seria possível manter durante os próximos anos sem que haja o risco de vir a ser tentado a abandonar o clube por propostas dos endinheirados clubes Europeus. 3 épocas e meia, era o período ideal para qual deveria ser o projeto para o novo treinador contratado tentar criar uma equipa que possa ter verdadeiramente ter uma oportunidade de conquistar uma competição Europeia durante o seu reinado, como Viera diz ser a sua ambição. Desde que a direção lhe garanta que poderá manter nesses 3,5 anos até a sua maturação total, os talentos que vão despontando no clube, como são os casos de João Felix, Gedson Fernandes, Rúben Dias ou Jota e Florentino que serão os próximos a despontar. É público que Jorge Jesus adora as qualidades futebolisticas de excelência do Jonas, Fejsa e da Rafa, arrisco mesmo em afirmar que na atualidade é o treinador que melhor rendimento conseguiria retirar das carateristicas destes 3 grandes jogadores, utilizando-os nas suas posições preferidas, encaixariam na perfeição no 4-1-3-2 prederencialmente utilizado pelo Jorge Jesus. Ele neste momento tem contrato nas Arábias mas em caso de convite do Benfica, já afirmou que estaria na disposição de rescindir e regressar a uma casa que o projetou no mundo futebolistíco. Só depende do telefonema do seu amigo, desde que ele o possa garantir que poderá adquirir 2 ou 3 reforços e seguramente não é por não ter recursos financeiros que o reforço da equipa não seria uma realidade.
  • Marco Silva/Leonardo Jardim no caso da aposta ser num ambicioso treinador já com muitas provas dadas. Técnico relativamente jovem que ainda não tenha atingido o máximo do seu potencial, mas que já tem um nível de experiência acumulada nacional e internacional que lhe permitiria assumir satisfatoriamente o comando técnico do Benfica, conferindo a equipa um rendimento pontual médio suficientemente bom para que a equipa possa conquistar diversos troféus nas próximas 3,5 épocas. Este deveria ser o tempo de contrato deste tal técnico relativamente jovem a contratar para crescer ao nível de elite no Benfica. Esta opção seria bom para está época e também bastante reconfortante para o futuro próximo da equipa, pois estamos a falar de perfeitos conhecedores das equipas portuguesas e técnicos já com muitas provas dadas. Contratualmente esta é a opção mais díficil de realizar, uma vez que esta opção encerra alguma dificuldade em conseguir a sua disvinculação dos clubes com que têm contrato neste momento.
  • José Mourinho/Rui Faria no caso da opção ser um nome com grande prestígio na Europa, já com muitas lutas travadas ao mais alto nível, em alguém com uma grande experiência internacional de lidar com os melhores jogadores do mundo. Apesar do presidente Luís Filipe Viera afirmar que o dinheiro não é problema para o Benfica neste momento, acredito que realisticamente para as finanças do Benfica, apenas a opção Rui Faria seria viável. Uma vez que o alto orçamento financeiro com que José Mourinho se habituou a trabalhar nas últimas épocas, seguramente não teria qualquer motivação para neste momento vir representar o Benfica dentro dos valores orçamentais que o clube consegue dispor para a sua equipa tecnica e possíveis jogadores a contratar. Além disso não vejo, Mourinho a ficar muito tempo no Benfica, para trabalhar afincadamente prioritariamente com jovens saídos do seixal, pelo menos até a maturação completa do João Felix, Gedson Fernandes, Rúben Dias, Jota e Florentino e o Benfica poder retirar dividendos desportivos deles nas competições europeias. A aposta no Rui Faria seria num jovem treinador a quem se augura um grande futuro, embora até a data apenas tenha desempenhado funções do nº2, já tem muitos anos na mais alta roda do futebol. Rui Faria embora jovem (mesma idade do Bruno Lage) ao nível de experiência/convivio diário e trabalho de campo  com grandes jogadores, trabalhar as melhores estratégias e esquemas de jogo que possam permitir competir com sucesso na elite dos clubes Europeus, não existe comparação entre o nível de preparação em que se encontra Rui Faria neste momento para assumir a liderança técnica do Benfica e o que Bruno Lage adquiriu na sua ainda muito curta carreira de treinador. São 17 épocas e meia numa equipa técnica que conquistou nesse período, 2 LC, 2 LE, 3 Ligas Inglesas, 2 Ligas Italianas, 2 Ligas Portuguesas, 1 Liga Espanhola, além de mais algumas taças e supertaças. Rui Faria teria sempre o benefício da dúvida mesmo que não conseguisse recuperar os 5 pontos que neste momento o Benfica tem de atraso, desde que o rendimento médio fosse bom ao ponto de se perspectivar que entraria na próxima época já com a equipa formada por jogadores escolhidos por ele depois de já ter trabalhado com a maioria deles mais de 6 meses, o que seria uma grande vantagem para o rendimento na próxima época.

Eis o historico estatisticos destas 3 opcões, considerando a partir do momento em que começaram a adquirir experiência em clubes que lutam pelos títulos. Jorge Jesus desde a época 2009/10 em que assumiu o Benfica até a data, conquistou 339 vitorias em 496 jogos (68,3% de vitórias nestas 9 épocas e meia em que por temporada garantiu em média que as suas equipas são competentes nas várias competições, ao ponto de ter realizado nesse período mais de 52 jogos por época em média). Estatisticamente, Jorge Jesus é a hipotese que garante um maior rendimento médio.



Marco Silva desde a época 2014/15 em que assumiu o Sporting até a data, conquistou 92 vitorias em 169 jogos (54,4% de vitórias nestas últimas 4 épocas e meia em que por temporada garantiu em média que as suas equipas realizam mais de 37 jogos por época em média). Leonardo Jardim desde a época 2013/14 em que assumiu o Sporting até a data, conquistou 148  vitorias em 267 jogos (55,4% de vitórias nestas últimas 5 épocas e meia em que por temporada garantiu em média que as suas equipas realizam mais de 48 jogos por época em média).

José Mourinho/Rui Faria desde a época 2001/02 em que assumiram o F. C. Porto até a data, conquistaram 574 vitorias em 973 jogos (59,0% de vitórias nestas 17 épocas e meia em que por temporada garantiu em média que as suas equipas são competentes nas várias competições, ao ponto de ter realizado nesse período mais de 55 jogos por época em média).
Aqui no Blog acreditamos nos dados estatísticos e estes dizem-nos que com qualquer destas 3 opções o Benfica teria boas probalidades de conquistar titulos nas próximas 3,5 época. Em quem deve recair a escolha da direcção do Benfica, Luís Filipe Vieira tem a palava, sendo certo que depois do péssimo exemplo da época passada, em que Luís Filipe Vieira decidiu não utilizar o período de transferências de janeiro para reforçar/contratar pelo menos 2 jogadores para as posições mais carenciadas do plantel e contratar um treinador afirmativo que possa por si só ser a voz que defenda o clube, não um jovem inexperiente que tem de ser protegido pelos vice, esses que nunca estão disponíveis para dar a cara em defesa do clube, deixando a equipa demasiado exposto aos ataques dos seus rivais.

Luis Filipe Vieira já não é nenhum dirigente desportivo inexperiente, sabe perfeitamente que um treinador é essencial para o sucesso desportivo de uma equipa de futebol. Nos 15 anos que ele está a frente dos destinos do Benfica ele sabe perfeitamente que o melhores espetáculos desportivos que o clube produziu foram nos anos em que Jorge Jesus assumiu a responsabilidade de ser verdadeiramente o lider do futebol do clube. É de um treinador destes que o clube precisa neste momento muito conturbado que se vive no futebol português.

Esta a vista de todos que, o que a equipa do Benfica mais necessita para competir com a ambição de ganhar os troféus que irá disputar no que resta desta temporada (Campeonato, LE, TP e TL) é de um treinador competente, que tenha autoridade para se impor por si só e que seja uma voz forte/firme capaz de ser o lider em defesa dos interesses benfiquista em contraponto aos adversários nas conferências (principalmente ao agressivo Sérgio Conceição), tecnicamente tem de ser um treinador já com as ideias claras de como quer jogar e como deve tirar partido dos jogadores que compõem o atual elenco, pois no máximo só deveriam entrar 2 a 3 jogadores neste mercado de janeiro (1 defesa direito obrigatoriamente, 1 defesa central caso as caracteristicas do Lema não satisfaçam as exigências do novo treinador e 1 ponta de lança caso Facundo Ferreyra não agrade ao novo tecnico).

Queremos o seu comentário, quem deve ser o próximo treinador do Benfica?

sábado, 12 de janeiro de 2019

HUGO MIGUEL (ARBITRAGEM)

HUGO MIGUEL - DADOS ESTATISTÍCOS DOS ÚLTIMOS 10 CAMPEONATOS
Não foram anunciadas publicamente as classificações dos árbitros da época 2017/18.
Arbitro da A.F. Lisboa, foi o 6º classificado da época 2016/17 e tinha sido o 11º classificado da época 2015/16.

Última atualização dos jogos do Hugo Miguel, feita após o Sporting 0 - F. C. Porto 0, da 17ª jornada desta época 2018/19.


QUERES CONHECER SE O TEU CLUBE TEM UMA % DE APROVEITAMENTO MELHOR OU PIOR COM O ARBITRO NOMEADO PARA ESTA JORNADA DO QUE O RENDIMENTO MÉDIO DO CLUBE COM TODOS OS RESTANTES ARBITROS? Neste blog terás essas respostas, com a indicação de todos os penaltis e expulsões assinalados.

PONTO ESSENCIAL: O ARBITRO NUNCA DEVERIA SER UM ELEMENTO DETERMINANTE NO PROCESSO DE REPARTIÇAO DOS PONTOS EM DISPUTA NUMA PARTIDA DE FUTEBOL.  Comparando a % pontos conquistados com um determinado arbitro com a % média do clube com todos os restantes árbitros, conheceremos o posicionamento do arbitro perante esse clube. Diferenças maiores em 20% ou menores a (-20%) em relação ao rendimento médio do clube indicia que o arbitro beneficia(+) ou prejudica(-) o rendimento da equipa, ou seja que esse arbitro interfere tendencialmente no rendimento médio do clube e por isso não deve ser nomeado para arbitrar jogos desse clube. Apenas são aceitáveis pequenas variações no desempenho das equipas com um arbitro em concreto em relação ao seu desempenho médio com todos os árbitros.
Nos links que se seguem estão todos os jogos dos 4 grandes clubes com cada um dos seguintes árbitros nos últimos 11 campeonatos.
                                                            Link com os dados do Pedro Proença
                                                            Link com os dados do Jorge Sousa
                                                            Link com os dados do Artur Soares Dias
                                                            Link com os dados do Duarte Gomes
                                                            Link com os dados do João Capela
                                                            Link com os dados do Paulo Batista
                                                            Link com os dados do Olegário Benquerença
                                                            Link com os dados do Bruno Paixão
                                                            Link com os dados do Rui Costa
                                                            Link com os dados do Bruno Esteves
                                                            Link com os dados do Carlos Xistra
                                                            Link com os dados do Cosme Machado
                                                            Link com os dados do Marco Ferreira
                                                            Link com os dados do Vasco Santos

Com as características do tipo de arbitragem protagonizada pelo Hugo Miguel neste últimos 11 campeonatos, os clubes ficariam com a seguinte ordem,
1º - Benfica (conquistou 84% dos pontos disputados) 
2º - F.C. Porto (conquistou 81% dos pontos disputados
3º - Sporting (conquistou 65% dos pontos disputados) 
4º - Braga (conquistou 63% dos pontos disputados) 

É verdade que todos os 4 candidatos ao titulo obtiveram um desempenho com este arbitro superior, ao desempenho médio do clube com os restantes árbitros nestas últimas 11 épocas. 
Hugo Miguel já conseguiu a promoção para arbitro internacional, neste momento é já um dos ARBITROS PROFISSIONAIS. Com Hugo Miguel tendencialmente os grandes não são prejudicados,  todos tem um rendimento médio com este arbitro superior ao seu rendimento médio com todos os outros árbitros. Até a data, apenas o Benfica teve concretamente algumas razões de queixas do Hugo Miguel em 3 empates consentidos, jogos em que ocorreram erros grosseiros deste arbitro, ao não assinalar os respectivos penaltis nestes 3 lances documentados nas imagens que se seguem.



Um dos erros arbitrais mais famosos do Hugo Miguel foi este lance em que James tropeça e ele transformou em penalti num jogo em que se decidia o titulo (última jornada do campeonato).


                                                                                                       Resultado de imagem para liga nos
                                                                   









 Os dados discriminados de todos os jogos dirigidos pelo Hugo Miguel de cada uma das equipas são:
















Este arbitro revela condições de imparcialidade para apitar os 4 clubes analisados?
Qual ou quais são os clubes em que os números revelam uma tendência?
Agradecemos o teu comentário/análise aos números estatísticos desde arbitro nos jogos em que dirigiu o teu clube, ou algum dos 3 rivais ao teu.

Nesta temporada 2018/19, Hugo Miguel arbitrou os seguintes jogos:

  • Portimonense 4 -Sporting 2, na 7ª jornada 
  • Guimarães 1 -Braga 1, na 8ª jornada 
  • Boavista 0 - F. C. Porto 1, da 11ª jornada
  • Sporting 0 - F. C. Porto 0, da 17ª jornada  



JOÃO CAPELA (ARBITRAGEM)

JOÃO CAPELA - DADOS ESTATISTÍCOS DOS ÚLTIMOS 11 CAMPEONATOS
Não foram anunciadas publicamente as classificações dos árbitros da época 2017/18. Arbitro da A.F. Lisboa que ostenta as insígnias de arbitro Internacional (Profissional), foi o 4º classificado da época 2014/15 e o 2º classificado da época 2015/16.

Última atualização já inclui o Santa Clara 0 - Benfica 2, da 17ª jornada da época 2018/19, em que um agarrão sobre a linha da grande área resultou em mais uma falta assinalada fora-da-área pelo João Capela como aconteceu em Chaves, só que desta vez houve expulsão e o adversário não conseguiu empatar o jogo.

No Chaves 2 - Benfica 2, da 6ª jornada da época 2018/19, expulsou o Conti aos 87 minutos e o Chaves aproveita o facto de estar a jogar em superioridade numérica para marcar o golo do empate aos 94 minutos. Antes disso, transformou um penalti numa falta assinalada fora da area neste lance.

João Capela assinalou falta fora da área e o incrível é que o Video-arbitro também não o corrigiu!
Depois de 2 épocas sem apitar o Benfica, o João Capela regressou aos jogos do Benfica para concretizar a sua 3ª expulsão ridícula de jogadores do Benfica! Qual das 3 expulsões foi a mais ridicula, esta mais recente do Conti, a do Cardozo que dá uma palmada na relva, ou a única expulsão da carreira do Pablo Aimar, curiosamente também no jogo que antecedeu o clássico com o F. C. Porto?

QUERES CONHECER SE O TEU CLUBE TEM UMA % DE APROVEITAMENTO MELHOR OU PIOR COM O ARBITRO NOMEADO PARA ESTA JORNADA DO QUE O RENDIMENTO MÉDIO DO CLUBE COM TODOS OS RESTANTES ARBITROS? Neste blog terás essas respostas, com a indicação de todos os penaltis e expulsões assinalados.

PONTO ESSENCIAL: O ARBITRO NUNCA DEVERIA SER UM ELEMENTO DETERMINANTE NO PROCESSO DE REPARTIÇAO DOS PONTOS EM DISPUTA NUMA PARTIDA DE FUTEBOL.  Comparando a % pontos conquistados com um determinado arbitro, com a % média do clube com todos os restantes árbitros, conheceremos o posicionamento do arbitro perante esse clube. Diferenças superiores em +20% ou inferiores a (-20%) em relação ao rendimento médio do clube indiciam que o arbitro beneficia(+) ou prejudica(-) o rendimento da equipa, ou seja que esse arbitro interfere tendencialmente no rendimento médio do clube e por isso não deve ser nomeado para arbitrar jogos desse clube.
Nos links que se seguem estão todos os jogos dos 4 grandes clubes com cada um dos seguintes árbitros nos últimos 11 campeonatos.                          
                                                                         Link com os dados do Pedro Proença
                                                                         Link com os dados do Jorge Sousa
                                                                         Link com os dados do Artur Soares Dias
                                                                         Link com os dados do Duarte Gomes
                                                                         Link com os dados do Paulo Batista
                                                                         Link com os dados do Hugo Miguel
                                                                         Link com os dados do Olegário Benquerença
                                                                         Link com os dados do Bruno Paixão
                                                                         Link com os dados do Bruno Esteves

Analisando as % de aproveitamento dos clubes nos jogos arbitrados pelo João Capela conclui-se que com a arbitragem deste arbitro a classificação destes últimos 11 anos seria: 
1º Benfica (90% dos pontos disputados)
2º F.C. Porto(73% dos pontos disputados 
3º Braga (61% dos pontos disputados
4º Sporting(56% dos pontos disputados).

BENFICA! Nos 15 jogos arbitrados pelo João Capela, o Benfica conquistou 95% dos pontos em disputa, ou seja com esse arbitro conseguiu um rendimento pontual superior em 11% à sua percentagem média de pontos conquistados com todos os restantes árbitros, nestes últimos 11 campeonatos, que é de 79%. Este arbitro teve 7 decisões arbitrais favoráveis ao Benfica (2 penalti e 5 expulsões) e também assinalou 3 decisões arbitrais desfavoráveis ao Benfica (3 expulsões).  O Benfica conseguiu acrescentar 2 pontos diretamente com um último golo de penalti ou após uma expulsão assinalado por este arbitro em 13 jogos dirigidos.

F.C. PORTO! 73% dos pontos em disputa conquistados nos jogos arbitrados pelo João Capela é ligeiramente inferior aos 80% dos pontos conquistados com os restantes árbitros nos últimos 11 anos. O F.C Porto conseguiu acrescentar 2 pontos diretamente com um último golo de penalti ou após uma expulsão assinalado por este arbitro nos 16 jogos do F. C. Porto dirigidos. Além destes 2 pontos podia ter conseguido mais 6 pontos diretamente com os penaltis se não tem falhado 5 dos penaltis assinalados por este arbitro. Nesses 16 jogos oficiais, o João Capela assinalou 9 decisões arbitrais favoráveis ao F.C. Porto (7 penaltis e 2 expulsões) e apenas 1 decisão arbitral desfavorável ao F.C. Porto (1 penalti).
  
BRAGA! Com o João Capela, o Braga teve um % de aproveitamento dos pontos em disputa de 64%, ligeiramente superior a sua % média de pontos com todos os outros árbitros nestes últimos 11 anos, que é de 59%. Nos 13 jogos dirigidos este arbitro assinalou 9 decisões arbitrais favoráveis ao Braga (3 penaltis e 6 expulsões), também tomou 6 decisões arbitrais desfavoráveis ao Braga (4 penaltis e 2 expulsões).

SPORTING! O Sporting teve 56% de aproveitamento dos pontos em disputa nos 12 jogos arbitrados pelo João Capela. Com este arbitro o rendimento pontual do Sporting é inferior em (-13%) da sua % média com todos os restantes árbitros nestes últimos 11 anos, que é de 68%. Nestes 10 jogos dirigidos pelo João Capela, o Sporting beneficiou de 4 decisões arbitrais favoráveis (2 penaltis e 2 expulsões) e sofreu uma única decisão arbitral desfavorável (uma expulsão). O Sporting conseguiu acrescentar 2 pontos diretamente com um último golo de penalti ou após uma expulsão assinalado por este arbitro nos 11 jogos dirigidos.
                                                                                               Resultado de imagem para liga nos                                                           






Aqui estão os dados estatísticos discriminados do F.C. Porto nos jogos arbitrados pelo João Capela:




Aqui estão os dados estatísticos discriminados do Benfica nos jogos arbitrados pelo João Capela:




Aqui estão os dados estatísticos discriminados do Braga nos jogos arbitrados pelo João Capela:



Aqui estão os dados estatísticos discriminados do Sporting nos jogos arbitrados pelo João Capela:




Este arbitro revela condições de imparcialidade para apitar os 4 clubes analisados?
Qual ou quais são os clubes em que os números revelam uma tendência?
Agradecemos o teu comentário/análise aos números estatísticos desde arbitro nos jogos em que dirigiu o teu clube, ou algum dos 3 rivais ao teu.


Estas são os jogos dos candidatos ao titulo arbitrados pelo João Capela nesta temporada 2018/19:
  • Na 6ª jornada, no Chaves 2 - Benfica 2.
  • Sporting 2 - Belenenses 1, da 15ª jornada.
  • Braga 1 - Boavista 0, da 16ª jornada.
  • Santa Clara 0 - Benfica 2, da 17ª jornada