terça-feira, 21 de junho de 2016

Após 2 empates como será o próximo jogo

Até aqui tem sido uma desilusão o nosso rendimento neste Europeu, mas podemos fazer deste 3º jogo o clic necessário para aumentarmos a confiança de modo a atacar na realidade este Europeu para ganhar. Esta é uma grande oportunidade que devemos agarrar com todas as nossas forças. Neste momento se ficarmos em 1º no nosso grupo, ficaremos no lado mais facil do quadro para acesso a final. Se ficarmos em 1º do nosso grupo, usufruiremos de uma oportunidade de ouro para chegar a final do Euro. Já se ficarmos em 2º lugar no grupo, iremos medir forças com a Inglaterra e se ultrapassar essa eliminatória, ainda teríamos que ultrapassar França, Alemanha, Espanha ou Italia nesse lado do quadro para atingir a final.
Por tudo isso, devemos apostar todas as nossas fichas em ser 1º no nosso grupo.

Como sabem, aqui acreditamos que os atletas conquistadores são os que melhor podem representar as equipas que pretendem competir para ganhar. A esmagadora maioria dos selecionadores pensam o mesmo e por isso para esta competição, convocaram diversos atletas actuais campeões, de facto todas as selecções com a ambição de vencer este Euro também pensam que é uma vantagem jogar com um elenco de campeões, como se pode ver de seguida:

  • A Franca com base em 5 jogadores que se sagraram campeões em 2015/16 (no total utilizou estes jogadores no Europeu em 1.007 minutos), já está apurada em 1º no seu grupo.
  • A Alemanha com base em 7 jogadores que se sagraram campeões em 2015/16 (no total utilizou estes jogadores no Europeu em 1.457 minutos), já está apurada em 1º no seu grupo.
  • A Espanha com base em 6 jogadores que se sagraram campeões em 2015/16 (no total utilizou estes jogadores no Europeu em 1.313 minutos), já está apurada para a fase seguinte.
  • A Italia com base em 6 jogadores que se sagraram campeões em 2015/16 (no total em 2 jogos utilizou estes jogadores no Europeu em 778 minutos), já está apurada em 1º no seu grupo.

Infelizmente, Portugal ainda só utilizou 2 jogadores que foram campeões em 2015/16 (no total utilizou esses jogadores em 104 minutos no Europeu). Enquanto as seleções com ambições utilizam os campeões em mais de 1.000 minutos, nós utilizamos os campeões em apenas 104 minutos! Não há como negar, faltam campeões a nossa selecção! Já neste 3º jogo da fase de grupos, podemos começar a apetrechar a nossa seleção de jogadores campeões. É sempre bom ter na equipa jogadores com habitos de vitória, jogadores que estão cheios de confiança por terem atingido o sucesso desportivo durante esta época.

Há noticias de que poderão ocorrer alterações no onze nacional, consta que, o Raphael Guerreiro e o André Gomes se encontram lesionados. Para o lugar de defesa esquerdo, o candidato natural é o campeão Eliseu, que durante o apuramento foi o titular, por isso em princípio deve recuperar a titularidade. Para o lugar em aberto no meio campo, será que é desta que o Fernando Santos vai lançar finalmente o campeão Renato Sanches, a maior esperança portuguesa para conseguir elevar a qualidade geral da equipa portuguesa.

Renato Sanches pode fazer na seleção o que fez no Benfica, ou seja entrar numa equipa que não funcionava, em que até se questionava a qualidade geral da equipa e após a sua entrada no onze, impor uma intensidade competiva que contagia o resto da equipa, encher o campo jogo após jogo, repetivamente superiorizando-se no duelo do meio campo, qualquer que seja o adversário, ao ponto de conseguir catapultar a equipa para uma época de sucesso desportivo muito além do expectável, se considerarmos aquilo que se tinha visto da equipa sem ele no onze.

Alguém consegue imaginar a selecção a melhorar o desempenho desportivo ao ponto de conseguir atingir a final, mantendo na equipa titular os elementos que tem sido as primeiras escolhas do Fernando Santos nesse Europeu? Esta selecção precisa de jogar com mais intensidade. Precisa da intensidade do Renato Sanches.

Portugal-Hungria é a nossa 1ª final, é que se não tivermos sucesso nesse jogo, pode ser o nosso último no Europeu. Não faz sentido continuar a utilizar Renato Sanches apenas como arma secreta, capaz de mudar o jogo nos últimos 15 minutos. Renato é jogador para 90 minutos e é após os 60 minutos de jogo é que fica evidente até para os mais desatentos que fisicamente esse atleta estoura os adversários com as suas cavalgadas. Durante a época no campeonato nacional, mesmo sendo um atleta ainda com idade junior, só por 3 vezes o Rui Vitoria o substituiu, uma aos 80 minutos com o resultado em Setúbal 1 - Benfica 4, outra aos 69 minutos com o resultado em Benfica 5 - Marítimo 0,  e outra aos 85 minutos do Guimarães 0 - Benfica 1, neste caso para receber os aplausos como o homem do jogo numa partida em que ele marcou o único golo da partida. Rui Vitória depois de conhecer as suas caracteristicas nunca mais prescindiu das extraordinárias qualidades atleticas do Renato Sanches e o Benfica beneficiou muito dessa coragem do seu treinador em apostar num jovem.
Que sentido faz, ter um jogador que já todos reconhecem que tem um ritmo competitivo bastante superior aos demais jogadores e mesmo assim não utilizar essa vantagem competitiva, com o argumento que o jogador é muito jovem, mas ele não competiu com sucesso no campeonato nacional, não competiu com sucesso na Champions, que mais é necessário ele fazer para demonstrar que está pronto para competir. Todos os adeptos já reconhecem que as caracteristicas que faltam no nosso onze são justamente aquelas que melhor diferencia o Renato Sanches dos outros médios portugueses. Renato Sanches tem caracteristicas que podem acrescentar mais-valias a nossa equipa, seguramente com ele em campo a bola vai chegar mais vezes e com melhor qualidade ao nosso ataque, com as suas constantes cavalgadas e jogo vertical vai desgastar imenso os médios adversários, arrastando consigo diversos adversários e permitindo aos outros artistas portugueses terem mais espaço livre de marcação para jogarem. Não faz sentido este medo do selecionador em apostar nas qualidades do Renato Sanches na nossa selecção. Mantendo esse medo mais tempo não vamos longe seguramente!

Alguém imagina como seria a época 2015/16 do Benfica, se o Rui Vitória tivesse o mesmo medo que o Fernando Santos revela agora em dar o lugar no onze ao Renato Sanches para demontrar o seu talento em campo? Seguramente o Benfica não teria sido campeão sem o excelente desempenho do Renato Sanches.

Esperemos que o Fernando Sanches deixe de complicar a sua própria vida.
Renato merece estar em campo. Portugal merece usar os mais aptos para a competição.

Para que conste nem Alemanha, nem Espanha, nem França, nem Italia neste Europeu jamais jogaram com menos de 4 campeões 2015/16 em cada jogo. Olha, coincidentemente nenhum desses países deixou de fazer valer os habitos de vitória desses jogadores para se apurar para a fase seguinte e é esse sucesso que Portugal também precisa obter.
Será desta que Portugal conseguirá ter em campo 3 jogadores que foram campeões nacionais com os seus clubes esta época?

Sem comentários: