sexta-feira, 8 de maio de 2015

NOMEAÇÕES DOS ÁRBITROS NA ÉPOCA 2014/15

Estranhamente na semana passada houve um grande alarido pondo em causa as nomeações dos arbitros. Convêm esclarecer algumas questões, nestas últimas 7 épocas em média:

  • O F.C. Porto conquistou 81% dos pontos disputados (511 pontos em 211 jogos).
  • O Benfica conquistou 78% dos pontos disputados (496 pontos em 211 jogos).
  • O Sporting conquistou 63% dos pontos disputados (399 pontos em 211 jogos).
  • O Braga conquistou 59% dos pontos disputados (373 pontos em 211 jogos). 
Estes foram os rendimentos médios dos 4 candidatos ao titulo em 211 jogos (31 jornadas da época 2014/15 acrescido aos 180 jogos (30*6 entre a época 2008/09 e a época 2013/14).
Este é pois, o rendimento médio esperado por estes clubes independentemente do arbitro em questão. 

Quando as variações no rendimento do clube são pequenas, temos de as aceitar como situações normais, que ocorrem sem qualquer interferência significativa do arbitro no rendimento dessa equipa (A ESMAGADORA MAIORIA DOS ARBITROS ENCONTRAM-SE NESSE INTERVALO). Os adeptos do futebol agradecem a esses arbitros que não interferem no rendimento.

Variações superiores a 20% no rendimento de uma equipa, simplesmente porque é um determinado arbitro a dirigir os jogos, denunciam que esse arbitro interfere efetiva no rendimento desportivo desse clube. 

A bem da verdade desportiva confirmamos que não existem muitos arbtitros, com mais que uma dezena de jogos do Benfica ou F.C. Porto arbitrados e que tenha conseguido provocar no rendimento desse clube uma variação superior a 20% em relação a média geral do clube com todos os outros arbitros. Pelos dados estatísticos das últimas 7 épocas, com mais de dez jogos arbitrados apenas o Jorge Sousa e o Pedro Proença denunciam uma clara tendência arbitral em prejuizo de um dos candidatos ao titulo, no caso o Benfica. Nos últimos 7 campeonatos, estes dois arbitros dirigiram em conjunto 30 jogos do Benfica e 29 jogos do F.C. Porto, tendo permitido o Benfica disputar esses 30 jogos com um saldo de 1 decisão arbitral favorável (1 expulsão) e permitido ao F.C. Porto disputar esses 29 jogos com um saldo favorável de 17 decisões arbitrais (10 penaltis e 7 expulsões favoráveis), Esta clara tendência evidenciada pelo número de decisões arbitrais que tomaram, favoráveis sempre ao mesmo candidato, possibilitou que o F.C. Porto tivesse arrecadado 62 pontos nesses 29 jogos e o Benfica apenas 43 pontos nos 30 jogos arbitrados por Jorge Sousa ou Pedro Proença. Ou seja, Jorge Sousa ou Pedro Proença criaram uma diferença de 19 pontos entre estes 2 clubes, quando no total acumulado dos 211 jogos disputados com todos os árbitros, existe apenas uma diferença de 15 pontos nestas últimas 7 épocas. Sem estes dois árbitros o Benfica obteve um melhor rendimento do que o F.C. Porto.

Obviamente os arbitros com o qual a equipa nas últimas 7 épocas obteve um rendimento inferior ao rendimento médio geral da equipa são arbitros que não agradam aos clubes. 

Vamos enumerar alguns factos que comprovam que o Lopetegui não tem razões para se queixar das nomeaçoes nesta época:

  • O F.C. Porto não teve nos seus jogos nenhum arbitro com o qual, estatisticamente apresente um rendimento inferior em 20 ou mais em relação a média geral do clube (conquistou 81% dos pontos disputado). O pior arbitro estatisticamente para o F.C. Porto, é o Bruno Paixão, arbitro com o qual o clube conquistou apenas 44% dos pontos nas anteriores 6 épocas, e não foi nomeado nenhuma vez para jogos do F.C. Porto na atual época 2014/15. 
  • O Olegário Benquerença, arbitro com o qual o Benfica apenas conquistou 28% dos pontos disputados nas anteriores 6 épocas, não foi nomeado para nenhum jogo do Benfica nesta época 2014/15, é também o pior arbitro estatisticamente para o Benfica. Os outros arbitros com o qual historicamente, o Benfica diminui significamente o seu rendimento, são o Jorge Sousa (-30% dos pontos do que conquistou com os outros arbitros) e o Pedro Proença (-37% dos pontos do que conquistou com os outros arbitros). Estes 2 arbitros foram nomeados por 4 vezes para jogos do Benfica nesta época 2014/15. 67% dos pontos conquistados em 13 jogos dirigidos pelo João Capela, este foi o arbitro com pior rendimento médio nas últimas 7 épocas que foi nomeado para jogos do F.C. Porto na época 2014/15.
  • Para jogos do Benfica, o Conselho de Arbitragem nesta época 2014/15, já nomeou por 13 vezes, arbitros com as quais o Benfica obteve um rendimento inferior ao seu rendimento médio das últimas 7 épocas. 
  • Nesta época 2014/15, para jogos do F.C. Porto, o Conselho de Arbitragem nomeou por 8 vezes, arbitros com as quais o F.C. Porto obteve um rendimento inferior ao seu rendimento médio das últimas 7 épocas. 
  • Considerando que 4 desses 8 jogos do F.C. Porto foram dirigidos pelo Jorge Sousa ou Pedro Proença, arbitros com os quais nas últimas 7 épocas, o F.C. Porto obteve um rendimento ligeiramente inferior a sua média geral. Esse pequeno decrescimo no rendimento é mais que justificavel, pelo facto de 19 dos 29 jogos que estes 2 arbitros dirigiram terem sido confrontos diretos contra os rivais candidatos ao titulo (Benfica, Sporting ou Braga). É evidente que as arbitragens do Jorge Sousa e do Pedro Proenca favoreceram o sucesso desportivo do F.C. Porto nestas últimas 7 épocas, ao permitirem ao clube conquistar mais 23% dos pontos disputados do que aquilo que permitiram ao Benfica conquistar no mesmo período. Esta época, os jogos do Benfica na Luz contra F.C. Porto e o Sporting, foram arbitrados por Jorge Sousa e Pedro Proença, foram os 2 únicos jogos que o clube não conseguiu vencer aproveitando o factor casa na atua época 2014/15. O fraco rendimento do clube com estes 2 arbitros, é algo que é do conhecimento de todos os adeptos de futebol, com Jorge Sousa e o Pedro Proença, o Benfica nestas 7 épocas conquistou 51% e 44% dos pontos disputados respetivamente.
  • Nestas 7 últimas épocas com todos os outros arbitros, a capacidade desportiva do Benfica e do F.C. Porto foi muito semelhante, uma vez que, o Benfica conquistou 453 pontos em 181 jogos (83%) e o F.C. Porto conquistou 449 pontos em 182 jogos (82%), sendo que nesses jogos ambas as equipas beneficiaram de um saldo favorável de 57 decisões arbitrais (33 penaltis e 24 expulsões favoráveis para o Benfica e 40 penaltis e 17 expulsões favoráveis para o F.C. Porto). Com todos os outros árbitros as condições arbitrais com que os 2 clubes competiram foram muito similares, apenas nos jogos arbitros pelo Jorge Sousa ou Pedro Proença é que se ocorreram as grandes diferenças em termos de penaltis e expulsões.
  • Com os arbitros nomeados esta época historicamente nas 7 últimas épocas permitiram ao F.C. Porto (82% dos pontos disputados) obter um melhor rendimento do que o Benfica (77% dos pontos disputados). Curiosamente os 17 arbitros nomeados para jogos do Benfica nesta época 2014/15, já dirigiram 156 jogos do Benfica nos últimos 7 campeonatos e os 16 arbitros nomeados para jogos do F.C. Porto em 2014/15 também já dirigiram 156 jogos nos últimos 7 campeonatos. Sendo que nesse mesmo número de jogos com os nomeados de 2014/15, o F.C.Porto conquistou mais 25 pontos que o Benfica. Ou seja, com todos os outros árbitros não nomeados esta época, o Benfica conquistou mais 10 pontos que o F.C. Porto nos 6 anos anteriores (135 pontos e 125 pontos nos mesmos 55 jogos de cada equipa, ou seja com todos os outros arbitros que não foram nomeados esta época, o Benfica conquistou 82% dos pontos e o F.C. Porto 76% dos pontos disputados).  

A vermelho estão os arbitros com os quais o Benfica obteve um rendimento superior a 78% dos pontos nas últimas 7 épocas. A azul estão os árbitros com os quais o F.C. Porto obteve um rendimento superior a 81% dos pontos nas últimas 7 épocas. Com o fundo branco encontramos os arbitros nomeados esta época, com os quais os clubes obtiveram nas últimas 7 épocas um rendimento inferior ao rendimento médio do clube com todos os árbitros. Visualizando essas cores vemos que o Benfica teve de competir esta época com mais árbitros que lhe são estatisticamente prejudiciais, 13 jornadas no total, enquanto que o F.C. Porto, somente teve 8 desses jogos.

Com a nomeação do Jorge Tavares nesta 31ª jornada, este será 5º jogo do Benfica com um arbitro que lhe baixa o rendimento médio em mais de 20%. Em todas as 32ª jornadas de 2014/15, nos jogos do F.C. Porto não encontramos nenhum arbitro nomeado com o qual historicamente o F.C. Porto tenha conseguido um rendimeno muito inferior ao que tem sido o rendimento médio do clube nas últimas 7 épocas.
O que se espera é que o Jorge Tavares neste 2º jogo na Luz tenha melhor desempenho do que o verificado no único jogo do Benfica que ja dirigiu (6ª jornada da época passada), como se pode ver no Blog A MINHA CHAMA

Comprova-se assim, que:
  • Mantendo o rendimento futebolistico normal do F.C. Porto com os arbitros nomeados até a 32ª jornada desta época, o F.C. Porto conquistaria 84 pontos em 34 jogos (82% dos pontos). 
  • Se simplesmenste mantivesse o rendimento futebolistico médio do Benfica com os arbitros nomeados até a 32ª jornada da época 2014/15, o Benfica apenas conquistaria 79 pontos em 34 jogos (77% dos pontos). 
  • Se concluida a 34ª jornada, o Benfica conseguir contrariar a tendência arbitral que as estatísticas das últimas 7 épocas demonstram, finalmente ao Lopetegui não restará outra alternativa que não a de assumir as suas responsabilidades pelos resultados desta época. ao contrário do que tem feito até a data.

3 comentários:

Mauro Silva disse...

Este é pois, o rendimento médio esperado por estes clubes independentemente do arbitro em questão.

Só por aqui o autor diz tudo.

Esperava encontrar aqui um blog imparcial; deparo-me com (mais) um blog tendencioso. Obrigado por me lembrarem que nada neste País Futebolístico-Desportivo é por acaso...

Anónimo disse...

o melhor é enviar este post ao rui santos... é tão fácil desmascarar os tarefeiros do sistema.

Nelson Moreira disse...

nas únicas 3 épocas que houve sorteio de árbitros os campeões foram:

1999/2000 – Sporting
2000/2001 – Boavista
2001/2002 – Sporting