domingo, 27 de abril de 2014

AINDA VAMOS FESTEJAR ESTE ANO!

O responsável máximo pela "estrutura" que domina o atual SISTEMA do Futebol Português depois de conhecer o arbitro nomeado para a 2º mão da 1/2 final da Taça de Portugal dava uma entrevista reveladora de plena confiança no trabalho realizado pela "estrutura", ao jornal oficial da propaganda do clube.
Palavras que obviamente foram a capa desse dia no Jornal.


Festejar ainda este ano!!!!!!!!

Quem o convidou para a grande festa no Jamor?

Ou será que tem algum convite especial para ir festejar a nova Taça da Liga?

11 dias depois desta entrevista já sabemos que a única coisa que vai festejar este ano é a superioridade numérica, infelizmente para a competitividade desportiva em Portugal, nas últimas décadas ele criou uma "estrutura" que garante essa superioridade numérica e as melhores condições arbitrais para se ter sucesso desportivo em Portugal. Os números arbitrais não mentem e só não vê quem não quer.

Apesar destas 2 vitorias seguidas do Benfica, se num próximo jogo o F.C. Porto voltar a ter mais de 60 minutos em superioridade numérica existe uma grande probabilidade de ser o vencedor do jogo, da mesma forma que o Benfica aumentaria muito as suas hipóteses de vencer se jogar mais de 60 minutos em superioridade numérica. Aqueles que falam em fim de ciclo que interiorizem de uma vez por todas que esse fim de ciclo só será possível quando se conseguir acabar com as excecionais condições arbitrais com que se compete em Portugal.

Incrível como o F.C. Porto, mesmo numa época de bastante fraco desempenho desportivo consegue beneficiar de tantas decisões arbitrais favoráveis, ao ponto de esta época ter competido contra o Benfica, beneficiando de 123 minutos em superioridade numérica nos jogos decisivos em que estão em disputas acesso as finais das taças e também conseguiu no campeonato ser a equipa que beneficiou de mais penaltis a favor, 12 penaltis no total em 28 jogos enquanto que mesmo o atual campeão apenas beneficiou de 8 penaltis. Ou seja, apesar da grande qualidade competitiva do Benfica deste ano, o F.C. Porto beneficiou de 150% dos penaltis que o Benfica beneficiou esta época.  Em 10 campeonatos nestas circunstâncias a equipa que beneficiar de mais decisões arbitrais vai ganhar obrigatoriamente 9 desses campeonatos, só mesmo uma equipa muito superior consegue anular essa desvantagem e mesmo assim se transformar em campeão.

No jogo da taça de Portugal, o Pedro Proença cumpriu como era esperado, criou as condições ideais para o PC ainda poder festejar este ano. O Benfica entrou melhor e adiantou-se no marcador mas o Pedro Proença decidiu que não podia permitir tamanha superioridade do Benfica em campo, por isso há que equilibrar o jogo expulsando o Siqueira. Como a "estrutura" deve ter festejado no momento em que Siqueira foi expulso ainda com 63 minutos para jogar. Nunca o prognóstico esteve mais próximo de se converter em realidade. Inacreditável como o F.C. Porto não aproveitou essa vantagem numérica. Em toda a sua carreira de mais de 3 décadas de dirigismo desportivo, PC de certeza que nunca viu nenhuma equipa grande desaproveitar todo esse tempo em superioridade numérica. Só tinha de garantir que não seria derrotado por 2 golos de diferença, para ganhar a eliminatória!

Hoje, ocorreu novamente uma decisão arbitral inaceitável para uma verdadeira competição desportiva saudável. Marco Ferreira é um jovem arbitro que aparenta ter bastante qualidade mas é inadmissível a dualidade de critério que demonstrou num jogo em que ocorrerem diversas entradas violentas do Mangala sem qualquer cartão exibido, mas foi capaz de expulsar um jogador ao Benfica ainda com 60 minutos por jogar.
Mais uma vez, a "estrutura" deve ter festejado e muito as condições amplamente favoráveis em que disputou esta meia final com o apoio do 12 jogador contra um adversário apenas com 10 jogadores.

Este arbitro que não demonstrou qualquer bom senso para evitar estragar o jogo, ao expulsar o S. Vitória, no mês passado arbitrou a 1ª mão da 1/2 da Taça de Portugal, mas nesse jogo tentou por todos os meios não deixar o F.C. Porto em inferioridade numérica, nesses 2 lances que as imagens documentam. É verdade que ainda faltavam disputar muitos minutos mas estes lances que põem em risco a integridade física dos adversários é mais compreensível a decisão de obrigar uma das equipas a competir em inferioridade numérica durante tão largo tempo.
 
Para pouca sorte da "estrutura", quanto maior as facilidades oferecidas a sua equipa mais visível se torna a incompetência dessa equipa quando não consegue aproveitar.

Marco Ferreira, porque não houve expulsões no jogo da taça de Portugal e um mês após houve uma expulsão neste jogo da taça da liga?

3 comentários:

Anónimo disse...

Boa pergunta?

Para a qual nunca obteremos resposta.
Ou melhor, para a qual todos sabemos a resposta!

RC

Anónimo disse...

Já agora só para a estatística quantos jogadores do porto foram expulsos neste campeonato ? e quantos penaltis contra ?

é que na epoca passada só houve um expulso o Mangala aos 89min frente ao beira-mar já ia em 2-0
e um penalti contra frente ao nacional, ja o resultado ia em 3-0

Cumprimentos

Influência Arbitral disse...

Podes ver esses dados em DADOS DA ÉPOCA 2013/14 (E ERROS ARBITRAIS)

http://influenciaarbitral.blogspot.pt/search/label/DADOS%20DA%20%C3%89POCA%202013%2F14%20%28E%20ERROS%20ARBITRAIS%29