domingo, 11 de março de 2018

As nomeações dos árbitros e sua influência na luta pelo título

Nesta 26ª jornada, ontem no dia do jogo Benfica-Aves, finalmente foi do conhecimento publico que o nomeado para esta importante partida para a atribuição do campeão 2017/18, era o Rui Costa (arbitro da Associação do Porto, 11º classificado da época passada). Depois de ser conhecido a nomeação do Rui Costa, encontramos nas redes socias diversas publicações nos blogs sobre futebol, reclamando do facto de ter sido nomeado mais um arbitro da Associação de Futebol do Porto para jogos que vão decidir o campeão 2017/18. É já o 20º jogo envolvendo, o Benfica ou F. C. Porto arbitrado por um elemento da A. F. Porto! São quase 40% dos jogos do título a ser dirigidos por árbitros de uma das Associações interessadas nesse título, quando a outra Associação que está interessada em ter um clube campeão, apenas teve árbitros da sua associação em 17% dos jogos do título até a data! Já incluindo esta nomeação, foi a 9ª vez do Benfica em 26 jornadas, em que é nomeado um arbitro da Associação do Porto para jogos do Benfica nesta época 2017/18, sendo que foram nomeados apenas por 5 vezes árbitros da Associação de Futebol de Lisboa para jogos do Benfica até ao momento. 

O F. C. Porto joga hoje para a 26ª jornada, mas ainda não é publico o nome do arbitro nomeado. 

Do que já ocorreu em 25 jornadas, curiosamente constatamos que foram nomeados por 11 vezes árbitros da Associação de Futebol do Porto para jogos do F. C. Porto e apenas por 4 vezes foram nomeados árbitros da Associação de Futebol de Lisboa para jogos do F. C. Porto até ao momento. Com estes números fica mais que evidente que nestas jornadas já decorridas em 2017/18, existe uma clara vantagem nas condições arbitrais proporcionadas ao F. C. Porto comparativamente às do seu principal rival para a conquista deste campeonato (Benfica). 

Todos sabemos que os árbitros acabam defendendo os interesses da sua própria Associação de Futebol mesmo que seja de uma forma inconsciente, ou simplesmente pelas pressões a que estão sujeitos pelos adeptos do grande clube da sua associação. 

Analisando estatisticamente os dados médios dos clubes com cada arbitro nos últimos 10 campeonatos, ninguém pode dizer que fica muito surpreendido ao constatar que o F. C. Porto obtêm melhor rendimento médio do que o Benfica com 4 dos 6 dos árbitros da A. F. Porto (Jorge Sousa, Artur Soares Dias, Vasco Santos, Rui Oliveira) e apenas com Manuel Oliveira e Rui Costa tal não se verifica. Atendendo a diferença do rendimento médio do F. C. Porto para o Benfica com cada arbitro, a ordem de preferência para os interesses do F. C. Porto no que toca a ter árbitros da sua associação nos jogos com interferência na luta pelo título (ou seja, do F. C. Porto e Benfica, equipas que repartiram entre si os títulos nas últimas 10 épocas) seria sempre esta: Jorge Sousa, Artur Soares Dias, Vasco Santos, Rui Oliveira, Manuel Oliveira e por último o Rui Costa. Tal como ninguém fica verdadeiramente surpreendido ao constatar que nestas últimas 10 épocas, o Benfica obteve melhor rendimento médio do que o F. C. Porto com 3 dos 4 árbitros da Associação de Futebol de Lisboa em atividade (João Capela, Tiago Martins, Hélder Malheiro), apenas com Hugo Miguel tal não se verifica. Atendendo a diferença do rendimento médio do Benfica para o F. C. Porto com cada arbitro, a ordem de preferência para os interesses do Benfica, no que toca a ter árbitros da sua associação nos jogos com interferência na luta pelo título (F. C. Porto e Benfica) seria sempre a seguinte: João Capela, Tiago Martins, Hélder Malheiro e por último o Hugo Miguel. Como é óbvio mesmo o Hugo Miguel (o último da A. F. Lisboa), seria sempre preferível ao Jorge Sousa, Artur Soares Dias, Vasco Santos aos olhos dos dirigentes Benfiquistas! Esse é o ponto a reter, a Associação que pertencem faz diferença.

Sabe-se que para os clubes não é indiferente o nome do arbitro nomeado para dirigir os seus jogos. Não é expectável que o arbitro não queira que o título fique com um clube da sua própria associação, ou que tendencialmente tome mais decisões desfavoráveis ao clube da sua própria associação.


Todos os clubes preferem ter nos seus jogos, árbitros com os quais são claramente o clube com melhor rendimento pontual em média nos jogos arbitrados por esse arbitro nas últimas 10 épocas.

Assim, analisando em separado as 3 condições mais relevantes para definir estatisticamente e de forma objetiva a tendência do arbitro temos de ver: 
  1. A associação a que pertence o arbitro; 
  2. Qual é a equipa que obteve melhor % de pontos conquistados nas últimas 10 épocas com esse arbitro em concreto; 
  3. Qual das equipas tem um maior saldo de decisões arbitrais favoráveis (penaltis e expulsões efetivamente assinalados pelo arbitro).
Atribuímos a cor azul aos árbitros em que em nenhum destes 3 parâmetros acima referidos, o Benfica consegue ter vantagem sobre o F. C. Porto e atribuímos a cor vermelha aos árbitros em que em nenhum destes 3 parâmetros, o F. C. Porto consegue ter vantagem sobre o Benfica. 

Em baixo podemos ver o quadro com todos os árbitros nomeados para os jogos do F. C. Porto nas 25 jornadas já disputadas. 
Estas foram as nomeações para os jogos do Porto efetuadas pelo C.A. liderado por Fontelas Gomes. Incompreensivelmente nas últimas 9 jornadas não foi nomeado para jogos do F. C. Porto, nenhum arbitro com o qual o F. C. Porto teve uma % de pontos conquistados média inferior ao Benfica nas últimas 10 temporadas. 9 jogos seguidos a ter árbitros com o qual o clube é o maior em Portugal!

Quando olhamos com atenção para as nomeações dos árbitros para os jogos do F. C. Porto, vemos que nestas 25 jornadas disputadas, por 8 vezes o clube teve nomeações francamente favoráveis (arbitro da sua própria associação, com o qual o F. C. Porto foi a equipa que obteve o melhor rendimento médio nas últimas 10 épocas e com o qual o F. C. Porto tem um saldo de decisões arbitrais mais favorável do que o Benfica) e apenas por 1 única vez teve um arbitro de Lisboa, com o qual obteve um rendimento médio inferior ao do Benfica nos últimos 10 campeonatos e com o qual o F. C. Porto não tem um saldo mais favorável de decisões arbitrais que o Benfica (Penaltis e expulsões efetivamente assinalados). 


Foram disputadas 307 jornadas desde o início da época 2008/09 até a 25ª jornada da época 2017/18, e nesse período em estudo neste blog (últimas 10 temporadas), constatamos que as 2 equipas com melhor desempenho foram o Benfica (conquistou 735 pontos) e o F. C. Porto (conquistou 734 pontos). As 2 equipas repartiram entre si os últimos títulos, pois o Benfica e F. C. Porto foram as únicas equipas que conquistaram campeonatos nas últimas 10 épocas. Em média as duas equipas conquistaram aproximadamente 80% dos pontos disputados nesses 307 jogos realizados nos últimos 10 campeonatos, logo a probalidade de encontrarmos um arbitro com o qual o Benfica foi a equipa com o melhor rendimento médio é muito semelhante ao do arbitro com o qual o F. C. Porto foi a equipa com melhor rendimento.



Independentemente do arbitro em questão, o Benfica e o F. C. Porto, nas últimas 10 épocas conquistaram em média aproximadamente 80% dos pontos possíveis, mas quando analisamos mais concretamente o rendimento médio do clube com cada arbitro (pegando nos 6 primeiros classificados da época 2016/17), verificamos que:
  1.  O F. C. Porto nas últimas 10 épocas obteve um rendimento médio superior ao do Benfica em 17% em jogos arbitrados pelo Jorge Sousa (1º classificado de 2016/17). O F. C. Porto conquistou 75% dos pontos disputados nos 20 jogos arbitrados pelo Jorge Sousa, enquanto o Benfica conquistou 58% dos pontos disputados nos 25 jogos arbitrados pelo Jorge Sousa. Este arbitro (Jorge Sousa) pertence a Associação de Futebol do Porto e curiosamente esta época já foi nomeado para 3 jogos do F. C. Porto e 3 jogos do Benfica.
  2. O F. C. Porto nas últimas 10 épocas obteve um rendimento médio superior ao do Benfica em 10% em jogos arbitrados pelo Artur Soares Dias (2º classificado de 2016/17). O F. C. Porto conquistou 78% dos pontos disputados nos 21 jogos arbitrados pelo Artur Soares Dias, enquanto o Benfica conquistou 68% dos pontos disputados nos jogos arbitrados pelo Artur Soares Dias. Este arbitro (Artur Soares Dias) pertence a Associação de Futebol do Porto e curiosamente esta época já foi nomeado para 3 jogos do F. C. Porto e 3 jogos do Benfica.
  3. O F. C. Porto nas últimas 10 épocas obteve um rendimento médio superior ao do Benfica em 17% em jogos arbitrados pelo Carlos Xistra (3º classificado de 2016/17). O F. C. Porto conquistou 83% dos pontos disputados nos 25 jogos arbitrados pelo Carlos Xistra, enquanto o Benfica conquistou 71% dos pontos disputados nos 17 jogos arbitrados pelo Carlos Xistra. Este arbitro (Carlos Xistra) pertence a Associação de Futebol de Castelo Branco e curiosamente esta época já foi nomeado para 3 jogos do F. C. Porto e 3 jogos do Benfica.
  4. O Benfica nas últimas 10 épocas obteve um rendimento médio superior ao do F. C. Porto em 4% em jogos arbitrados pelo Bruno Paixão (4º classificado de 2016/17). O Benfica conquistou 76% dos pontos disputados nos 14 jogos arbitrados pelo Bruno Paixão, enquanto o F. C. Porto conquistou 72% dos pontos disputados nos 6 jogos arbitrados pelo Bruno Paixão. É estranho que apesar de o F. C. Porto ter um rendimento inferior ao do Benfica com este arbitro de apenas 4% de diferença, ele tenha sido tão ostracizado pelas ostes portistas, ao ponto de nestes últimos 10 campeonatos só ter sido nomeado para 6 jogos do F. C. Porto. Este arbitro (Bruno Paixão) pertence a Associação de Futebol de Setúbal e curiosamente esta época ainda não foi nomeado para nenhum jogo do F. C. Porto e apenas 1 jogo do Benfica. É muito curioso a utilização que o C.A. dá ao 4º classificado de 2016/17! Esta pouca utilização será por não pertencer a nenhuma das 2 maiores asociações, nem a A. F. Porto nem a A. F. Lisboa?
  5. O F. C. Porto nas últimas 10 épocas obteve um rendimento médio superior ao do Benfica em 2% em jogos arbitrados pelo Nuno Almeida (5º classificado de 2016/17). O F. C. Porto conquistou 88% dos pontos disputados nos 8 jogos arbitrados pelo Nuno Almeida, enquanto o Benfica conquistou 86% dos pontos disputados nos 12 jogos arbitrados pelo Nuno Almeida. Este arbitro (Nuno Almeida) pertence a Associação de Futebol do Algarve e curiosamente esta época ainda não foi nomeado para nenhum jogo do F. C. Porto e apenas 1 jogo do Benfica. É muito curioso a utilização que o C.A. dá ao 5º classificado de 2016/17! Esta pouca utilização será por não pertencerem a nenhuma das 2 maiores asociações, nem a A. F. Porto nem a A. F. Lisboa?
  6. O F. C. Porto nas últimas 10 épocas obteve um rendimento médio superior ao do Benfica em 3% em jogos arbitrados pelo Hugo Miguel (6º classificado de 2016/17). O F. C. Porto conquistou 86% dos pontos disputados nos 21 jogos arbitrados pelo Hugo Miguel, enquanto o Benfica conquistou 83% dos pontos disputados nos 16 jogos arbitrados pelo Hugo Miguel. Este arbitro (Hugo Miguel) pertence a Associação de Futebol de Lisboa e curiosamente esta época já foi nomeado para 3 jogos do F. C. Porto e 2 jogos do Benfica.

Como se pode ver, inacreditavelmente mesmo existindo no campeonato nacional 2 equipas com praticamente o mesmo rendimento médio (80% de pontos possíveis conquistados nas últimas 10 épocas), o Conselho de Arbitragem conseguiu avaliar e colocar nos 6 primeiros lugares da classificação dos árbitros em 2016/17, 5 árbitros com os quais o F. C. Porto obteve melhor rendimento pontual médio que o Benfica e 1 único com o qual o Benfica obteve um rendimento médio melhor que F. C. Porto, arbitro esse que curiosamente quase não teve influência no rendimento médio do F. C. Porto, pois apenas foi nomeado para 6 jogos dos 307 jogos F. C. Porto nestas últimas 10 temporadas! Se não favorece o rendimento do Porto não é nomeado, é isso!

É DESTA FORMA QUE TEM SIDO DISPUTADA A LIGA 2017/18 ATÉ A DATA!
Que curiosa forma de garantir equidade entre as equipas, né C.A.!!!
Os dados estatísticos demonstram que não tem sido criado condições semelhantes entre os candidatos ao título para a disputa deste campeonato até ao momento. 

Teremos alguma correcção nos critérios utilizados pelo Conselho de Arbitragem para os jogos dos candidatos ao título?

3 comentários:

José Ramalhete disse...

Grande trabalho, nem o CA deve tanta informação. Sugiro que lhe envies o estudo, pode ser que corrijam a tendência...
Isto é ironia, eles sabem bem o que andam a fazer!

MP disse...

Imbestigue-se. Só que não será investigado. :(

Anónimo disse...

E fazerem uma espécie de "Liga da Verdade" como no Record? Podiam publicar uma imagem da liga da verdade do Record pois essa é premium