quarta-feira, 19 de julho de 2017

Bruno de Carvalho - "Bardamerda" absolvido

O conselho de Disciplina decidiu absolver Bruno de Carvalho da participação disciplinar que havia sido instaurado contra o presidente do Sporting. pelo seu discurso público de tomada de posse em que afirmou alto em em bom som: "Barbamerda para quem não é do Sporting". Foi um acto público de total desprezo pelos adversários, que não mereceu nenhum reparo público pelos responsáveis disciplinares da Liga.

Pelos vistos, para os elementos do CD ser tratado por bardamerda não é nada ofensivo.
Moral desta história: Os elementos do CD ou são uns bardamerdas ou são do Sporting. 
Há quem diga que o mais provável é serem ambas as coisas! 
Para quem é um bardamerda realmente não deve ser nada ofensivo ser tratado por tal, o pior é para os que não são e que por essa decisão do CD podem se sentir insultados e tentados a fazer a justiça pelas suas próprias mãos. 

Quando a justiça é ineficaz, normalmente, deixa é os cidadãos numa situação ainda mais vulnerável, pois normalmente o elemento do povo não leva desaforo para casa. Os juizes do CD como já se viu toleram muitos insultos, estão muito subjugados a quem os elege.

Já a maioria dos adeptos, não se revê nessa decisão do CD, pois os adeptos de todos os restantes clubes que não o sporting, seguramente não se consideram uns bardamerdas.
E esses adeptos de futebol português que não são do Sporting e não se consideram uns bardamerdas, obviamente condena esse discurso público do Bruno de Carvalho, como condenerá está decisão do CD em aceitar como não sensurável essa alusão a que são uns bardamerdas só pelo simples facto de não serem adeptos do Sporting. O desporto não é o insulto aos adversários, ninguém consegue competir se não tiver a honra de ter um adversário que queira partilhar um evento desportivo consigo.


Isto começa assim, de seguida após uma derrota qualquer vamos ouvir alguém a dizer bardamerda para os vencedores, ou mais tarde vamos ouvir bardamerda para os juizes do CD que decidiram contra os interesses da minha equipa e ai, jazendo jurisprudência na actual decisão já não haverá moral para poder castigar ninguém pelos insultos aos adversários.


1 comentário:

Renato G. D. disse...

Bom-dia!
São de ambos, que a maioria é do sporting já conhecido, só não o dizem nas novelas que criam diariamente, e como se portam da maneira que se portam, são bardamerdas.
É como aquele indivíduo do sporting que no cachecol dizia a mesma coisa (que tirou a fotografia com o fabio coentrão), eu acho que essa situação é desrespeitosa e talvez ser considerada ou enquadrada como uma ofensa verbal, além de que o fabrico de um cachecol a dizer tal coisa, pudesse ser impedido por ser de natureza ofensiva e levar a comportamentos de ódio e violência, gostava que o Benfica fosse menos permissivo a estes casos e se houvesse substância jurídica para interpor uma ação em tribunal o fizesse.