quarta-feira, 22 de março de 2017

Contemporizar - sempre a contemporizar há mais de 2 campeonatos completos

Mais uma semana a contemporizar, não é Fontelas Gomes?

Pode parecer mentira mas a verdade é que o Benfica não beneficia de nenhum minuto em superioridade númerica durante desde a 25ª jornada da época 2014/15, são já 69 jogos seguidos sem beneficar de uma expulsão favorável.

Será que na nossa Liga existe mais algum clube que não tenha beneficiado de nenhum minuto em superioridade numérica em tempo útil de jogo nesta temporada e tal como na anterior. Será que os árbitros não mostram cartões na nossa liga? Mostram, sim mas não é para os adversários do lider e só para os adversários do 2º classificiado, esses já usufruiram de 9 expulsoões dos afversários, sendo que 4 deles ocorreram ainda na 1ª parte. Será que o último classificado da Liga ou o ante-penúltimo já usufruiram de expulsões de jogadores adversários, algo que até agora tem estado vedado ao lider?

Nesta 26ª jornada, o Eliseu é rasteirado quando se preparava para levar a bola para a uma rápida marcação do respectivo pontpé de canto e o João Pinheiro decidiu não punir o infractor pelo comportamento anti-desportivo.


Já no jogo da taça contra o Estoril, é o Filipe Augusto que sofre uma entrada  faltosa perto da área do Estoril que não foi sancionada pelo arbitro, entrada perigosa que o obrigou a sair para receber assistência e 2 minutos depois teve mesmo que ser substituido, pois a lesão era mesmo impeditiva. Na 2ª parte, Zivcovic foi vitima de outra entrada violenta sem a devida sanção.

Quem é responsável máximo pela proteção da integridade fisica dos jogadores? Fontelas Gomes!
Esta temporada, o F. C. Porto já jogou 298 minutos com o adversário reduzido a 10 jogadores e  inexplicávelmente, o Benfica ainda não usufruiu de nenhum minuto de superioridade numérica em tempo útil de jogo. E já foram diversos os lançes em que os cartões ficaram no bolso, como podemos ver de seguida:

Na 2ª jornada Manuel Oliveira preferiu nada assinalar neste lance no Benfica 1 - Setubal 1.


Na 4ª jornada, no Arouca 1 - Benfica 2, o Fábio Veríssimo mesmo sendo o arbitro que mais exibe cartões vermelhos na liga Portuguesa (em 39 jogos arbitrados já exibiu 23 cartões vermelhos!), resolveu não sancionar a carga pelas costas sofrida pelo Rafa Silva pelo último defesa do Arouca. Nem expulsão, nem penalti assinalado e no contra ataque que se seguiu o Arouca conseguiu marcar o seu único golo na partida, com os jogadores do Benfica ainda incrédulos com a anterior decisão arbitral do Fábio Veríssimo. Neste jogo, Rafa Silva saiu lesionado e só regressou da lesão à 11ª jornada.


Na 5ª jornada, ainda com 1-0 no marcador, o Jorge Sousa não sanciona a falta sofrida pelo Pizzi dentro da área, em que foi travado um ataque prometedor no Benfica 3 - Braga 1.


Na 10ª jornada, no F. C. Porto 1 - Porto 1, Artur Soares Dias nada assinala quando Filipe pontapeou André Horta, após isso ele ainda se vangloria de ter pontapeado o adversário sem a devida punição.


Na 12ª jornada, no Marítimo 2 - Benfica 1, Vasco Santos permitiu diversas entradas faltosas aos maritimistas sem a devida punição. Para cumulo no lance seguinte em que Nelson Semedo sofre grande penalidade,... ele até apita mas assinalou falta contra o Benfica! Incompreensível,... Vasco!




Na 16ª jornada no Guimarães 0 - Benfica 2, Fejsa depois de efectuar um corte de carinho é pisado pelo Soares, sem que sequer a falta seja assinalado pelo Nuno Almeida. Fejsa teve de ser substituido logo de seguida ainda nessa 1ª parte e por lesão ficou afastado da equipa durante mais 2 jornadas.


Na 17ª jornada, no Benfica 3 - Boavista 3, o lance do 1º golo do Boavista resulta desta entrada violenta sobre o Rafa em que o arbitro Luis Ferreira nada assinalou, perdendo o Benfica a bola a entrada da sua àrea, o que foi aproveitado pelo Boavista para fazer o 0-1. Entrada de pitons, nenhum cartão, nem sequer a falta foi assinalada! Já o 0-2 resulta dum lance em que o Andre Almeida é carregado pelo cotevelo do boavisteiro impedindo-o de saltar. Tantos erros acumulados pela simples vontade de contemporizar!



Na 19ª jornada, no Setúbal 1 - Benfica 0, o arbitro João Pinheiro resolveu não sancionar estes 2 lances. Contemporização e mais contemporização, quem se lixa são os jogadores que levam no osso.





Na 20ª jornada, no Benfica 3 - Nacional 0, Sálvio é vitima desta entrada assassina, sem qualquer intenção de jogar a bola, lesionou-se e teve que ser substituido, não esteve apto  também para a jornada seguinte, mas o infractor mais uma vez não foi expulso neste jogo.


Tem sido assim o campeonato, cheio de entradas assassinas que passam sem a devida punição. E estes são só alguns dos lances em que temos as imagens para documentar lances em que a integridade dos jogadores foi colocada em causa.

Aos 6 minutos de jogo, do Benfica 2 - Chaves 1, Samaris sofre está entrada perigosa sem a devida punição ao Fábio Martins por parte do arbitro Nuno Almeida. Como é que os jogadores não hão de estar lesionados com arbitros tão permissívos.

Este lance na 23ª jornada, foi só mais um lance em que os arbitros resolveram contemporizar com os adversários do Benfica. Esta situação tem sido tão recorrente que o Benfica ainda não usufruiu de nenhuma superioridade númerica durante o tempo útil de jogo.

1 comentário:

Unknown disse...

Caríssimo Influência Arbitral, já lhe tinha transmitido num post anterior mas reitero aqui que o total de minutos em superioridade numérica do F.C. Porto nesta época cifra-se em 313 minutos. A diferença para os 298 minutos aqui referidos devem-se provavelmente à não contabilização dos minutos de desconto em cada cada um dos 9 jogos em que jogaram em superioridade numérica.
A título de curiosidade, tanto o Tondela como o Nacional já jogaram em superioridade numérica neste campeonato.