domingo, 12 de fevereiro de 2017

TIPICA DISPUTA DE BOLA ENTRE O AVANÇADO E O GUARDA-REDES

Ederson foi expulso aos 41 minutos numa tipica disputa de bola entre avançado e o guarda-redes!Só que neste caso o guarda-redes chegou primeiro a bola! 

Nos lances clássicos de disputa de bola entre o avançado e o guarda-redes, normalmente os árbitros assinalam falta do guarda-redes, quando é o avançado a chegar primeiro à bola e o inevitável choque acontece após isso, mas nesse caso, o Ederson chegou primeiro a bola, por isso não se comprende o vermelho directo. Aparentemente pelas explicações dos pseudo-experts em arbitragem do jornal OJOGO, o Manuel Mota castigou Ederson pelo uso excessivo de agressividade nessa disputa de bola. Foi expulso por conduta grosseira, violenta ou força excessiva!  É com estas estapafurdias justificações que estes senhores querem explicar aos adeptos de futebol a justeza desta decisão arbitral! Na verdade, Ederson simplesmente se limitou a ser mais rápido, a ser o primeiro a pontapear a bola, nenhum desses senhores fazedores de opinião da nossa praça consegue dizer qual a forma correcta como Ederson devia pontapear a bola e ainda conseguir retirar o pé desse lance dividido, para que dessa forma não seja castigado por conduta grosseira, violenta ou força excessiva?



Será que algum desses senhores conseguem explicar como é que o Ederson poderia proceder para evitar o contacto com o adversário ao pontapear essa bola? Não jogar a bola não é a solução, nunca pode ser solução para qualquer um que é pago para jogador a bola.

Se fosse o caso de ser o Mateus, o 1º a chegar a aquela bola, pontapeando-a, como é que também o Mateus consegueria escapar de atingir com o pé no seu adversário na sequência dessa bola dividida. Será que este mesmos ex-arbitros defenderiam também a expulsão do atacante em defesa da integridade fisica do guarda-redes benfiquista nesse caso? 

Já todos sabem que para o tribunal do OJOGO, quando um jogador do Benfica atinge o adversário depois de chutar a bola é um lance claro para vermelho. Será que os jogadores do Benfica ainda nunca foram atingidos pelo adversário depois de um corte e é por isso que o Benfica ainda não usufruiu de nenhuma expulsão do adversário "em tempo útil de jogo" nos últimos 64 jogos para o campeonato nacional?

Assim tem sido os critérios arbitrais que esta época não permitiram ao Benfica jogar em suerioridade numérica e permitiram ao F. C. Porto jogar mais de 200 minutos em superoridade numérica. Também se estranha que, quando é um jogador do F. C. Porto atinge o adversário com os pitóns em riste, não seja considerado lance para vermelho directo, nem haja no OJOGO quem defenda a integridade fisica dessa vitima no lance. É que, verdade seja dita nesta temporada, Ederson não foi o 1º a atingir o adversário com os pitóns numa disputa de bola, pode é ter sido o 1º a levar cartão vermelho directo após jogar primeiro a bola. Estas são as condições em que o Benfica lutará pelo tetra.

Ora vejamos em seguida, alguns lances de entradas com os pitóns em riste em que nem seguer jogam a bola e mesmo assim não mereceram por parte dos árbitros a amostragem do vermelho directo.

Todos nos lembramos que depois do Layun ter posto em causa a integridade fisica do Cassio e o vermelho não foi exibido e Layun ainda cometeu mais 1 penalti e fez outra falta perigosa nesse jogo sem ter sido expulso pelo Jorge Sousa.

Entretanto neste fim de semana, por incrível que pareça, apenas um dia após a expulsão decretada pelo Manuel Mota, aconteceu um lance bastante semelhante no jogo do Benfica B, em que o José Gomes é atingido pelos pitóns do guarda-redes do Aves e pasme-se, afinal este tipo de lance não é para vermelho directo! Pois, aqui o Quim não foi expulso, não me digam que só o seria se antes tivesse chutado a bola! Que critérios arbitrais tão estranhos/diferentes existem na nossa Liga.
A liga exige aos árbitros a aplicação das mesmas regras na 1ª e na 2ª liga ou não?


Atendendo ao histórico de decisões arbitrais é realmente estranho a expulsão do Ederson.
Quem não se lembra do Slimani atingir com os pitons a perna do Julio Cesar na época passada, sem sequer ser amarelado, aliás nem falta foi assinalado pelo Jorge Sousa quanto mais cartão vermelho exibido. As pernas do Mateus devem ser mais valiosas que as do Julio Cesar!


Ou do Teo Gutierrez pontapear a cabeça do Ventura, sem ser punido pelo arbitro Tiago Martins com o correspondente cartão.
Aparentemente nestes lances não existe conduta grosseira, violenta ou força excessiva, desde que seja protagonizados por jogadores com equipamentos listados! Ao contrário da disputa de lance protagonizado pelo Ederson! Mas de todos eles Ederson foi realmente o único que calculou bem as distâncias na disputa de bola, pois foi o único a chegar primeiro a bola e a efectuar o corte.

As leis não devem ser aplicadas consoante as cores das camisolas, é bom que os árbitros saibam disso, em defesa realmente da integridade fisica dos jogadores de futebol.

Independentemente do clube, todos dirão aos seus guarda-redes que ao saiem da baliza para disputar uma bola com o avançado, o objectivo a atingir tem de ser obrigatoriamente chegar primeiro a bola que o atacante. E se ele tiver qualidades tecnicas para ser eficaz nesse aspecto do jogo, competência para conseguir jogar primeiro a bola, estará em condições de ser uma mais valia para a sua equipa.
Ederson é realmente um guarda-redes muito bom a sair da baliza, muito rapido a chegar as bolas colocadas em profundidade e é essa caracteristica uma das razões pelo que é muito pretendido pelos principais clubes europeus.
Quem viu o lance não consegue afirmar que o Ederson intencionalmente atingiu o adversário ou que no lugar do Ederson consegueria evitar o choque após pontapear essa bola.

A expulsão por conduta grosseira, violenta ou força excessiva como é referido pelos tribunal dos ex-arbitros será mais aplicável para o Ederson ou para o FIlipe no último Classico.


Pelo que se viu com Ederson afinal jogar primeiro a bola e depois atingir o adversário é vermelho directo. Alguém devia avisar o Artur Soares Dias que no último classíco se esqueceu de puniu o Filipe com o respectivo cartão por pontapear o André Horta aos 81 minutos de jogo.



Sem comentários: