terça-feira, 18 de outubro de 2016

CONTAS DOS 3 GRANDES (ÉPOCA 2015/16)

Já são conhecidas as contas dos 3 grandes clubes portugueses.

Numa época em que o Benfica apresentou o maior RLE de sempre da sua SAD e o Sporting SAD regressou aos enormes prejuízos que caracterizaram a gestão do clube no período Godinho Lopes, o F. C. Porto foi o último a apresentar as contas e como se previa foi um pessímo exercício económico, sendo mesmo o pior Resultado Liquido do Exercício alguma vez apresentado pela SAD portista ou mesmo por qualquer outra SAD de um clube português. 

Em seguida apresentamos um quadro comparativo com a demonstração de resultados das 3 SAD.
                                                                                       montantes expressos em milhares de euros
Dados retirados das contas comunicadas à CMVM (Contas da Sporting SAD e contas consolidadas anuais da Benfica SAD e da F. C. Porto SAD). Sporting SAD não apresentou contas consolidadas.

Benfica é de longe a equipa portuguesa que gera mais receitas operacionais, durante a temporada 2015/16 teve um total de proveitos operacionais de 126.075 m€, sendo que o F. C. Porto gerou 60% desse valor (75.811 m€) e o Sporting apenas 55% desse valor (68.750 m€).

Em termos de gastos operacionais na época 2015/16, vemos que F. C. Porto foi a equipa que incorreu em maiores custos operacionais, teve custos operacionais de 124.425 m€, seguido do Benfica que teve custos operacionais de 118.170 m€ (95% dos custos incorridos pelo F. C. Porto), segue-se depois o Sporting com 93.485 m€ (75% dos custos incorridos pelo F. C. Porto). Os custos operacionais do Sporting são os mais baixos das 3 SADs, mas convêm aos dirigentes sportinguistas ter alguma atenção a estes custos uma vez que na época anterior tinham sido de apenas 52.105 m€, ou seja esta temporada houve um aumento de custos operacionais em 41.380 m€ em relação a temporada anterior! Enorme aumento de custo operacionais, principalmente provocada pelo exponencial aumento nos custos com o pessoal de 25.140 m€ para os actuais 48.865 m€.

Ao analisarmos os Resultados Operacionais sem transações de jogadores, constatamos que o Sporting e o F. C. Porto para competir pelo titulo de campeão nacional com o Benfica, assumiram compromissos operacionais muito acima do que a actividade operacional dos respectivos clubes aconselha. Daí ter registado o F. C. Porto, um resultado operacional sem transações de jogadores bastante negativo de 48.614 m€ e o Sporting um resultado operacional negativo de 24.735 m€ (sendo que mesmo sem o efeito dos 14.991 m€ do caso Doen, teria registado em resultado operacional negativo de 9.744 m€). O Benfica foi o único clube em que a actividade operacional sem transações de jogadores permitiu um resultado operacional positivo. Mas atenção, os 7.905 m€ positivos de resultados operacionais sem transações de jogadores, não seria um montante suficiente para compensar os custos financeiros anuais que o clube tem de suportar em virtude do nível actual de individamento da Benfica SAD.

Na escala europeia os clubes portugueses são clubes vendedores, utilizam a rubrica das transações de jogadores para obter rendimentos com transaçoes de jogadores superiores as amortizações e perdas de imparidades do plantel que possibilitem ter resultados com transações de passes de jogadores positivos. Os resultados com transações de passes de jogadores foram largamente positivos no Benfica, no valor de 30.113 m€, também tiveram um contributo positivo no F. C. Porto, no valor de 7.102 m€ e no Sporting tiveram um contributo ligeiramente negativo (-1.616 m€). As vendas do Sporting neste defeso foram efectuadas somente nos últimos dias de agosto e por isso não entraram nas contas de 2015/16.

Os resultados finaceiros são largamente negativos para todos os clubes, como já é usual acontecer todos os anos, Benfica e F.C. Porto com resultados financeros significativamente negativos  e no caso do Sporting só não teve um reflexo maior na SAD sportinguista muito por causa da restruturação da dívida que o clube sofreu anteriormente (os famosos VMOC).

No final vemos que:
O Resultado Liquido do Exercício do Benfica foi positivo em 20.396 m€.
O Resultado Liquido do Exercício do Sporting foi largamente negativo (-31.905 m€).
O Resultado Liquido do Exercício do F. C. Porto foi largamente negativo (-58.284 m€).

Como será a nova época, conseguirá o Benfica nesta continuar com o bom desempenho económico?
Conseguirá o Sporting e o F. C. Porto nesta nova temporada melhorar o desempenho ao ponto de obter um RLE positivo? Aparentemente os seus custos operacionais não serão menores esta temporada, novamente nesta temporada voltam a apostar cegamente num incerto aumento de proveitos!


Sem comentários: