domingo, 22 de maio de 2016

FALTAM CAMPEÕES A NOSSA SELECÇÃO

Antes de ser conhecido a listagem final dos 23 escolhidos pelo Fernando Santos, já tínhamos publicado aqui no Blog quais seriam os nossos 23 escolhidos, sendo que ainda acrestavamos mais 4 opções com qualidade muito semelhantes e que poderiam deixar o selecionador com duvidas sobre quem levar. 

Os 23 escolhidos pelo Fernando Santos, constavam dos 27 possíveis da nossa listagem, o que comprova que os nossos critérios estão de acordo com a real valia dos jogadores, mas nos 23 selecionados existem diferenças entre as escolhas do Fernando Santos e aquilo que do nosso ponto de vista, os dados estatísticos indicavam como sendo melhor escolha para o Europeu. 
Dos 27 que elencamos não segue viajem o Bernardo Silva por lesão, logo compreensível, mas na nossa opinião, para aumentar o nº de jogadores vencedores, deviam ser e não foram convocados, o André Almeida, o Pizzi e o Hugo Vieira. Se no caso do Hugo Vieira até podemos considerar aceitável o facto do selecionador continuar com a sua aposta no Eder, pois foi ele o convocado durante o apuramento e o Hugo Vieira ainda não é internacional A, no caso do André Almeida e do Pizzi, é incompreensível o seu afastamento da lista final. São internacionais A e transportam consigo o pedigree dos campeões, que enriqueceria e muito a nossa selecção. Necessitamos deles! Pois só 4 dos jogadores convocados foram campeões esta temporada. Queremos ganhar, mas...
FALTAM CAMPEÕES A NOSSA SELECÇÃO! FALTAM CAMPEÕES NA SELECÇÃO, FERNANDO SANTOS!

Os jogadores vencedores, com espirito conquistador são os que ajudam as suas selecções a ter sucesso. 

Antes de iniciado esta temporada, apesar da Comunicação Social afirmar que o Benfica (com a aposta em 5 jovens oriundos da formação), seria o 3º na hierarquia dos favoritos, aqui no blog com base também nos critérios estatísticos (currículo dos jogadores e treinadores) e nas vezes que os jogadores já competiram com sucesso para ganhar nas suas carreiras, acabamos por publicar que o Benfica seria o princípal favorido ao título, atribiuindo 40% de probabilidades de ser campeão ao Benfica, 30% ao Sporting e 30% ao F. C. Porto. O tempo veio dar razão as probabilidades estatísticas, confirmando a nossa previsão. 
No final do Europeu com muita pena nossa, deveremos estar a escrever o mesmo, pois não cuidamos de levar os portugueses mais aptos a ganhar para o Europeu, o selecionador deixou-se manipular pela CS. 
O que a selecção pode ganhar em levar o Cedric e Adrien em vez do André Almeida e do Pizzi? Nada! 
Para o André Almeida jogar tantas partidas no Benfica (37 jogos), tiveram que ficar 2 internacionais A no banco, o Sílvio e o Nelson Semedo. Para o Pizzi, jogar no Benfica 47 partidas, tiveram que ficar 3 internacionais A no banco, o Sálvio, o Carcela e o Gonçalo Guedes. É esta competitividade que o Cedric e o Adrien não tiveram que ultrapassar nos seus clubes (112º e 40º do Ranking da UEFA) para fazerem 27 e 41 jogos respectivamente está época. 

Os jogadores com qualidade para competir por títulos são contratados pelas melhores equipas europeias. Pertencer ao plantel de uma das 10 melhores equipas do Ranking UFA, é o 1º atestado de qualidade de um jogador e se esse jogador conseguir com o seu desempenho desportivo durante a época ultrapassar a concorrencia interna no clube, de modo a ser um dos 11 base da equipa, então definitivamente esse jogador demonstra competências desportivas para representar a seleção nacional. Portugal não tem assim tantos jogadores nos grandes clubes europeus para desprezar atletas com desempenhos de excelência num dos 10 melhores clubes europeus da actualidade, como foi o caso do André Almeida e do Pizzi. Benfica é neste momento o 6º melhor clube do ranking UEFA, todas as outras selecções aproveitaram os jogadores do top 10.
O esforço para ser campeão português devia ser respeitado por parte do selecionador nacional! E premiado também! 

Quantos jogadores portugueses pertencentes ao onze base de uma das 10 melhores equipas da europa (Ranking UEFA tendo em conta as última 5 épocas) ou numa das melhores 8 equipas europeias da actual temporada (1/4 finais da Champions), não foram seleccionados para o Euro? 
Apenas o André Almeida e o Pizzi, não viram o seu mérito desportivo devidamente reconhecido! 
Todos os outros portugueses que revelaram competências futebolisticas para pertencer ao plantel e jogar no Real Madrid (1º), Bayern Munique (2º), Barcelona (3º), Atlético Madrid (4º), Chelsea (5º), Benfica (6º), PSG (7º), Borrusia Dortmund (8º), Juventus (9º) e Arsenal (10º) foram convocados, tal como a esmagadora maioria dos europeus destas equipas foram convocados para as suas respectivas selecções. No Benfica encontramos pois, mais de metade de todos os jogadores de nacionalidade europeia dos 10 principais clubes do ranking UEFA que não foram convocados para o Euro. Não faz sentido portugal ter um clube tão bem cotado internacionalmente e não tirar dividendos desses jogadores na sua selecção.

Quantos jogadores portugueses selecionados conseguiram jogar esta temporada num clube top 10 europeu e/ou atingir os 1/4 final da Champions? 
Infelizmente quando olhamos para os 23 escolhidos pelo Fernando Santos apenas encontramos 5 atletas nessas condições, o Ronaldo, Pepe, Vieirinha, Eliseu, Renato Sanches. Somente 5, é muito pouco!
São realmente muito pouco jogadores da elite europeia no elenco! 
São muito poucos jogadores verdadeiramente com experiência na elite das competições europeias! São tão raros que nem chegariam para formar um onze e mesmo assim, o André Almeida e o Pizzi não constam na lista para o Europeu. 
Inadmíssivel falta de consideração pelo campeão portugês (Benfica) e pela nossa Liga, Fernando Santos ao todo apenas convocou 8 jogadores que actuam na Liga Portuguesa, que é a 5ª melhor Liga do Ranking UEFA!

Para agravar a isso, entre os 23 jogadores convocados apenas 4 jogadores demonstraram mérito desportivo para conquistar o título de campeão esta temporada, foram o Eliseu e o Renato Sanches em Portugal (5º melhor campeonato do Ranking da UEFA), o Quaresma (na Turquia, 11º campeonato do Ranking UEFA) e o Eduardo (Croácia, 17º campeonato do Ranking UEFA). Realmente fica evidente que foi cometida uma enorme injustiça ao André Almeida (Tri-campeão) e ao Pizzi (Bi-Campeão), pois esta época não houve nenhum outro português que tenha vencido uma liga melhor do que a Liga que o André Almeida e o Pizzi conseguiram vencer. 

Fernando Santos nunca devia esquecer que sendo seleccionador da Federação Portuguesa de Futebol, tem o dever de ser o defensor/promotor nº1 da qualidade futebolistica presente na Liga Portuguesa. Os campeões nacionais merecem ver o seu desempenho desportivo reconhecido. Nunca deveria transmitir a mensagem aos jogadores que representando o Benfica, mesmo que tenham um optimo desempenho desportivo (campeões de Portugal atingindo os 1/4 final da Champions), continuarão a ser vistos aos olhos do selecionador como jogadores de inferior qualidade aos de 5º classificado de Inglaterra (Southampton/Wosfburg-8º da Alemanha) ou de um 1º ou 2º da Turquia (Besiktas/Fenerbache/Valência-12º de Espanha). O que transparece é que se o atleta representa o Benfica não tem condições para ser selecionado, mas assim que sai do Benfica passa a ser selecionável, como aconteceu com o André Gomes, o Bernardo Silva e com o Renato Sanches. 

Por exemplo, o Cedric e o Quaresma ainda a época passada competiram no campeonato nacional, tal como o Adrien Silva, perdendo o campeonato para o André Almeida e o Pizzi, mas esta época representando o 5º classificado da Liga Inglesa (participou em 27 dos 46 jogos oficiais do clube), ou o 1º da Liga Turca (participou em 37 dos 49 jogos oficiais do clube) ou o 2º classificado de Portugal (participou em 41 dos 51 jogos oficiais do clube) foram convocados para o Europeu, mesmo não sendo em princípio jogadores da equipa tipo da selecção Portuguesa, ou seja claramente não são imprescindíveis e não reunem qualidades para acrescentar melhores valências do que aquelas que os outros convocados para as mesmas posições apresentam. Assim, ficaram prejudicados o André Almeida e Pizzi, fica também prejudicado a reprentatividade da nossa Liga no Europeu e também a nossa selecção que fica privado de 2 campeões de um dos principais campeonatos europeus no seu elenco. 

Entre todos os internacionais portugueses A que pertencem aos quadros dos 10 melhores clubes europeus, apenas não foram convocados para o EURO, o André Almeida (37 jogos realizados), Pizzi (47 jogos realizados), Gonçalo Guedes (participou em 31 jogos aos 19 anos), Tiago (19 jogos realizados aos 35 anos) e Nelson Semedo (18 jogos realizados aos 22 anos), ou seja 4 a jogar no Benfica e um no Atlético de Madrid, sendo que o André Almeida e o Pizzi tiveram uma enorme participação na excelente época desportiva do campeão nacional.

Qual seria a expectativa e/ou respeito em relação a selecção Portuguesa, de um Alemão/Inglês/Francês/Espanhol/Italiano/Russo que tenha visto os jogos Sporting-B. Leverkussem, Benfica-Bayern Munique, Benfica-Zenith, Sporting-CSKA esta temporada, se em vez do Adrien Silva estivesse o Pizzi no elenco da selecção, ou em vez do Cedric estivesse o André Almeida? Arrisco em afirmar que os desempenhos do André Almeida e Pizzi aos olhos desses jogadores/adeptos europeus, impõem mais respeito que o Cedric e o Adrien Silva, pois nas competicões europeias já viram os primeiros a jogar pelo 6º melhor clube europeu da actualidade, vencendo ou eliminando, oTotenham, Newcastle, PSG, Marselha, Bordeus, Atlético Madrid, Juventus, Zenith, Bayer Lerverkussen, além de ter empatado com o Barcelona ou Bayern Munique e a discutido de igual para igual uma final da Liga europa até aos 92 minutos contra o Chelsea (5º Ranking UEFA). Tudo clubes que fornecem muitos atletas para as suas respectivas selecções, porque não aconteceu o mesmo com os jogadores do Benfica?

Qualquer selecionador que se guie pelo mérito desportivo, incluiria no seu elenco, jogadores com melhor histórico de conquistas e não aqueles que tem melhor imprensa, pois o que deve prevalecer é o rendimento desportivo. 
Tanto assim acontece, que quando chegarmos as 1/2 finais do Europeu, ao olharmos para as 4 melhores selecções do Europeu, seguramente encontraremos em qualquer desses elencos mais de 11 jogadores que foram recentemente campeões nacionais numa das 10 melhores ligas na Europa (nalguma das últimas 4 épocas). Nos 23 eleitos só temos 10 jogadores portugueses  que foram campeões recentemente (nalguma das últimas 4 épocas), que foram o:


  • O Ronaldo, Pepe e Ricardo Carvalho (1 Liga Espanhola), venceram a Champions em 2013/14 e o Ronaldo e o Pepe ainda podem repetir a conquista da Champions esta época.
  • O Eliseu que venceu 2 campeonatos em Portugal (2014/15 e 2015/16).
  • O Bruno Alves que venceu 1 campeonato na Turquia e 1 campeonato na Russia.
  • O Eduardo que venceu 2 campeonatos na Croacia (2014/15 e 2015/16).
  • O João Moutinho, campeão em Portugal (2012/13). 
  • O Renato Sanches (2015/16) e o André Gomes (2013/14) que venceram 1 campeonato cada um em Portugal.
  • O Quaresma que venceu 1 campeonato da Turquia (2015/16).
  • Com tão poucos jogadores portugueses com histórico de títulos, seguramente em 23 selecionados  deveríamos ter incluido os 2 jogadores que se seguem:
  • O André Almeida que venceu 3 campeonatos nacionais em Portugal (2013/14, 2014/15 e 2015/16)
  • O Pizzi que venceu 2 campeonatos em Portual (2014/15 e 2015/16) e uma Liga Europa pelo Atlético de Madrid.


  • Em seguida, vamos só ver quem são os campeões dos 10 melhores campeonatos do Ranking UEFA. A negrito podemos colocar todos os jogadores europeus, passíveis de ser convocados e entre parentesis o País pelo qual foram convocados para este Europeu. Vamos ver que os selecionadores convocaram quase todos os jogadores vencedores, mesmo aqueles que não pertencem ao 11 base das suas equipas, respeitando o mérito desportivo, pois conseguir jogar nessas equipas é por si só um grande atestado de qualidade desse jogador. Pena o que aconteceu ao André Almeida e ao Pizzi.


    Assim, está o Ranking de paises da UEFA e os correspondentes campeões desses paises:

    1º ESPANHA - O campeão foi o Barcelona (Bi-Campeão em título) e conta com 4 espanhóis no seu 11 base: Bravo, Dani Alves, Mascherano, Piquet (ESP), Jordi Alba (ESP), Sérgio Busques (ESP), Iniesta (ESP), Rakitic (CRO), Neymar, Suarez e Messi. O seleccionador espanhol, Del Bosque em vez de 4, convocou 5 jogadores do Barcelona, premiou obviamente o Piquet, Jordi Alba, Sérgio Busques, Iniesta e ainda o Marc Batra de 25 anos que conseguiu participar em 24 jogos do Barcelona em todas as competições. Além dos 5 espanhóis do Barcelona, convocou outros 10 jogadores espanhóis que participaram na Liga espanhola (4 do Real Madrid e 3 do Atlético de Madrid, os finalistas da Champions). Como prémio pelo mérito do Barcelona ainda foram convocados 4 jogadores Europeus dos Barcelona, como o Ter Stegen (GER) , Jérémy Mathieu (FRA), Arda Turan (TUR) e Thomas Vermaelen (BEL), ou seja dos 18 jogadores mais utilizados no Barcelona, foram premiados com o Euro 2016, todos os 9 europeus com qualidade para serem dos mais utilizados no Barcelona (todos os nacionais de um País que participa no europeu)São 9 os campeões espanhóis pelo Barcelona premiados com a presença no Europeu.

    2º ALEMANHA - O campeão foi o Bayern Munique (tetra-campeão em título) e contou com 5 Alemães no seu 11 base: Manuel Neuer (GER), Pilipp Lahm, Boateng (GER), Kimmich (GER), David Alaba (AUST), Thiago Alcatra (ESP), Arturo Vidal, Douglas Costa, Kingsley Conam (FRA), Muller (GER) e Lewandowsky (POL), sendo que o veterano Pilipp Lahm já tinha anunciado a sua retirada da selecção após o último mundial em 2014. Joaquim Loew, em vez de 4 convocou todos os 5 elegíveis para a Alemanha que jogam no Bayern, obviamente premiou o Manuel Neuer, Boateng, Kimmich, Muller e ainda o Mario Gotze (GER) de 23 anos que participou em apenas 21 jogos do Bayern em todas as competições. Além dos 5 Alemães ainda foram convocados outros 4 jogadores Europeus do Bayern Munique, como o David Alaba (AUST), Thiago Alcatra (ESP)Kingsley Conam (FRA) e Lewandowsky (POL). São 9 os campeões Alemães pelo Bayern premiados com a presença no Europeu e agora com o Renato Sanches são 10 jogadores do Bayern.

    3º INGLATERRA - Surpreendentemente o campeão foi o Leicester, que além do Danny Simpson, defesa de 29 anos com dupla nacionalidade Inglaterra/Jamaica que particicou em 32 jogos do Leicester em todas as competições, contou apenas com 3 ingleses nos 15 jogadores mais utilizados pelo clube esta época. 2 dos 3 ingleses do Leicester foram premiados com a convocatória para representar a seleção e apenas o Marc Albringthon, atacante de 26 anos que marcou 2 golos nos 42 jogos que participou esta época, não foi convocado para a selecção. Compreensível, correcto!  Do 11 base: Schmeichel, D. Simpson, Wes Morgan, Robert Huth, Fuchs (AUST), Kanté (FRA), Drinkwater (ING), Okazaki, Mahrez, Marc Albringthon e Jamie Vardy (ING). Roy Hodson respeitou a sua liga, todos os 23 jogadores que convocou jogam na Liga Inglesa e convocou para a selecção 2 jogadores do Campeão Leicester, o Danny Drinkwater e o Jamie Vardy, mesmo que em épocas anteriores nada tivessem feito para serem internacionais A. Além dos 2 Ingleses foram convocados outros 3 europeus que jogam no Leicester, o Fuchs (AUST), Kanté (FRA) e Andy King (GALES). São, pois 5 campeões de Inglaterra, premiados com a presença no  Europeu. O único internacional europeu do Leicester que não conseguiu ser selecionado para o Euro, foi o veterano Robert Huth.

    4º ITALIA - O campeão foi a Juventus, conta com a 4 italianos no seu 11 base: Buffon (ITA), Lichtsteiner (SUI), Barzagli (ITA), Bonucci (ITA), Patrice Evra (FRA), Kedira (GER), Paul Pogba (FRA), Marchisio, Cuadrado, Dybala, Morata (ESP). Como Marchisio se lesionou permitindo ao Alex Sandro entrar para os 11 mais utilizados, restam nesta equipa base apenas 3 italianos. Em vez de 3 foram convocados pelo António Conte, para este Europeu 4 jogadores da Juventus, Buffon, Barzagli, Bonucci e ainda Simone Zaza (ITA), jovem avançado de 24 anos, que em todas as competições esta época marcou 8 golos participando em 24 jogos pela Juventus e ao todo convocou 20 jogadores que actuam na Liga Italinana. Da Juventus, além dos 4 italianos também foram convocados para o Europeu outros 6 atletas como o Lichtsteiner (SUI), Patrice Evra (FRA), Kedira (GER), Paul Pogba (FRA), Morata (ESP) e o Mandzukic (CRO). São 10 campeões Italianos premiados com a presença no Europeu.

    5º PORTUGAL - O campeão foi o Benfica (Tri-campeão em título), que contou com 4 Portugueses no seu onze base: Ederson, André Almeida, Lindelof (SUE), Jardel, Eliseu (PT), Fejsa, Renato Sanches (PT), Pizzi, Nico Gaitan, Jonas e Mitroglou. Além destes 4 internacionais A portugueses, no plantel do campeão houve outros 2 jovens jogadores internacionais A portugueses, bastante utilizados esta época no Benfica, que é o caso do Gonçalo Guedes (19 anos), que participou em 30 jogos e marcou 4 golos esta época pelo Benfica e o Nelson Semedo (21 anos) que conseguiu participar em 18 jogos mesmo tendo estado lesionado 3 meses entre Outubro e Dezembro (lesão contraida ao serviço da selecção com Fernando Santos). 
    E não é que o Fernando Santos em 6 elegíveis para a selecção, só convoca 2 jogadores campeões nacionais. E há até quem diga que, o Renato Sanches teve a sorte de o selecionador e a imprensa já o verem como jogador do Bayern, senão o que estava preparado para gaúdio do compadrio vigente na CS, seria a convocação de apenas 1 ou pior, nenhum jogador do Benfica (caso Coentrão não não se tivesse lesionado). Aos olhos do Fernando Santos, o Benfica em Portugal, mesmo campeão deve ser ainda inferior ao Leicester em Inglaterra que conseguiu ser premiado com 2 novos internacionais A pelo seu selecionador R. Hodson. 
    O Benfica não só venceu a Liga Portuguesa,como ainda ficou entre as 8 melhores equipas europeias na Champions desta época e mesmo assim perdeu 2 internacionais A na listagem final para o Europeu. Qualquer atleta que consiga entrar para o 11 base do Benfica (6ª melhor equipa do Ranking UEFA) tem obrigatoriamente de ter ultrapassado a concorrencia de diversos outros atletas internacionais A. É por tudo isso que a não inclusão do André Almeida e do Pizzi nos 23 eleitos é uma grande injustiça, pois internamente tiveram que concorrer com os outros internacionais A pelo lugar (Silvio, Nelson Almeida, Gaitan, Salvio, Carcela, Gonçalo Guedes). Portugal foi o único sitio em que o mérito desportivo não foi premiado, dos 7 europeus que contribuiram decisivamente para a conquista do título apenas 3 foram recompesados com a chamada para o Europeu, sendo que Lindelof só fez 23 jogos pelo Benfica mas o seu selecionador premiou o seu mérito desportivo, ao contrário do que o Fernando Santos fez em Portugal com o André Almeida e o Pizzi.
    André Almeida é tri-campeão nacional (nestas 3 épocas realizou 93 jogos pelo Benfica) não merecia ser ultrapassado pelo Cedric que no Southampton (5º classificado de Inglaterra), só foi escolhido pelo seu treinador para participar em 2 dos últimos 10 jogos desta época (desde 01/03/2016 só fez 2 jogos e foi convocado!). Pizzi tem números de golos e assistençias muito semelhantes ao João Mario e é aquele que desempenha as funções de médio-direito de uma forma mais semelhante ao do João Mário. Logo a sua presença nos 23 eleitos garanteria a selecção poder continuar a utilizar o mesmo modelo estando disponível um deles em campo, mesmo assim não foi selecionado. 

    6º FRANÇA - O campeão foi o PSG esta época, é o tetra-campeão em título. O onze base do PSG foi composto por: Kevin Trapp (GER), Sèrge Aurier, Thiago Silva, David Luiz, Maxwell, Thiago Motta (ITA), Matuidi (FRA), Rabiot (FRA), Di Maria, Zlatan Ibrahimovic (SUE) e Edson Cavani. Do onze mais utilizado pelo PSG, todos os 6 que são europeus foram convocados para o Euro 2016 e ao todo do plantel campeão do PSG acabaram sendo convocados 7 jogadores para o Europeu, Kevin Trapp (GER), Matuidi (FRA), Rabiot (FRA), Salvatore Sirigu (ITA), Thiago Motta (ITA), Verratti (ITA) e Zlatan Ibrahimovic (SUE).

    7º RUSSIA - O campeão foi o CSKA, que conta no seu onze base com 5 Russos. O onze base foi: Akinfeev (RUS), Mario Fernandes, Ignashevich (RUS), Berezutsky (RUS), Victor Vasin (RUS), Pontus (SUE), Dzagoev (RUS), Eremenko (FIN), Tosic (CRO), Mussa e Seydou Doumbia. O selecionador Leonid Slutsky convocou 5 jogadores do campeão CSKA e respeitando os clubes e o campeonato Russo, convocou 22 jogadores que actuam no campeonato Russo. Ao todo do campeão CSKA foram convocados 8 jogadores para o Europeu.

    8º UCRANIA - O campeão foi o Dinamo de Kiev e conta com 7 Ucranianos no onze base que é composto por: Shovkovskiy, Yevhen Khacheridi (UKR), Denys Garmash (UKR), Oleh Gusev (UKR), Antunes, Miguel Veleoso, Serhiy Rybalka (UKR), Serhiy Sydorchuk (UKR), Andriy Yarmolenko (UKR), Derlis Gonzalez e Júnior Morais. Foram convocados pelo selecionador Mykhailo Fomenko, 6 jogadores do campeão, Yevhen Khacheridi (UKR), Denys Garmash (UKR), Oleh Gusev (UKR), Serhiy Rybalka (UKR), Serhiy Sydorchuk (UKR), Andriy Yarmolenko (UKR). Do Dinamo de Kiev foram convocados no geral 7 jogadores para o Europeu, pois o Dragovic (AUST) também vai ao Europeu.

    9º BELGICA - o Campeão foi o Clube de Bruges, que conta com 6 Belgas no seu onze base. O desempenho desportivo do Bruges foi premiado com a convocão de 2 jogadores, ou seja 2 dos 4 jogadores belgas que actuam na Liga Belga que foram convocados pelo selecionador Belga actuaram no campeão, são eles o Thomas Meunier (BEL) e Björn Engels (BEL). Compeende-se este escasso nº de jogadores a actuar na Liga Belga selecionados, uma vez que, 11 dos 23 Belgas selecionados jogam na Liga Inglesa, que é uma Liga com clubes claramente superiores aos da Liga Belga, ao ponto de não nos lembrarmos de equipas belgas que tenham eliminado equipas Inglesas nas últimas épocas.
    10º HOLANDA - o Campeão foi o PSV, mas esta selecção não se apurou para o Europeu

    Como se vê todas as 9 principais selecções tem os seus campeões nacionais suficientemente representados na sua selecção. Reuniram suficientes vencedores na sua selecção de modo a poder realizar uma boa campanha no Europeu. Por aqui podemos ver que as principais selecções tiveram capacidade de agrupar os seus campeões na selecção, coisa que Portugal não conseguiu fazer incompreensivelmente!
    Incompreensível como não se apetrechou a selecção com os campeões, mesmo havendo clubes nacionais que proporcionaram espaços competitivos previligiados a jogadores portugues, estes foram completamente desaproveitados pelo Fernando Santos. É por isso que o Benfica é dos clubes do top 10 Europeu o único que não conseguiu ter 5 ou mais jogadores seus no Europeu, o que menoriza a marca Benfica e o próprio campeonato português.

    Como se vê dos campeões nacionais das 8 melhores ligas europeias, o Benfica (6º do Ranking UEFA) foi o menos premiado pelo desempenho desportivo por parte do selecionador nacional, apenas terá 2 jogadores no Europeu (o Lindelof e o Eliseu, o Renato Sanches já é do Bayern), nº muito inferior ao do Leicester que terá 5 jogadores no Europeu, do PSG (7ºdo Ranking UEFA) que terá 7 jogadores no Euro, do Dinamo de Kiev (26º do Ranking UEFA) que terá 7 jogadores, do CSKA (41º do Ranking UEFA) que terá 8 jogadores, do Barcelona (3º do Ranking UEFA) que terá 9 jogadores, do Bayern (2º do Ranking UEFA) que terá 10 jogadores e da Juventus (9º  do Ranking UEFA) que terá 10 jogadores selecionados para o Europeu. Por aqui se percebe claramente que o Benfica de entre todos os clubes campeões das 10 principais ligas, foi o mais desconsiderado pelo seu selecionador nacional. Em nenhum dos outros clubes do top 10 do ranking UEFA aconteceu semelhante coisa. E ainda há quem queira branquiar na CS esta vergonhosa desconsideração, tentando passar para a opinião pública que não há reparos a fazer aos 23 escolhidos pelo Fernando Santos.

    A Liga Portuguesa não é inferior a Francesa, a Russa, a Ucraniaca ou a Belga mas seguramente vamos menos apetrechados de campeões de entre todas as selecções das 9 melhores Ligas Eupoeias. E no fim do Europeu vamos mais uma vez nos queixar do nosso fado, mas ai já será tarde, pois devíamos ter partido para o Europeu melhor representados no que se trata dos portugueses preparados para ganhar jogos de futebol. E nós queremos ganhar no Europeu, correcto?

    Fica aqui escrito, ainda antes da competição se iniciar qual é a nossa opinião e só se espera que de futuro não se volte a fazer algo semelhante a outros atletas com o mérito desportivo como os que tiveram esta época o André Almeida e o Pizzi. Que não desanimem e nem fiquem a pensar que tem obrigatoriamente que emigrar para o um Southampton/Wolfsburg ou Besiktas/Fenerbache dessa vida para terem um lugar na nossa selecção.


    Publicar um comentário. 

    Sem comentários: