quarta-feira, 20 de abril de 2016

GOLOS MARCADOS vs GRANDES PENALIDADES

Quem acompanha este blog, já conhece quantos penaltis beneficiou o F. C. Porto (71),  Benfica (63), Sporting (58) e o Braga (42) nos últimos 8 campeonatos.

A 1ª vista aparenta que esta foi a ordem das equipas que mais beneficiaram de penaltis assinalados a seu favor, pelo menos estes são os números absolutos de penaltis favoráveis.

Mas não devemos olhar somente para os valores absolutos de penaltis assinalados, pois como todos compreendemos, quanto melhor for o ataque de uma equipa, mais vezes chegará com a bola controlada a área adversária, mais faltas serão os adversários obrigados a fazer na sua área.
É por isso, que no agregado dos últimos 8 campeonatos (244 jogos), por exemplo todos damos como expectável que quer a Académica (com 238 golos marcados), quer o Rio Ave (com 244 golos marcados) beneficiem de menos penaltis favoráveis que qualquer um dos 4 candidatos ao título (equipas eminentemente atacantes), pois nesses 8 épocas, o Benfica (teve capacidade atacante para marcar 560 golos), o F. C. Porto (teve capacidade atacante para marcar 531 golos), o Sporting (teve capacidade atacante para marcar  397 golos) e o Braga (teve capacidade atacante para marcar  396 golos). Como se constata, apesar de cada uma das 6 equipas anteriormente referidas ter disputado 244 jogos nos últimos 8 campeonatos, não é expectável que as 6 equipas beneficiem do mesmo número de penaltis favoráveis. Existe uma grande diferença no rendimento atacante dessas 6 equipas.

A Académica e o Rio Ave não foram equipas capazes de apresentar números atacantes que se aproximem sequer dos 396 golos marcados pelo Braga e muito menos dos 560 golos marcados pelo Benfica, por isso seria muito estranho, que tivessem obrigado os seus rivais a cometer tantas grandes penalidades como os candidatos ao título foram capazes de conseguir. Ou seja, nestas últimas 8 épocas, seria uma anormalidade estatística evidente, se a Académica com 238 golos marcados, tivesse beneficiado dos mesmos 71 penaltis favoráveis que o F. C. Porto beneficiou (com 531 golos marcados), ou dos 63 penaltis favoráveis que o Benfica beneficiou (com 560 golos marcados), pois quer o Benfica, quer o F. C. Porto conseguiram fazer mais do dobro dos golos que a Académica foi capaz de fazer nesse mesmo período.

Em príncípio quanto maior é a força atacante da equipa mais penaltis favoráveis obterá, pelo todos concordamos que existe uma maior probabilidade de acontecerem essas faltas. A sorte de serem assinaladas de uma forma que seja evidente a corelação entre ataque e penaltis já depende de acreditarmos  ou não na equidade/neutralidade dos árbitros.

Quando dividirmos o número de golos marcados pelo número de penaltis favoráveis, vemos claramente que no campeonato nacional, não somente esta época mas sim mesmo no agregado das últimas 8 épocas, que a equipa a favor do qual foi mais facil assinalar grandes penalidades, foi o Sporting. Sim, por cada 7 golos que o Sporting conseguiu marcar foi assinalado um penalti favorável ao Sporting (397/58=6,8), enquanto que mesmo o F. C. Porto que é a equipa que em termos absolutos mais penaltis favoráveis beneficiou, precisa de fazer mais de 7 golos para que lhe seja assinalado 1 grande penalidade a seu favor (531/71=7,4). Já o Benfica, em média beneficia de 1 penalti favorável por cada 9 golos que marca (560/63=8,9) e o Braga em média também só beneficia de 1 penalti depois de conseguir marcar 9 golos (396/42=9,4).

A diferença na facilidade com que se assinalam penaltis favoráveis aos 4 candidatos ao titulo, vê-se no facto de em cada 100 golos marcados no campeonato, em média o Benfica beneficia de 11 penaltis, o F. C. Porto de 13 penaltis e o Sporting beneficia de 15 penaltis! Na mesma competição se o Benfica usufrui de menos 4 penaltis que o Sporting em cada 100 golos, já imaginaram quantos penaltis mais o Benfica teria de ver assinalado a seu favor pelos 560 golos que marcou nas últimas 8 épocas, se usufrui-se da mesma facilidade que o Sporting beneficiou para obter grandes penalidades favoráveis.


Chegados a este ponto com os dados destas últimas 8 épocas, podemos afirmar que em média, os 4 candidatos ao título beneficiaram de 1 penalti favorável por cada 8 golos marcados (1884/234=8).
Curiosamente os 4 clubes em média também sofreram 1 penalti desfavorável por cada 8 golos sofridos (787/103=8). 




Nos últimos 8 campeonatos, a equipa ao qual os árbitros tem revelado mais dificildade em penalizar com penaltis desfavoráveis no nosso campeonato tem sido o F. C. Porto, que em média sofreu uma grande penalidade por cada 8 golos sofridos (156/19=8,2), enquanto que o Benfica e o Sporting em média nas últimas 8 épocas sofreram 1 penalti desfavorável por cada 7 golos consentidos.

Vemos que, no agregado das últimas 8 épocas (244 jogos), o F. C. Porto (582 pontos) e o Benfica (579 pontos) obteram praticamente os mesmo número de pontos e obtiveram exactamente o mesmo goal-average de 375 golos positivos mas se não houvesse nenhum penalti assinaladado na liga ou se estas 2 equipas tivessem competido nas mesmas condições, o Benfica teria neste momento uma vantagem de 14 golos em relação ao F. C. Porto, pois sem o efeito dos penaltis assinalados, o Benfica teria um goal-average de 337 golos e o F. C. Porto de 323 golos.

Sem o efeito dos penaltis assinalados, o Sporting teria nestas últimas 8 épocas um goal-average de 163 golos e o Braga de 143 golos, seria uma diferença de apenas 20 golos, o que seria mutio inferior à diferença oficial entre estes 2 clubes nesse período que é de 37 golos (192-155).

Para aqueles que ainda não estão muito familiarizadado com o critério de PONTOS COM INFLUÊNCIA ARBITRAL DIRECTA, que utilizamos aqui no blog, mais uma vez explicamos que não se trata de uma opinião subjectiva da nossa parte classificando o penalti como correcta ou incorrectamente assinalado, mas sim simplesmente de uma forma objetiva analisar os dados estatísticos, em que sempre que o último golo for obtido/sofrido através de 1 penalti, se regista os pontos acrescentados/perdidos pelo efeito directo desse penalti. Para melhor compreenderem a aplicação pratica deste critério de PONTOS COM INFLUÊNCIA ARBITRAL DIRETA, por exemplo nesta época 2015/16, o Benfica ainda não acrescentou nenhum ponto com influência arbitral direta de 1 penalti, o F. C. Porto ACRESCENTOU 2 PONTOS COM INFLUÊNCIA ARBITRAL DIRETA no jogo F. C. Porto 2 - P. Ferreira 1 (Carlos Xistra) e o Sporting ACRESCENTOU 6 PONTOS COM INFLUÊNCIA ARBITRAL DIRETA, 2 pontos em cada um dos seguintes jogos, Tondela 1 - Sporting 2 (Carlos Xistra), Sporting 1 - Estoril 0 (Jorge Ferreira) e Sporting 1 - Belenenses 0 (Artur Soares Dias).

O Sporting teve sorte com as grandes penalidades assinaladas na época 2015/16, no agregado de todos os pontos ganhos/perdidos diretamente com decisões arbitrais nas últimas 8 épocas, conseguiu acrescentar mais 16 pontos directamente com o último golo de penalti marcado na partida. É neste momento o clube com melhor aproveitamento pontual dos penaltis assinalados nas últimas 8 épocas.
Comparando o número de golos marcados com o número de penaltis assinalados, também chegaremos a conclusão que estatisticamente o Sporting foi o clube que melhor partido retirou das grandes penalidades assinaladas nas últimas 8 épocas, em média usufruiu de 1 penalti favorável por cada 6,8 golos marcados. 
O Benfica se usufruisse das mesmas condições arbitrais que usufruiu o Sporting (1 penalti favorável por cada 6,8 golos marcados), como conseguiu marcar 560 golos teria beneficiado de 82 penaltis favoráveis, em vez dos 63 que efectivamente foram assinalados.

Sem comentários: