quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

AVALIAÇÃO DOS ARBITROS

ALGUMAS NOTAS AOS ARBITROS SÃO REALMENTE IMCOMPREENSÍVEIS PARA OS ADEPTOS DE FUTEBOL


Todos os adeptos sabem que a avaliação e a promoção a arbitro internacional é uma das formas que o "SISTEMA" utiliza para desvirtuar os resultados em proveito do clube que quer beneficiar ou proteger.


Ora, vejamos a nota atribuída no último Benfica 2 - Sporting 0 ao Marco Ferreira pela sua arbitragem, aplaudida e catalogada pela generalidade da crítica como um jogo bem arbitrado, sem qualquer lance mal ajuizado com influência no resultado.


Pergunta-se ao Conselho de Arbitragem, o que poderia fazer mais Marco Ferreira para ter uma melhor avaliação? 

Será que teria de inventar penaltis, expulsões, ou fechar os olhos a algum lance de fora-de-jogo para poder ser um novo Pedro Proença da arbitragem nacional?
Pois, se esta atuação arbitral teve uma nota de 3,5 numa escala de 0 a 5, como classificaríamos as atuações do experimentadíssimo Pedro Proença nos jogos entre os candidatos ao titulo em que a distribuição dos pontos tem sido de uma forma frequente influenciada em consequência direta dos penaltis e das expulsões assinaladas pelo arbitro. O F.C. Porto teve a sorte de acrescentar 9 pontos diretamente com as decisões arbitrais do Pedro Proença.

Conhecendo-se esta nota atribuída neste Derby, ficamos todos curiosos por conhecer a nota atribuída ao Artur Soares Dias e ao Hugo Miguel nos outros jogos entre os grandes ocorridos nesta época, pois é por demais evidente que foram arbitragens muito piores que está protagonizada pelo arbitro Marco Ferreira.


Algum membro do conselho de Arbitragem consegue explicar como foi possível ao Carlos Xistra  conseguir obter uma nota superior no Académica 2 - Benfica 2 da época 2012/12. Num jogo em que os dois únicos remates da Académica dentro da grande área em condições de alvejar a baliza do Benfica aconteceram através desses dois penaltis concedidos pelo Carlos Xistra, sendo que ambas as faltas marcadas na área foram mal assinaladas. Como o Benfica não conseguir fazer 3 golos nesse jogo para ultrapassar esses 2 golos oferecidos ao seu adversário pelo arbitro, acabou perdendo 2 preciosos pontos. Incrivelmente este arbitro ainda como prémio ostenta as insígnias de internacional e encontra-se no restrito lote de árbitros profissionais.


Analisando os números estatísticos dos árbitros aparentemente os artistas que revelarem possuir capacidades para diminuir drasticamente o desempenho pontual do Benfica são aqueles que o "sistema" protege com boas notas para chegarem a internacionais e assim poderem ser nomeados para os jogos importantes para influenciarem as classificações finais na defesa do interesse do clube protegido pelo "sistema".

Nos últimos 6 campeonatos se contabilizarmos somente os pontos conquistados sem o efeito direto de um último golo de penalti ou após uma expulsão, o Benfica teria conquistado 378 pontos e o F.C. Porto teria conquistado 383 pontos. Nestes 169 jogos, incluindo os pontos acrescentados com influência arbitral direta o Benfica conquistou 390 pontos e F.C. Porto conquistou 417 oficialmente, ou seja, o rendimento médio dos clubes com todos os árbitros é de conquistar 77% dos pontos e 82% dos pontos em disputa respetivamente.

Eis aqui uma lista de árbitros que mais alteram o rendimento pontual do Benfica e do F.C. Porto:
  • Com o Olegário Benquerença o F.C. Porto conquistou 100% dos pontos em disputa nestas últimas 6 épocas enquanto que o Benfica com este arbitro baixa o seu rendimento médio para apenas 28% dos pontos conquistados.
  • F.C. Porto conquistaria 52% dos pontos nos jogos arbitrados pelo Pedro Proença se não houvesse nenhum ponto acrescentado ou perdido com influência arbitral direta. Beneficiando diretamente dos 6 penaltis e 7 expulsões favoráveis acabou conquistando oficialmente nesses jogos com Pedro Proença a dirigir 72% dos pontos em disputa. O Benfica conquistaria 48% dos pontos nos jogos arbitrados pelo Pedro Proença se não houvesse nenhum ponto acrescentado ou perdido com influência arbitral direta. Penalizado pelo Pedro Proença com 3 penaltis contra e 4 expulsões contra, o Benfica acabou conquistando oficialmente apenas 39% dos pontos em disputa nos jogos arbitrados por este arbitro, ou seja metade do seu rendimento médio com todos os árbitros.
  • Com a arbitragem do Bruno Paixão, nas últimas 6 épocas o F.C. Porto apenas conquistou 44% dos pontos, enquanto que o Benfica conquistou 79% e o Sporting conquistou 89% dos pontos disputados nos jogos dirigidos pelo arbitro Bruno Paixão.

Sem comentários: