sábado, 21 de novembro de 2015

EXISTEM ÁRBITROS QUE PREJUDICAM O RENDIMENTO DE UM CLUBE CLARAMENTE

Qualquer adepto minimamente atento, mesmo apenas empiricamente com a observação dos jogos do F. C. Porto, Benfica e Sporting que assiste semanalmente, consegue formular algum juizo sobre as tendências arbitrais, mas objectivamente os dados estatisticos agregados são um melhor e mais fiavel indicador da influência arbitral no nosso campeonato.

Aqui no blog acreditamos que ao analisarmos um grande conjunto de jogos (em 8 campeonatos, são mais de 200 jogos) conseguimos obter o rendimento médio de um clube, independentemente do efeito direto de um arbitro em especifico. O rendimento médio do clube com todos os árbitros é um bom indicador da valia média desse clube, cujo rendimento obviamente poderá variar ligeiramente com cada arbitro.

Nas últimas 8 épocas, o F. C. Porto conquistou em média 80% dos pontos disputados, o Benfica conquistou 78% dos pontos disputados, o Sporting conquistou 64% dos pontos disputados e o Braga conquistou 58% dos pontos disputados. Este é o rendimento médio dos clubes independentemente do arbitro que dirige os jogos do clube. Mas como se sabe, todos os clubes têm árbitros que influenciam negativamente o seu rendimento desportivo, as vezes coincidentemente verificamos que esses são os árbitros preferidos dos clubes rivais, o que deixa ainda mais visível que esse arbitro não consegue ser um elemento neutro entre os candidatos ao titulo. Assim vamos agora analisar estatisticamente quais são os 3 piores arbitros para o F.C. Porto, para o Benfica e para o Sporting.

Entre os 23 árbitros no activo, estatitisticamente os 3 árbitros mais prejudiciais para o rendimento desportivo do F. C. Porto nos últimos 8 campeonatos foram:

  • Bruno Paixão - Nos 3 jogos dirigidos por este arbitro, o F. C. Porto só conquistou 44% dos pontos disputados (menos 36% do que foi o rendimento médio do clube com todos os outros arbitros). Este arbitro assinalou 1 penalti favorável e 1 penalti desfavorável ao clube.
  • Manuel Oliveira - Nos 2 jogos dirigidos  por este arbitro, o F. C. Porto conquistou 67% dos pontos disputados (menos 14% do que foi o rendimento médio do clube com todos os outros arbitros). Este arbitro assinalou 2 penaltis favoráveis ao F. C. Porto e ainda não assinalou nenhum penalti desfavorável ao clube.
  • João Capela - Nos 14 jogos dirigidos por este arbitro, o F. C. Porto conquistou 69% dos pontos disputados (menos 12% do que foi o rendimento médio do clube com todos os outros arbitros). Este arbitro assinalou 7 penaltis favoráveis ao F. C. Porto e 1 penalti desfavorável ao clube.



Entre os 23 árbitros no activo, estatitisticamente os 3 árbitros mais prejudiciais para o rendimento desportivo do Benfica nos últimos 8 campeonatos foram:
  • Jorge Sousa - Nos 17 jogos dirigidos por este arbitro, o Benfica só conquistou 51% dos pontos disputados (menos 29% do que foi o rendimento médio do clube com todos os outros arbitros). Este arbitro assinalou 2 penaltis favoráveis e 3 penaltis desfavoráveis ao clube.
  • Carlos XistraNos 12 jogos dirigidos por este arbitro, o Benfica conquistou 64% dos pontos disputados (menos 15% do que foi o rendimento médio do clube com todos os outros arbitros). Este arbitro assinalou 1 penalti favorável e 2 penaltis desfavoráveis ao clube.
  • Artur Soares Dias - Nos 15 jogos dirigidos por este arbitro, o Benfica conquistou 69% dos pontos disputados (menos 10% do que foi o rendimento médio do clube com todos os outros arbitros). Este arbitro assinalou 4 penaltis favoráveis e 3 penaltis desfavoráveis ao clube.



Entre os 23 árbitros no activo, estatitisticamente os 3 árbitros mais prejudiciais para o rendimento desportivo do Sporting nos últimos 8 campeonatos foram:

  • João Capela - Nos 8 jogos dirigidos por este arbitro, o Sporting so conquistou 33% dos pontos disputados (menos 32% do que foi o rendimento médio do clube com todos os outros arbitros). Este arbitro assinalou 2 penaltis favoráveis ao Sporting e nenhum penalti desfavorável ao clube.
  • Vasco Santos - Nos 8 jogos dirigidos por este arbitro, o Sporting conquistou 58% dos pontos disputados (menos 6% do que foi o rendimento médio do clube com todos os outros arbitros). Este arbitro assinalou 3 penaltis favoráveis e 1 penaltis desfavoráveis ao clube.
  • Artur Soares Dias - Nos 22 jogos dirigidos por este arbitro, o Sporting conquistou 62% dos pontos disputados (menos 2% do que foi o rendimento médio do clube com todos os outros arbitros). Este arbitro assinalou 10 penaltis favoráveis e 2 penaltis desfavoráveis ao clube.

Seguindo um critério que aplicamos aqui no Blog de que qualquer arbitro que influencie em mais de 20% no rendimento médio do clube não deve ser nomeados para jogos importantes desse clube, pois se os números demonstram que o rendimento do clube varia muito em relação ao que é o seu rendimento médio é um sinal claro de que esse arbitro interfere diretamente no jogo em vez de ser um elemento neutral.  Como podemos verificar neste momento só existe 1 arbitro que nunca devia ser nomeado para jogos importantes do Benfica (Jorge Sousa), 1 arbitro que nunca devia ser nomeado para jogos importantes do Sporting (João Capela) e 1 arbitro que nunca devia ser nomeado para jogos importantes do F. C. Porto (Bruno Paixão).

Quer queiramos, quer não existem arbitros que não reunem condições para dirigir jogos importantes de determinados clubes, pois sabemos que, historicamente o F. C. Porto não é uma equipa grande aos olhos do Bruno Paixão, o Sporting não é uma equipa grande aos olhos do João Capela e o Benfica não é uma equipa grande aos olhos do Jorge Sousa. É por demais evidente, quer pelos penaltis assinalados por esses arbitros, quer pelos pontos conquistados.

2 comentários:

Vítor Hugo Vieira disse...

Esta teoria é inenarrável, no mínimo. Uma análise estatística tão tosca, que não têm em conta coisas como por exemplo, qual o adversário( é muito diferente que seja contra um grande ou uma equipa do fundo da tabela), o erros que efectivamente aconteceram( dessa percentagem de pontos quantos é que foram decorrentes de influência da arbitragem?).
Inenarrável também é o facto de nem se perceber em que competições foi feita esta "análise", é que é muito diferente ser um campeonato, ou uma prova a eliminar, e se a maioria desses jogos foram em casa da equipa prejudicada ou fora.
E que tal uns dados mais concretos, com tabelas e gráficos?

Influência Arbitral disse...

Vitor Hugo Viera,
Aqui neste blog os dados estatísticos são somente dos jogos do campeonato e sabemos que quanto maiores forem os adversários de um clube nós jogos dirigidos por um arbitro a tendência será para o clube diminuir de rendimento em relação a sua média geral, o que não é comprensível é uma grande variação. Por isso, estabelecemos aqui um critério objectivo de considerar que variações superiores a 20% evidenciam uma tendência clara do arbitro. Por alguma razão nos 23 elementos do quadro de árbitros na 1ª categoria, Jorge Sousa é o único caso em que tal se verifica e como já vimos quer o F. C. Porto, quer o Sporting também só tem 1 único arbitro que lhes tenha obrigado a afastar em mais de 20% do seu rendimento médio com todos os outros árbitros, se bem que o Bruno Paixão só foi nomeado para 3 jogos do F. C. Porto e o João Capela para 8 jogos do Sporting, enquanto que o Jorge Sousa dirigiu 17 jogos e mesmo assim o clube esta muito longe dos 80% dos pontos que conquista em média com todos os outros árbitros.

Além desse fraco rendimento do Benfica nos jogos do campeoanto dirigidos pelo Jorge Sousa, no Jogo da supertaça que ele dirigiu esta época o Benfica perdeu por 1-0, tendo deixado por assinalar 2 infrações na grande área do Sporting, nos jogos da taça em que ele apitou, o Benfica perdeu às 3 vezes, 2-1 e 5-3 ambos com o Sporting, 2-1 na final da taça com o Guimarães, em que todos sabemos que o golo do empate do Guimarães foi obtido em claro fora de jogo, aqui colocada a linha são lances que não se pode discutir a intensidade no sentido de confundir como no penalti que o Luisão sofreu ao ser derrubado na área pelo João Pereira e saltam para cima dele 3 jogadores do Sporting para lhe empedir de jogar a bola, partindo-lhe mesmo o antebraço.