sábado, 18 de abril de 2015

BRAGA E OS ÁRBITROS NOS ÚLTIMOS 7 CAMPEONATOS

Para uma análise objetiva da real influência das decisões arbitrais relevantes (Expulsões e Penaltis), agregamos todas as intervenções arbitrais, classificando-as de:

  • Favoráveis - os penaltis e expulsões que uma equipa beneficia no campeonato.
  • Desfavoráveis - os penaltis e as expulsões com que o arbitro penaliza uma equipa.

Por pretender utilizar só dados objetivos, nesta análise não são levados em conta os penaltis ou expulsões que ficaram por marcar, nem há a pretensão de catalogar como boas ou más as decisões arbitrais relevantes efetivamente tomadas, afastando essa subjetividade deste trabalho.

Com base nesse critério, determinamos objetivamente os pontos acumulados antes duma expulsão e sem considerar o efeito pontual de nenhum último golo de penalti, obtemos assim os - PONTOS GANHOS SEM INFUÊNCIA ARBITRAL.

Os pontos acrescentados/perdidos após uma expulsão ou penalti decisivo são considerados PONTOS ACRESCENTADOS/PERDIDOS COM INFLUÊNCIA ARBITRAL, pois estão intimamente dependentes dessa intervenção arbitral relevante (penalti ou expulsão).

Nas últimas 7 épocas o Braga conquistou em média 59% dos pontos disputados com todos os arbitros. Este é o rendimento médio espectável da equipa independentemente do arbitro em questão. São aceitáveis pequenas variações do rendimento da equipa com cada arbitro desde que não haja uma variação superior a 20% na % dos pontos que o clube conquiste com esse arbitro. 
Sempre que determinado arbitro altere o rendimento médio de um clube em mais de 20%, então, este arbitro influência o rendimento desportivo dessa equipa, objetivamente esse arbitro não foi um elemento neutro nos jogos dessa equipa. Não tem condições para merecer nova nomeação para um jogo desse clube.

No entanto existem arbitros que influenciam o rendimento do Braga, que são os casos de:
  • Manuel Mota, foi o arbitro com o qual o Braga ganhou 100% dos pontos em disputa, mas atenção que apenas dirigiu um jogo nas últimas 7 épocas, logo a amostra é manifestamente insignificante para se poder obter conclusões estatísticas.
  • Pedro Proença é o único arbitro que os numeros demonstram de uma forma evidente que influencia negativamente o rendimento do Braga, com este arbitro o Braga apenas conquistou 31% dos pontos disputados.
  • Estatisticamente nos últimos 7 campeonatos, todos os restantes arbitros não demonstram influenciar significativamente o rendimento desportivo do Braga. 


Segue-e o quadro com a % de pontos que o Braga conquistou com cada um dos arbitros nos últimos 7 campeonatos, ordenados por ordem decrescente do arbitro com o qual o clube obtem a melhor % de aproveitamento pontual para o pior:

Com os arbitros já nomeados nesta época 2014-15, o Braga nas ultímas 7 épocas conquistou em média 68% dos pontos que disputos nos jogos por eles dirigidos. Não se pode dizer que as nomeações desta época tem sido desfavoráveis ao Braga, pois com todos os arbitros nos últimos 7 campeonatos o rendimento do Braga é ligueiramente inferior, uma vez que o Braga conquistou em média 59% dos pontos nas últimas 7 épocas. Das 29 jornadas apenas foram nomeados por 7 vezes árbiros com o quais o Braga apresenta um rendimento inferior a média geral do clube nos últimos 7 campeonatos, que foram o Bruno Paixão, o Pedro Proença, Jorge Tavares, Duarte Gomes, novamente Pedro Proença e mais 2 vezes o Bruno Paixão.

A grana estão os árbitros com os quais o Braga conquistou em média mais de 59% dos pontos disputados nos últimos 7 campeonatos.
A branco os os árbitros com os quais o Braga conquistou em média menos de 59% dos pontos disputados nos últimos 7 campeonatos.

Sem comentários: